Como enfrentar o medo de mudanças em 5 passos

É comum temermos mudanças – isto é, eventos que requerem um ajuste no modo como conduzimos nossas existências diárias – sejam elas quais forem.

O início ou o final de uma relação amorosa tendem a nos inquietar. Nós raramente temos a capacidade de nos sentirmos confortáveis no primeiro dia de faculdade ou em um novo emprego. Ao nos afastarmos de pessoas com quem convivíamos em uma base diária, nós costumamos ser tomados por um sentimento de aflição.

Em suma, o fato é que o “sacrílego jogo da mudança”, pode ser, segundo Nietzsche, muito mais temível do que o simples aniquilamento.

E os motivos são muito claros. Entre eles, podemos destacar o fato de que nós não temos como saber exatamente o resultado das mudanças que empreendemos em nossas vidas, e por consequência ignoramos se as mesmas terão um efeito positivo ou negativo.

Mudanças são inseguras, e a insegurança costuma culminar em uma dose bastante alta de ansiedade e desconforto.

Mas as coisas não precisam ser sempre assim – e, embora nós possamos resistir até certo ponto às mudanças, assumindo o risco de sermos tomados de surpresa por elas, o melhor é optarmos por cooperar com as mesmas, adaptar-nos a elas e beneficiar-nos delas.

A fim de enfrentar o seu medo de mudanças, comece seguindo esses 5 passos.

1# ACEITE AS INCERTEZAS

Sim, a pessoa que você ama pode deixá-lo amanhã e partir o seu coração. Sim, o seu gato pode morrer e partir o seu coração. Sim, o seu restaurante predileto pode fechar e partir o seu coração. Todas essas coisas podem acontecer.

No entanto, seria isso um motivo convincente para levá-lo a deixar de se relacionar com as pessoas ao seu redor, a nunca mais ter um gato ou a não ter um restaurante preferido? Uma mudança é sempre um risco a ser assumido, e assumir riscos é imprescindível para a sua felicidade.

2# MANTENHA O OTIMISMO

“Se eu pudesse dar qualquer presente a uma criança no seu batizado, eu iria conferir-lhe uma disposição naturalmente otimista“, afirma a escritora britânica Agatha Christie, em sua autobiografia.

Sempre que refletir sobre o seu futuro, lembre-se que as situações evoluem do modo que devem evoluir, independentemente de nossos sentimentos a respeito delas.

Não seja excessivamente temeroso, e ao mesmo tempo não crie expectativas muito altas. Epicteto, um dos grandes filósofos estoicos, colocou a questão da seguinte maneira: “São as esperanças e temores que desenvolvemos o que nos abalam e perturbam, ao passo que os acontecimentos tendem a ser neutros“.

Procure contemplar os melhores cenários. Evite pensar nas piores possibilidades. É essa a melhor maneira de superar o temor que nos assalta frente ao que desconhecemos.

3# CRIE ESTRATÉGIAS

Dê sempre o seu melhor, esforce-se ao máximo e aja de acordo com os seus propósitos e as suas determinações. Mantenha também uma série de princípios e valores que possam apoiá-lo em seus momentos de indecisão ou necessidade.

Crie estratégias capazes de ajudá-lo a tirar o melhor de casa situação em que se encontrar e invista sempre nos melhores aspectos de sua personalidade, de sua aparência e mesmo de seu caráter. Essa é a melhor maneira de se preparar para o futuro.

4# CONFIE EM SI MESMO E CONTROLE A SUA MEMÓRIA

Em um tratado que deveria ser lido por todos nós, a Retórica, Aristóteles afirma que nós “experimentamos confiança quando acreditamos ter-nos saído bem e não termos sofrido reveses, ou ter afrontado o perigo e dele escapado com segurança”.

É um excelente raciocínio, mas há uma maior complexidade nisso. Muitas vezes, a nossa memória não retém as informações exatamente como estas foram apresentadas a nós. Em vez disso, tendemos a extrair a essência de uma certa experiência e a guardá-la da maneira que nos parece fazer mais sentido.

Você já notou que pessoas que testemunharam o mesmo evento contam versões bastante diferentes a respeito dele? Muitas vezes, nenhuma delas está mentindo. O fato é que nós retemos as nossas lembranças de modo que estas dialoguem melhor com nossas crenças, valores e auto-imagem.

5# DÊ PASSOS PEQUENOS

Nós não somos capazes de alterar as nossas personalidades do dia para a noite. Dia após dia, é preciso que continuemos a investir em nossa força interior.

Como em todos os processos, ao enfrentar o seu medo de mudanças você dará dois passos para frente e um para trás. Não deixe que isso o desanime. É essencial sairmos de nossas zonas de conforto em determinados momentos, mas é igualmente importante voltarmos para ela nas ocasiões em que nos sentimos mais vulneráveis.

VÍDEO EM DESTAQUE: