6 conselhos para cultivar o hábito da leitura em sua vida

Muitas pessoas reconhecem a importância da leitura, mas não a colocam em prática. E por que não o fazem? Em geral, por preguiça, acomodação ou uma suposta falta de tempo.

Um dos méritos deste hábito repousa no fato de ser um dos principais meios através dos quais podemos adquirir um alto nível de cultura e de conhecimento, o que pode nos ajudar em nossas vidas profissionais e em nossas vidas pessoais.

Além disso, há a sua impressionante capacidade de transformar as horas do dia em momentos agradáveis. O escritor britânico Anthony Trollope dizia que não existe luxo superior a um sofá, um livro e uma xícara de chá.

Se você, leitor, não a exercita o hábito da leitura com a frequência adequada, atente-se para nossas sugestões abaixo para reverter essa realidade.

ESTABELEÇA UMA META

Como em quase todas as outras atividades da vida, a perfeição na leitura só pode ser conquistada através do hábito e do esforço.

Inicialmente, estabeleça metas modestas e torne-as mais encorpadas com o passar do tempo. Não seria conveniente começar lendo a “Ilíada”, a “Odisséia” e a “Eneida” em quinze dias, pois esse é o tipo de coisa que exige demais de uma pessoa e pode desestimulá-la.

Comece estabelecendo uma meta simples, que pode ser cumprida sem muita dificuldade. Combine consigo mesmo que lerá, por exemplo, um livro a cada quinze dias. Esse é um bom número.

E se ainda não se sentir confortável lendo livros muito longos, comece com contos ou crônicas.

DEFINA O SEU PROPÓSITO

Man sitting on sofa reading book

O ideal seria que pudéssemos ler tudo o que desejamos, mas de modo geral não contamos com tempo e disposição o suficiente para isso. Assim sendo, faz-se necessário selecionar as leituras que mais se adequam a você e aos seus propósitos.

Definir o seu propósito, portanto, é essencial.

Você quer se distrair tranquilamente, ao mesmo tempo em que expande o seu vocabulário e desenvolve sua capacidade de reflexão? Leia um romance. E não confunda com “romantismo”. No mundo literário, “romance” diz respeito a uma composição em prosa. As histórias, por exemplo, do James Bond e os mistérios de Agatha Christie se enquadram nessa categoria.

Você quer crescer na carreira? Leia tudo sobre o assunto. Desde biografias ou memórias de grandes figuras relacionadas à sua área, até livros técnicos para que o ajudarão no dia a dia do trabalho.

Você quer compreender o mundo (e seu papel nele) melhor? Leia os grande tratados filosóficos e políticos.

E se você quiser isso tudo, por que não? Basta ter disciplina para organizar seu tempo.

VEJA NA LEITURA UMA PRIORIDADE

Talvez o principal motivo pelo qual as pessoas leem pouco é que elas não veem nesse hábito uma prioridade e dizem que “não têm tempo”.

Mas às vezes, as mesmas pessoas que dizem isso passam horas por dia nas redes sociais ou vendo séries do Netflix.

Nada contra essas atividades. São boas para distrair. Mas como tudo na vida, devem ser feitas com moderação. Caso contrário, você fica sem tempo para as coisas que realmente importam, como praticar exercícios físicos (pela saúde do corpo) ou ler (pela saúde da mente)

APROVEITE O SEU TEMPO LIVRE

Se você não contar com muito tempo livre, procure ler cerca de meia hora por dia. Aos pouquinhos, você poderá aumentar a duração de seu período de leitura. Ou não, se preferir, afinal para quem não lia nada, 30 minutos já é um grande avanço.

Encontre o melhor momento para você. Algumas pessoas, como eu, preferem ler à noite, enquanto outras sentem-se sonolentas ao fazê-lo.

Por fim, aproveite os instantes livres de que dispõe. Se você anda de transporte público, como metrô ou ônibus, pode aproveitar essa oportunidades para ler. As pausas do trabalho também são um bom momento.

DIFERENCIE O QUE LHE DÁ PRAZER E O QUE É NECESSÁRIO

Mantenha em mente que poucas coisas são de fato necessárias.

De modo geral, é melhor lermos aquilo que nos confere algum tipo de prazer, admiração e contentamento. Quando apreciamos a escrita de um autor, os seus pensamentos ou os seus ideais, temos mais facilidade para compreender sua obra e dela tirar ensinamentos úteis para as nossas vidas.

Mas, se desejarmos compreender certas coisas ou expandir nossos conhecimentos, tendo em vista tanto as nossas carreiras quanto as nossas vidas privadas, temos que entrar em contato com determinadas obras.

Por exemplo, você nunca compreenderá o Estoicismo sem ler Sêneca, nem será capaz de compreender todos os mecanismos da Retórica sem conhecer Aristóteles. Ler adaptações até pode ser útil, mas elas nunca terão valor comparável às obras originais.

Como disse antes, poucas obras são de fato imprescindíveis – mas elas existem, e devem ser apreciadas com atenção. Acredito que, independentemente de nossas ocupações e de nossos interesses, todos devemos ler os mais relevantes tratados políticos concebidos ao longo da história, assim como as mais preciosas composições filosóficas, além dos materiais clássicos relacionados à sua carreira.

A parte boa? Nada te impede de ler o que te dá prazer e o que é necessário. Se você colocar uma meta de ler dois livros por mês, por exemplo, pode escolher um romance (pelo prazer) e um de filosofia ou trabalho (pelo desenvolvimento pessoal).

APRENDA COM AS SUAS LEITURAS

Por fim, o conhecimento só se faz relevante quando é assimilado por aquele que entra em contato com ele, e por consequência manifestado em seu caráter e em seus atos. Incorpore, com bom senso, o que ler à sua vida.

Você pode grifar os trechos que gostar de um livro; fazer anotações na beirada da página; e escrever uma resenha para si ao terminá-lo, para refletir e assimilar as informações.

Não fique obcecado, portanto, em ler um número exagerado de livros. Isso dificulta a sua capacidade de manter em sua mente o que há de essencial e significativo neles. É melhor ler um número mais limitado de livros, aprofundando-se em sua leitura.