Falar palavrão é bom para a nossa saúde emocional, diz estudo

Primeiro saiu a notícia de que falar palavrão fortalece a amizade entre dois homens. Depois os cientistas revelaram que pessoas que falam palavrão são mais honestas.

E, agora, um estudo concluiu que falar palavrão é bom para a nossa saúde emocional também.

Porra, quem poderia suspeitar que esse tipo de vocabulário traria tantos benefícios à nossa vida?

Então vamos aos fatos. Já escrevemos aqui no EL HOMBRE sobre os dois primeiros estudos. Você poder ler aqui (amizade) e aqui (honestidade). Hoje é dia de falar sobre o terceiro.

Pesquisadores da Nova Zelândia descobriram algo que, honestamente, nós já suspeitávamos por instinto: soltar um palavrão ou dois ajuda a aliviar nossas angústias emocionais.

É como se fosse uma espécie de autoterapia.

Para chegar a essa conclusão, eles pediram que 70 voluntários escrevessem sobre uma situação social angustiante pela qual eles passaram.

Depois disso, 50% dos participantes foram instruídos a dizer um palavrão para relatar como se sentiram ao relembrar a história. Os outros 50% fizeram o mesmo, mas usando apenas palavras educadas.

Adivinha só? Quem soltou um bom “filho da puta” ou “caralho” ou “merda” sofreu menos dor emocional do que os outros.

A razão disso é que os palavrões dos distraem das dores. E isso serve para as físicas, também. Mas os pesquisadores deram um aviso importante: se você falar palavrões com muita frequência, o efeito deles vai diminuindo gradativamente. Então xingue com sabedoria.