Este museu subaquático no México precisa estar em seus destinos

O oceano, apesar de dominar três quartos do planeta, ainda é um ambiente pouco conhecido e explorado por nós e quase tudo o que se encontra por lá é obra da mãe natureza.

Mas nos últimos anos o litoral mexicano vem recebendo algumas obras de arte, um legado do homem à natureza. Na verdade, este homem tem nome – chama-se Jason deCaires Taylor – e seu legado não é destrutivo, como muitos outros.

Sua proposta, pelo contrário, é muito nobre: provocar a reflexão sobre a relação do homem com a natureza e reduzir o impacto negativo que as 750 mil visitas turísticas por ano causam sobre os corais.

O MUSA (Museu Subaquático de Arte), como é chamado o local, foi fundado em 2009 e continua em plena expansão. A ideia é praticamente eliminar o acesso dos seres humanos aos recifes naturais. E a estratégia para isso é muito simples: as esculturas atrairão os turistas para longe da natureza ameaçada.

Ao todo, já são mais de 500 esculturas (a meta é alcançar a marca de 10 mil em 10 anos) separadas em 2 galerias localizadas ao redor da ilha Mujeres, em Cancun, no mar cristalino do Caribe. Uma dessas galerias fica a uma profundidade de 8 metros e pode ser visitada por barcos e mergulhadores, e a outra fica a 4 metros e só é permitido o acesso por meio do mergulho. Ao todo são 420 m² de exposição.

A grande maioria das obras são de Jason, no entanto, outros artistas também têm desenvolvido esculturas para o MUSA.

Toda a ideia de criar um jardim de esculturas subaquáticas partiu de Jaime Gonzalez, diretor do Parque Nacional Isla Mujeres em Cancun, em 2005. O objetivo era desenvolver alguma maneira de diminuir o fluxo de pessoas que visitavam os corais ao longo do litoral mexicano e, que àquela altura, já alcançava cerca de 90 mil pessoas anualmente, levando invariavelmente a morte dos recifes coralígenos.

As construções de Taylor são feitas a partir de um “concreto ecológico”, que possui pH neutro em relação à água marinha, feito para resistir algumas centenas de anos. Além disso, o material poroso permite que corais e outros organismos se instalem nas obras de arte. Os organismos marinhos, por sinal, são quem tornam as obras de arte completas. Eles contrastam com o cinza e a dramaticidade das esculturas submersas.

Ficou com vontade de conhecer? São, basicamente, três opções de visitas:

Passeio de barco: os barcos que saem em direção ao MUSA possuem o fundo de vidro, permitindo visualizar as obras.

Snorkelling: para quem não tem certificado de mergulhador é possível realizar o snorkelling por lá, já que a visibilidade das águas caribenhas são incríveis.

Mergulho: esta é a melhor opção para quem deseja conhecer bem de perto este incrível museu que é o MUSA.

Para mais informações acesse o site musacancun.org.