fbpx

9 motivos para morar na remota Nova Zelândia

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Parcerias

Pouquíssimo se fala por aqui deste pequeno país escondido nos confins da Oceania, a Nova Zelândia. Isolada do outro lado do mapa-múndi, o lugar desfila na lista dos países desenvolvidos.

Composto basicamente por duas ilhas principais – a Ilha do Sul e a Ilha do Norte e diversas outras ilhotas -, a NZ compreende uma área total de cerca de 270 mil km², apenas um pouco maior que o estado de São Paulo.

Apesar disso, o país impressiona pela diversidade natural que hospeda e certamente é um ótimo lugar para se viver.

Confira 9 motivos pelos quais arrumar as malas e ir para lá é uma ótima ideia:

1# IDH, paz e combate à corrupção

O nível de desenvolvimento do país pode ser notado em diversos índices ou pesquisas. Para você ter uma ideia, a última atualização do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) classifica a Nova Zelândia como tendo o sexto maior IDH do mundo, com 0,919 em escala de 0 a 1.

Em outras análises, a região também se destaca. No Global Peace Index, que mede o quanto um país é pacífico e leva em conta 22 indicadores, desde conflitos internos a participação política e liberdade de imprensa, classifica a Nova Zelândia em quarto lugar. Já quanto ao combate à corrupção, os neozelandeses aparecem em primeiro no ranking.

O primeiro-ministro, John Key, se encaminha para os últimos meses do seu segundo mandato e permanece popular, e seu Partido Nacional lidera nas pesquisas de opinião para as eleições gerais em 20 de setembro.

2# Bungee Jump

Ainda há bastante discussão quanto aos primeiros que tiveram a ideia de amarrar algo nas pernas e pular de um penhasco, sendo mais comumente atribuído ao povo da Ilha de Vanuatu, no Pacífico, que se jogavam de torres de madeiras com nada mais que algumas videiras enlaçadas nos seus pés, em um ritual chamado Mergulho na Terra.

No entanto, o bungee jump da forma como conhecemos hoje é atribuído ao neozelandês A. J. Hackett. Depois de desenvolver um tipo de corda especial para o salto, ele começou a realizar pulos amadores em diversas localidades a fim de popularizar o novo esporte.

E por isso na Nova Zelandia você encontrará o primeiro local aberto comercialmente para a prática de bungee jump. Chama-se Kawarau BridgeBungy e está localizado a cerca de 20 minutos de carro de Queenstown. Aberto em 1988, esta é uma das maiores atrações da Nova Zelândia quando o assunto é aventura.

3# Cultura Maori

Maori é o nome utilizado para designar o povo indígena da Nova Zelândia e sua história é longa e intrigante. Com base em registros orais, achados arqueológicos e análises genéticas, historiadores marcam a chegada dos Maoris na Nova Zelândia em por volta do século XIII.

Os traços da cultura Maori se misturam hoje em dia com a cultura neozelandesa para formar o pais que vemos atualmente. O respeito aos povos indígenas é tanto que o idioma Maori e considerado um dos idiomas oficiais do país, juntamente com o inglês.

4# Rugby e a dança Haka

O Rugby é, sem dúvida alguma, o esporte mais popular no país. Onde quer que você esteja, não precisará andar muito para encontrar um campo aberto e dois postes de gol. E a seleção neozelandesa, conhecida por All Blacks, é um dos orgulhos da nação.

Além dos All Blacks serem uma das maiores potências deste esporte, eles levam ao público, a cada jogo, um pouco da cultura Maori. Antes de cada disputa, os All Blacks realizam o Haka, uma dança de intimidação.

5# Praias e Montanhas

Possivelmente, a imagem que vem a mente de muitos quando pensam em Nova Zelândia é aquele lugar bem frio, montanhoso e com neve por toda parte. O país, no entanto, possui mais de 15 mil quilômetros de costa fantasticamente recortada com belas praias, algumas delas próximas a montanhas nevadas ou, ainda, cobertas por florestas subtropicais. Não à toa, as melhores praia – e que reúnem melhores condições climáticas – estão espalhadas pela Ilha do Norte.

Para quem prefere regiões montanhosas, pode aproveitar mais a Ilha do Sul. A 3724 metros, encontra-se a montanha mais alta da Nova Zelândia, o Monte Cook, a apenas cerca de 40km da costa, nos Alpes do sul. Nessa mesma cordilheira é possível encontrar cerca de 18 picos com mais de 3000m. A região é perfeita para quem gosta de esportes de aventura como montanhismo ou esqui.

6# Vila de Hobbiton

Que a trilogia O Senhor dos Anéis, dirigida por Peter Jackson,  foi totalmente filmada na Nova Zelândia todo mundo sabe. Mas o melhor de tudo é que a taberna que Frodo e seus amigos frequentavam se tornou real.

Inaugurado há não muito tempo, o The Green Dragon Pub (A Taverna do Dragão Verde) está situado na pequena vila de Hobbiton. Hobbiton, na verdade, é um parque privado que fica na região de Matamata, a duas horas de distância de Auckland. Por lá você pode acabar visitando até mesmo a casa de Bilbo Bolseiro e outros tantos cenários da trilogia.

7# Gastronomia

Wellington é a capital da Nova Zelândia e da região de mesmo nome. Com cerca de 400 mil habitantes, fica localizada na Ilha do Norte e devido aos fortes ventos que sopram na região foi apelidada carinhosamente pelos locais de Windy Wellington.

O mais interessante sobre esta cidade, no entanto, é a sua cultura gastronômica. Alguns dizem até que a cidade possui mais bares, cafés e restaurantes, per capita, que Nova York, sendo conhecida como a capital nacional da gastronomia. Jantar fora é algo bem corriqueiro na vida do neozelandês, especialmente em Wellington.

8# Política

A Chefe de Estado da Nova Zelândia é a Rainha Elizabeth II do Reino Unido. A Nova Zelândia é uma monarquia constitucional com uma democracia parlamentar. A rainha é representada pelo governador-geral, que é nomeado a conselho do primeiro-ministro.

Apesar disso, a rainha não tem influência política substancial, sendo que, na prática, sua posição é essencialmente simbólica, estando reservada a cerimoniais e afins. O poder político é mantido pelo parlamento da Nova Zelândia, sob a liderança do primeiro-ministro, que é o chefe de governo do país.

9# Vulcões

A Nova Zelândia está localizada na região denominada Círculo de Fogo, local onde um grande número de terremotos e erupções vulcânicas ocorrem, na bacia do Oceano Pacífico. A Nova Zelândia, por sua vez, contém a maior concentração do mundo de vulcões riolíticos jovens e grande parte deles se concentra na Ilha do Norte.

Um dos maiores lagos do país, o Lake Taupo, situado ao centro da Ilha Norte, por exemplo, é nada mais do que a caldeira de um supervulcão adormecido, estendendo-se por 193km³ e alcançando profundidades de até 110m.