Como as jogadas do US Open estão virando 400 horas de música

Enquanto você passeia pelo El Hombre, Serena Williams, Djokovic, Sharapova e tantas outras estrelas do tênis estão em quadra na Big Apple em busca do US Open.

O que isso tem a ver com música?

Tudo.

Desde que deixou o LCD Soundsystem para trás em 2011, James Murphy tem se mantido extremamente ocupado, seja produzindo álbum do Arcade Fire ou compondo trilha sonora para Ben Stiller e Naomi Watts. A bola da vez é a seguinte: o cara está produzindo 400 horas de música a partir de duelos de tênis.

Sim, você leu certo.

Pense que cada partida no US Open gera milhares de dados: aces, winners, duplas faltas, break-points, etc etc etc. Pois Murphy se uniu a IBM para interpretar esses vários dados e transformá-los em música.

Um programador vs um músico.

“Eu não estou aqui sentado criando 400 horas de música”, diz o próprio James Murphy sobre o projeto. “Eu estou criando probabilidades para músicas.”

Chamado U.S. Open Sessions, o projeto coloca Murphy ao lado do programador Patrick Gunderson. Juntos, eles criaram um programa que transforma as ações dos jogadores – além da influência do clima e participação do público – em algoritmos. É em cima deles que o músico acrescenta timbres, ritmos e outros valores musicais para criar composições únicas para cada jogo. E em tempo real – ou seja, se você está assistindo ao torneio e quer uma trilha sonora, aí está ela.

Os fãs podem acessar o U.S. Open Sessions de várias maneiras: você pode ouvir as músicas através do seu smartphone, acessar o arquivo com todas as canções criadas e até mesmo assistir a vídeos com os bastidores do processo criativo das tracks. Você acessa o website, escolhe a partida e ouve a música composta a partir dela, clicando em Play Match. Simples assim. (A track da partida entre Errani e Rodionova, por exemplo, poderia muito bem estar chacoalhando muita pista de dança por aí.)

Aliás, James diz que vai remixar 14 dessas 400 músicas para versões mais curtas, em formato pop, com a ideia de as reunir em um álbum especial, que deve ser disponibilizado de graça no iTunes, Soundcloud e Spotify.

O diálogo entre música, esporte e tecnologia não é exatamente novidade. Pois aqui está um belo novo capítulo.

Se quiser mais detalhes do trabalho, assista ao vídeo com o próprio James Murphy explicando o projeto ao lado do programador Patrick Gunderson.