5 lições de vida com Ayrton Senna

Ayrton Senna, morto tragicamente num acidente há quase 25 anos, no GP de San Marino, é considerado por muitos o maior ídolo do esporte brasileiro de todos os tempos. Sua popularidade se deve a numerosos fatores, entre os quais pode-se destacar seu imenso talento, carisma e personalidade. Eis um homem no qual vale a pena nos espelharmos. Hoje reunimos 5 lições de vida que Senna pode ensinar a todos nós:

1# DESAFIE SEUS LIMITES

Os limites são traiçoeiros. Às vezes você acha que atingiu o seu e, quando dá para um passo fora da zona de conforto, descobre que pode ir além. Senna acreditava religiosamente nisso. Com o poder da determinação e da experiência, ele dizia, sempre podemos ir mais longe. Por isso não se imponha limites. Busque sempre desafiá-los.

2# TENHA PERSEVERANÇA

Senna gostava de dizer que “meio-termo” é algo que não existe. No que diz respeito ao compromisso e dedicação, ou você faz bem feito — ou não faz. A perseverança era uma das virtudes mais admiradas em Senna. Ele sempre dava o melhor de si para atingir os meus objetivos, jamais economizando no esforço.

3# ABRACE A COMPETITIVIDADE

Já falamos muito sobre a importância da competitividade aqui no El Hombre. Ela é muito importante para nos motivar e nos levar a uma busca constante pelo aperfeiçoamento. Senna sabia disso. E, quando um de seus rivais na pista — ou, mais especificamente, Alain Prost — dava um passo adiante, ele ia com tudo à batalha para tentar superá-lo.

4# O ESFORÇO IMPORTA MAIS DO QUE O RESULTADO

Mesmo sendo ultracompetitivo, Senna certa vez falou numa entrevista: “Ninguém tem obrigação de ser campeão do mundo. (…) A obrigação que eu tenho é de dar o melhor de mim.” Essa frase resume muito bem o seu espírito lutador. O resultado das coisas na vida nem sempre está em nosso controle. Ainda assim, devemos fazer a nossa parte — e dar o máximo de nós.

5# NUNCA PARE DE MELHORAR

Já falamos sobre limites anteriormente, mas essa era uma questão tão presente na vida de Senna que vale a pena reforçar. Ele era obcecado pelo autodesenvolvimento: “Você pode aprender mais, e mais, e praticamente não tem fim”. Quando você acreditar que sabe tudo, então, lembre-se de que nem o maior piloto da história se considerava no limite do conhecimento. Por que você estaria?

VÍDEO EM DESTAQUE