Aproveite o verão sem tostar com estas 10 dicas de proteção solar

Homens não costumam dar muita importância para os perigos da radiação solar. Nos falta paciência na hora de aplicar e reaplicar o protetor solar, jogamos bola e andamos de bicicleta sem camisa nos dias de verão, e, dificilmente, vamos ao dermatologista quando notamos alguma pinta estranha no corpo.

O resultado vem com o tempo, quando a pele fica fotoenvelhecida, com rugas e manchas. Pior que isso, além detonar o seu visual, tomar sol sem proteção pode, ainda, causar câncer de pele. Então, chegou a hora de se cuidar. Separamos dez fatos sobre proteção solar que pouca gente sabe, mas que podem salvar sua pele.

1# Existem protetores químicos e físicos

As fórmulas dos cosméticos com proteção solar podem conter dois tipos de filtros: os químicos, ou seja, que são absorvidos e reagem com a pele para prevenir da radiação solar, e os físicos, que contém substâncias, como óxido de zinco e dióxido de titânio, que não são absorvidos pela pele e formam uma barreira física contra a luz solar. Em crianças e pessoas com peles muito sensíveis deve ser dada preferência ao uso de filtros solares 100% físicos.

2# Protetor não bloqueia todas as radiações solares

Pode acreditar, a maioria da radiação emitida pelo sol não é bloqueada pelos filtros solares. Estes só protegem contra a radiação ultravioleta (UV) e mais da metade da radiação solar é infravermelha, que também possui ação nociva à pele e pode provocar alterações da estrutura do DNA. O ideal é, antes do protetor solar, usar um antioxidante com ação protetora deste tipo de radiação. Os mais indicados são os que têm na fórmula vitamina C, phloretin e ácido ferúlico.

3# Roupas de algodão protegem mais da radiação solar

O fato de estar vestido não significa que está protegido do sol. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), tecidos de algodão retêm cerca de 90% das radiações UV. Tecidos sintéticos, como o nylon, retêm apenas 30%. Então quando for se expor ao sol, prefira roupas de algodão.

4# Sim, protetor solar pode causar acne

Homens têm pele mais oleosa e a mistura da oleosidade, do calor e do filtro solar pode provocar cravos e espinhas. Evite a acne escolhendo protetores oil free, com textura fluida, com base aquosa ou em gel, que não obstruam os poros e tenham um acabamento sem brilho. Quem tem pele mista ou oleosa deve lavar o rosto com sabonetes à base de ácido salicílico, zinco e ácido glicólico, que vão diminuir a oleosidade e evitar a acne.

protector-solar

5# Existe proteção solar via oral

Calma, amigo! Não vá tomar seu protetor solar! Estamos falando de suplementos à base de betacaroteno e vitamina C. Eles reforçam as defesas da pele contra os danos causados pelo sol e estimulam a produção de melanina, prevenindo o fotoenvelhecimento e garantindo um bronzeado duradouro e uniforme. É importante destacar que a ingestão destes suplementos não dispensa você do uso do protetor solar convencional sobre a pele. O suplemento só reforçará a proteção.

6# Cremes podem reverter os danos causados pelo sol

Quem já está com a pele fotoenvelhecida pode melhorar e reverter manchas e rugas causadas pelo sol com cremes regeneradores que possuam em suas fórmulas ativos como proteínas de choque térmico (HSP – heat shock protein), retinol, antioxidantes (vitaminas C, vitamina E, resveratrol, phloretin e ácido ferúlico) e peptídeos rejuvenescedores. Estes componentes ajudam a reparar os danos oxidativos produzidos pelos raios UV.

7# Negros também devem usar protetor solar

Assim como as pessoas de pele mais clara, pessoas negras e morenas precisam usar filtro solar. Negros têm uma proteção natural da pele, pela maior quantidade de melanina produzida, mas, ao contrário do que muitos pensam, também estão sujeitos a queimaduras, fotoenvelhecimento e câncer de pele. Além disso, pessoas negras costumam apresentar uma incidência maior de um tipo mais agressivo de câncer de pele, chamado melanoma acrolentiginoso, que aparece geralmente nas mãos e pés.

8# Câncer de pele é o tipo mais comum no Brasil

O câncer de pele é a variação que mais atinge os brasileiros, segundo estatísticas do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Trata-se do tipo de câncer mais comum no homem e é o terceiro na mulher. O seu tipo mais grave, o melanoma, mata milhares de pessoas por ano. O mais temido dos tumores de pele tem a capacidade invadir qualquer órgão e se espalhar pelo corpo. O melanoma cutâneo é mais raro que outros tipos de câncer de pele, mas sua incidência vem aumentando no mundo inteiro.

9# Certas características indicam se uma pinta pode ser câncer

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), uma pinta tem características de lesões malignas (câncer) quando for assimétrica, possuir borda irregular, apresentar dois tons diferentes ou mais e tiver tamanho superior a 6 milímetros. Caso note alguma destas características em alguma pinta ou mancha, não marque bobeira, procure imediatamente um dermatologista.

10# Do jeito certo, dá para curtir o sol sem medo

Você não precisa abrir mão de ir à praia, praticar esportes ao ar livre e aproveitar o verão. Mas, para fazer isso sem riscos, evite se expor ao sol entre 10 da manhã e 4 da tarde, quando a incidência da radiação ultravioleta “B” é maior. Passe protetor solar de forma abundante e não se esqueça das orelhas, da nuca e dos pés. Não vale mais aquela desculpa de que os filtros solares são grudentos e brilhantes, hoje existem produtos com toque seco e de fácil aplicação. A dica final é o uso de óculos escuros, que previnem cataratas e lesões na córnea.