amazon-fire-phone
amazon-fire-phone

Amazon Fire, o celular 3D que deseja desbancar o iPhone

A Amazon dominou o mercado de vendas de e-books, entrou com tudo no universo dos tablets e agora quer ter o seu lugar no mundo dos smartphones. A empresa anunciou o Fire Phone no dia 18 de junho, uma quarta-feira. O gadget tem 4,7 polegadas, interface 3D e é um aparelho bem robusto para você, hombre.

O celular é a cara de seu dono, Jeff Bezos. Considerado o pior chefe do mundo neste ano pela Confederação Internacional de Sindicatos, Bezos tem uma preocupação sobrenatural com seus clientes, muitas vezes respondendo pessoalmente emails de reclamações e buscando solucionar problemas, mesmo que isso signifique dar orientações duras aos seus funcionários. Ele se irrita com a suposta burrice de empregados e já cogitou trocá-los por máquinas.

Seus planos com a Amazon são ambiciosos. No ano passado, Jeff Bezos comprou o jornal Washington Post por US$ 250 mil, o que mexeu com os negócios de jornalismo nos Estados Unidos. A empresa transformou o e-reader Kindle em um tablet.

Confira, hombre, o que há de realmente atrativo no novíssimo Amazon Fire Phone, previsto para ser lançado exclusivamente pela operadora americana AT&T no dia 25 de julho.

Nem tão grande, nem tão pequeno

A tela do aparelho tem 4,7 polegadas. Ou seja, não é nem um iPhone 5S (4 polegadas) e nem um Galaxy S5 (5,1 polegadas). É um smartphone que não funciona bem em mãos pequenas, de algumas meninas. Agora, se você é um homem com dedos grandes, talvez seja o modelo para você.

Não terá o mesmo espaço para dados grandes dos aparelhos da Samsung, mas seus dedos vão encaixar com facilidade no design arredondado, pelo que tudo indica.

O problema do Fire Phone é o material de sua traseira: vidro. Assim como modelos da Sony, como o Xperia Z1 e o Z2, ele promete deixar as marcas de digitais dos seus dedos. Por esse motivo, o celular não deve ficar com um aspecto legal como os aparelhos de alumínio.

Você também terá que tomar um cuidado extra com a traseira de vidro, porque ela pode riscar assim como o display. O aparelho é um pouco pesado, com 160 gramas. São quase 50 gramas a mais do que o último iPhone (112 gramas).

Experimente um sistema operacional com três dimensões

O processador do Fire Phone é potente, mas não é o mais rápido – um chip de quatro núcleos com 2,2 GHz, acompanhado por 2 GB de memória RAM. O Samsung Galaxy S5 passa com 2,5 GHz.

A revolução vem nas quatro câmeras frontais do aparelho, que servem para criar projeções em 3D dentro do sistema operacional do aparelho, chamado de Fire OS 3.5 (uma versão modificada do Android).

As câmeras permitem que você visualize imagens em três dimensões com definição sem a necessidade de óculos. Elas leem a posição do seu crânio, projetando imagens mais completas. É uma tecnologia semelhante, mas muito diferente, da “Parallax” do videogame Nintendo 3DS, em que as imagens são sobrepostas para gerar um 3D plano, que funciona sem óculos. As quatro câmeras do Amazon Fire fazem isso sem criar uma projeção chapada.

Além disso, o celular tem uma câmera traseira potente com sensor de 13 Megapixels. As frontais são de 2,1 Megapixels.

Bons recursos e espaço de sobra

Uma inovação da Amazon é o Firefly, que identifica imagens e sons para localizá-los na internet. QR Codes e códigos de barras podem ser lidos pelo mesmo programa. Objetivo? Certamente aumentar as vendas de varejo da Amazon.

O smartphone também virá com Netflix, HBO GO, Hulu Plus e ESPN já instalados, atraente pros viciados em ver filmes por streaming.

E como eu vou guardar todos esses dados? Uma versão do Amazon Fire Phone terá 32 GB de espaço interno e custará US$ 200 (cerca de R$ 440 pelo câmbio atual). Outra versão mais espaçosa, de 64 GB, terá o preço de US$ 300 (R$ 661).

Com o atual patamar dos impostos sobre produtos de tecnologia, não espere que o celular por menos de R$ 1 mil no Brasil. Ainda não há previsão de venda fora dos Estados Unidos.