“Não dá para minha vida ficar muito melhor do que isso”

TORONTO – Um dos atores mais cobiçados de Hollywood, Matthew McConaughey, chegou em um ponto em sua carreira em que decidiu mudar sua imagem. Em vez de continuar a interpretar o charmoso herói romântico, ele passou a procurar papéis mais sérios.

Essa determinação de se redefinir é mais evidente em seu novo filme, Clube de Compras Dallas, que lhe rendeu um Oscar de Melhor Ator no último domingo, co-estrelado por Jared Leto e Jennifer Garner, em que Matthew interpreta um eletricista americano, Ron Woodroof . O ator perdeu 22 quilos para interpretar o mulherengo homofóbico que contraiu AIDS em 1985 e, em seguida, começou um “clube” em que as pessoas infectadas com o vírus poderiam comprar drogas para lutar contra a doença.

“Eu estava cansado de fazer comédias românticas e filmes que realmente não significam muito para mim”, McConaughey, explica. “Era hora de voltar para os tipos de histórias que me inspiraram a tornar-me um ator melhor.”

McConaughey vive no Texas, com sua esposa, a modelo brasileira Camila Alves, e seus três filhos, Levi (5), Vida (3) e Livingston, que completa 1 em dezembro.

Sua aparência física em Clube de Compras Dallas chocou muitas pessoas. Foi difícil para você perder muito peso?

A coisa mais difícil foi passar por diferentes estágios de perda de peso. No início, era fácil perder peso com exercício e comer menos. Mas chega um ponto, ao diminuir o consumo de calorias, em que 90% da perda de peso é alcançada. No começo até que foi fácil, mas com o passar dos dias foi ficando mais complicado.

O que sua esposa Camila pensou de sua aparência esquelética?

Ela me apoia em todos os meus projetos, mas desta vez ela pensou que eu estava levando as coisas um pouco longe demais. (Risos) Foi difícil para ela me ver tão magro. Chegou a um ponto em que não comíamos mais juntos.

Como foi interpretar Ron Woodroof? O personagem que o fez passar por essa provação física.

Ron era um americano original. Ele era um homem selvagem, um bastardo egoísta e um homem de negócios que queria fazer uma grana. Ele não era um tipo nobre. Ele era um verdadeiro cowboy, um osso duro de roer. Ele era o tipo de cara que estava disposto a brincar com o fogo.

Woodroof foi um herói de alguma maneira?

Ele era um anarquista. Eu penso nele mais como um anti-herói clássico, um cara que você gosta a despeito de quem ele é. Eu comparo o meu personagem mais com o Scarface. Não há violinos tocando para esse cara, não há nenhuma falsa emoção para ele.

Esta é uma história da vida real de um cara que recebe a notícia que possui somente 30 dias de vida e decide ensinar a si mesmo a ciência, o suficiente para que ele possa cuidar de seu próprio corpo, encontrar drogas que ainda não foram aprovadas, e fazer um lucro em um empreendimento comercial, que permitiu que outras pessoas infectadas pelo HIV pudessem também usar esses remédios.

Você é o pai de três filhos agora. É um grande mudança na sua vida e de sua esposa?

É maravilhoso. Eu amo. Eu tenho vontade de ter minha própria família desde que eu era jovem. Só me levou um tempo para encontrar a mulher perfeita. Camila é uma mulher bonita, amorosa e sexy que faz minha vida muito melhor a cada dia. Ter filhos também me ajudou a me tornar um ator melhor.

Você também faz uma parte relativamente pequena em O Lobo de Wall Street, estrelado por Leonardo DiCaprio. O que o atraiu para o projeto ?

Martin Scorsese. Eu tinha estudado todos os seus filmes na faculdade e eu sempre sonhei em conhecê-lo e trabalhar com ele. Lembro-me de chegar ao aeroporto de Newark, Nova Jersey, e uma limusine veio me buscar para o nosso primeiro encontro. Ele me recebeu em sua casa e me senti muito honrado.

Sabe de uma coisa, eu não tenho um grande ego. Eu não tenho qualquer problema de atuar em um papel de apoio. Se há uma grande história quero fazer parte dela. Neste caso, eu não tinha somente a chance de trabalhar com alguém que eu sempre idolatrei, mas também de interpretar um cara que é uma verdadeira força da natureza. Se você ver o filme, vai entender por que eu peguei esse papel.

Você sempre pareceu ser o tipo de homem que está cheio de confiança.

O que eu posso dizer? Eu acredito em viver no presente e fazer cada dia valer. Eu não presto muita atenção ao passado ou ao futuro. Eu conheci uma mulher fabulosa e nós construímos esta família unida. E ao longo dos últimos dois ou três anos, eu sinto que eu estou na crista da onda novamente. Realmente não dá para ficar muito melhor do que isso. (Risos)