Bruxelas, a capital das HQs

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Vídeos

Existe uma arte que vem perdendo muito espaço no coração das pessoas: a história em quadrinho. Com novas tecnologias sendo lançadas a cada mês, muitas crianças do terceiro milênio arrastam os dedos sobre as folhas dos gibis com a esperança de trocarem de página – o que fatalmente irá frustrá-las, pois aquilo não é um iPad. É verdade: os quadrinhos podem facilmente ser transferidos para os aparelhos eletrônicos, mas os jogos parecem ter um apelo bem mais interessante para a criançada.

Se você compartilha dessa opinião, anime-se, pois existem lugares no mundo que ainda dão o valor que as HQs merecem. Um desses lugares é Bruxelas, a capital da Bélgica.

Por ali o assunto é levado a sério. Terra natal do jornalista aventureiro Tin-Tim e dos carismáticos Smurfs, a cidade é uma das referências mundiais quando o assunto é história em quadrinho.

Muitas ruas do centro são conhecidas não só por seus nomes originais, mas por outro que leva a identidade de algum personagem. É o caso da Rua dos Comediantes, que passou a ser conhecida como Rua Os Túnicas Azuis (quadrinho da década de 70). E saibam que não é só um apelido – é oficial.

Mas o que mais impressiona para os amantes de HQ que visitam a cidade são os murais espalhados pelas ruas com desenhos gigantes de personagens históricos dos quadrinhos.

No início da década de 90, o governo local passou a permitir que empresas anunciassem seus produtos em alguns espaços publicitários cedidos por eles. Contudo, para balancear a poluição visual das publicidades, elas deveriam patrocinar obras de artistas que teriam lugar nas paredes de prédios e em muros da capital belga.

Feito e dito. Hoje é possível encontrar cerca de cinquenta trabalhos (a grande maioria são homenagens aos quadrinhos) distribuídos entre lojas, bares, hotéis ou qualquer outro tipo de construção. De Tintim a Asterix, passando pelos menos conhecidos Lucky Luke, Le Scorpion e tantos outros, os personagens que enfeitam Bruxelas fazem dela um destino e tanto para quem gosta, não só de quadrinhos, mas de desenhos em geral.

Confira alguns lugares que elevam a cidade ao posto de uma das capitais mundiais da nona arte.

Belgian Comic Strip Center

Esse é o melhor museu de Bruxelas (e quiçá do mundo) relacionado ao tema. Funcionando desde 1989 recebe, em seus 4.200 metros quadrados, mais de 200 mil visitantes diariamente. O museu funciona numa famosa e bela construção projetada em 1906 pelo arquiteto Victor Horta no coração da cidade. comicscenter.net

La Maison de la Bande Dessinée (a Mansão do Desenho Animado)

Situada no centro da capital, oferece acervos de clássicos franco-belgas como Gastón Lagaffe, Siprou, Lucky Luke e tem espaço destacado para grande autores como Hergé (Tintim). Os heróis das histórias em quadrinhos dos dias atuais não são esquecidos na Mansão do Desenho Animado e também têm seus espaços. Se gostar do que viu e quiser levar lembranças, usufrua da livraria e não esqueça os clássicos souvenirs. jije.org

MOOF (Museus of Original Figurine)

Esse aqui é possivelmente o museu mais divertido de lá. O acervo do lugar é feito principalmente por bonecos e maquetes. Até as HQs originalmente em preto e branco ganham formas 3D e cores. É claro que, para um bom conhecedor, nada substituí os quadrinhos (principalmente os originais), que trazem consigo os traços dos seus autores. Mas ver os personagens fora das páginas dos gibis é uma experiência bem diferente. moof.d2d.be

Comics Café

Uma cervejaria no centro da Comics Village que oferece pratos de origem nacional e hambúrgueres que são famosos no pedaço. Entretanto, com personagens para tudo quanto é lado e uma estátua do Tintim de bronze, a última coisa que você irá pensar em fazer é comer e beber. Será difícil deixar de apreciar a parede do bar para ter que fazer uma refeição que com certeza se tornará entediante. Compre chaveiros, bonecos, pelúcia e gibis (óbvio) dos seus personagens favoritos. comicscafe.be