Como utilizar o treino em pirâmide na musculação

Cada vez mais observo que o treino em pirâmide virou mania nas academias. Mas você sabe como utiliza-lo de maneira eficiente? Sabe se deveria fazer a pirâmide crescente ou decrescente? Sabe se ela é melhor do que a série tradicional? Vamos às respostas.

A SÉRIE TRADICIONAL

Antes de mais nada, vamos esclarecer o que é uma série tradicional. Neste treino, todas as séries são realizadas com a mesma carga e o mesmo número de repetições. Exemplo:

  • 3 x 10 com 10kg

Essa técnica prevê que sua recuperação se dará de maneira que você conseguirá manter o rendimento em todas as séries. Isso é possível, mas raro de ocorrer em todos os exercícios. Principalmente conforme a fadiga vai acumulando.

Ela serve para todos os objetivos, mas é importante utilizar de forma variada, usando diferentes séries, repetições e intervalos para não estagnar os resultados. É isso que vamos abordar a seguir.

A PIRÂMIDE CRESCENTE

Neste treino, em cada série o peso diminui e o número de repetições aumenta. Exemplo:

  • 1ª série: 3 x 8 com 10kg
  • 2ª série: 3 x 10 com 8kg
  • 3ª série: 3 x 12 com 5kg

Essa opção é boa se todas as séries te exigirem ao máximo, já que procuramos compensar a diminuição da carga com o aumento de repetições.

Ela é indicada para quem quer trabalhar hipertrofia muscular e melhorar condicionamento físico.

A PIRÂMIDE DECRESCENTE

Aqui, a cada série o peso aumenta e o número de repetições diminui. Exemplo:

  • 1ª série: 3 x 12 com 10kg
  • 2ª série: 3 x 10 com 15kg
  • 3ª série: 3 x 8 com 20kg

Essa opção é ótima se, mais uma vez, todas as séries te exigirem ao máximo, pois mostra que você possuí uma boa recuperação e é mais forte em séries de menos repetições.

A técnica é indicada para quem quer trabalhar hipertrofia muscular e força muscular, principalmente com a variação chegando em baixas repetições (6 ou menos).