O Google mostrou ao mundo, esta semana, como imagina o nosso futuro próximo, com os novos produtos desenvolvidos pela empresa. Há o celular Pixel; o visor de realidade virtual Daydream; um novo Chromecast; um sistema de WiFi; e o Google Home. Mas o que chamou mais atenção, sem dúvida, foi o smartphone. Existem vários motivos para acreditar que ele será um sucesso, a começar pelo fato de que a bateria carrega 7 horas em impressionantes 15 minutos:

1# ASSISTENTE PESSOAL

Os aparelhos com Android já possuíam um tipo de assistente virtual, mas o Google nunca classificou o “OK Google” como tal. Isso mudou. Agora ela é uma ajudante muito parecida com as outras “meninas” como a Alexa da Amazon, a Cortana da Microsoft e a até mesmo a Siri da Apple.

O seu diferencial fica por conta deu seu entendimento contextual. Na prática, isso significa uma conversa mais humana. Você pode falar que está com fome e depois de ela te oferecer alguns lugares para comer, você pode somente dizer: “Gostei de tal opção. Faça uma reserva para hoje à noite” Ela vai entender que você estava falando dos restaurantes e reservará a sua mesa.

2# CÂMERA

Com 12.3MP e uma abertura de 2.0f, não parece lá grande coisa. Lembra a que seu concorrente iPhone 7 tem. Mas segundo o DXOMark (é uma pontuação padrão da indústria) a câmera do Google ganhou uma nota 89, a mais alta entre todos os smartphones hoje no mercado. Para ter certeza que ela é mesmo a melhor, teremos que esperar para ver quando o aparelho começar a ser vendido.

3# ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Ele conta com o melhor do mercado em hardware. Processador Snapdragon 821 Quadcore, 4GB de RAM, tela de 441p para a versão de 5 polegadas e 554p para a versão de 5,5 polegadas, NFC, USB-C, destravamento via impressão digital e Gorilla Glass 4. Isso tudo promete deixar o celular rápido e ligeiro durante as mais variadas tarefas. Com todo esse poder, ele concorre diretamente com o Samsung Galaxy 7 e iPhone 7. Briga boa, hein? E é claro que roda a última versão do Android.

4# PREPARADO PARA O DAYDREAM

Tem muita gente falando que o futuro está na realidade aumentada e na realidade virtual. O Google sempre esteve na crista dessa onda. Ele está com um novo projeto chamado de Daydream. É uma nova maneira de jogar, ver filmes e séries com seu celular. Tudo em 360º. É uma aposta arriscada, mas eu gostaria de ver Netflix e me sentir dentro de um cinema. O Pixel já vem pronto para ser usado com o Daydream, o que é perfeito para quem quer ser um dos primeiros na onda das novas realidades criadas pela tecnologia. Vale lembrar que ele será vendido separadamente e custará US$ 79.

googlepixel

5# QUALIDADE INDUSTRIAL

Ok, Ok. Não tem como não comparar: o Pixel é muito parecido com o iPhone 7. Os materiais, as linhas das antenas, até mesmo as cores. Mas isso não é de todo ruim. A Apple sempre foi conhecida por fazer hardware de primeira linha, então por que não beber um pouco dessa fonte?

Feito com alumínio com detalhes de vidro, passa ao usuário um sentimento de produto premium, de qualidade. Algo imprescindível em um smartphone de US$ 649. Também como o iPhone, o Pixel terá dois tamanhos, um de 5 polegadas e outro de 5,5 chamado Pixel XL.

6# SISTEMA COMPLETO

Lógico que deixei o melhor para o final. A maior razão que fará do Pixel um sucesso é o fato do Google controlar o hardware, o software e os serviços. Essa é uma das grandes razões que fazem a Apple tão bem sucedida. Quando você faz todos os componentes, a experiência do usuário é a melhor possível.

O sistema operacional é feito sob medida para aquele hardware, que por sua vez é feito sob medida para o sistema operacional. Entendeu? É o casal perfeito. Os serviços, como Google Music, YouTube e até o buscador, serão testados e calibrados para rodar perfeitamente nesse combo. O desenvolvedores sabendo disso, farão seus apps com o Pixel em mente. Não tenho dúvida que a experiência irá melhorar e muito.

CONCLUSÃO

No final das contas, é como nos sentimos usando um aparelho que faz dele bom ou ruim, não importa quantos processadores ou mega pixels ele tenha. Se você achar que está lento, ou dando as famosas travadinhas, isso de nada importa. Agora se tudo rodar com fluidez, você estará satisfeito. Só espero que o Google seja um pouco mais chato na aprovação de apps para o Android, com isso o Android no Pixel não terá mais vírus ou malware (pelo menos bem menos do que se tem hoje).

Google, dessa vez vocês acertaram em cheio. Estou gostando do movimento, deixar ideias malucas como Google Glass e Projeto Ara de lado para se focar no que realmente importa: a experiência do seu público. Eu, como applemaníaco de carteirinha, estou adorado que o iPhone terá um concorrente à altura. Isso só fará a Maçã se esforçar mais para fazer aparelhos ainda melhores.