Uma breve história do poker na Casa Branca

Pedro Nogueira
Pedro Nogueira Editor-Chefe

Gary Johnson é um político americano que defende abertamente a regularização do pôquer online em seu país. “O dinheiro é seu”, diz uma nota em seu site oficial, direcionada aos jogadores. “O governo não tem o direito de dizer a vocês como devem gastá-lo.” A frase faz alusão à Black Friday, quando os principais sites de pôquer online foram bloqueados no território americano. E assim eles continuam até hoje. “A Black Friday foi ridícula de A a Z”, declarou o republicano Johnson, 61 anos, numa entrevista.

Se “ridículo” é um adjetivo que pode ser usado para descrever a Black Friday, um outro seria “controverso”. Afinal, como proibir o pôquer online num país cuja galeria de ex-presidentes é repleta de jogadores? Alguns dos quais, por sinal, extremamente talentosos. Um deles, por exemplo, financiou sua primeira campanha ao congresso com o dinheiro das cartas. E não foi pouco dinheiro. Saiba mais sobre quem é quem no pôquer da Casa Branca.

1# Barack Obama (2009-presente)

Em 2007, um repórter da Associated Press pediu para Obama revelar algum “talento desconhecido” seu. “Sou um jogador de pôquer muito bom”, respondeu Obama. Em seu tempo de senador, ele frequentava uma mesa formada por políticos em Springfield, a capital de Illinois. Os cacifes eram modestos: numa noite de azar, perdia-se até 100 dólares. O que não era o caso de Obama. Segundo os parceiros da mesa, ele costumava sair no positivo.

2# Harry Truman (1945-53)

Ele começou a jogar pôquer na França, durante a 1ª Guerra Mundial, quando servia o exército americano. Nos anos de Casa Branca, Truman jogava com fichas decoradas com o selo presidencial. Seu local preferido para sediar a jogatina era o iate Williamsburg.

3# Lyndon Johnson (1963-69)

Johnson tentou, em 1946, quando ainda congressista, cavar um lugar na mesa do presidente Truman. O motivo, é claro, não era o dinheiro – mas a influência que isso poderia ter em sua carreira política. Como Johnson não conseguiu entrar, começou a promover seu próprio jogo.

4# Richard Nixon (1969-74)

Durante a 2ª Guerra Mundial, o tenente naval Richard Nixon ganhou muito dinheiro jogando 5 Card Draw (pôquer fechado) e 5 Card Stud (stick pôquer). Tanto dinheiro que financiou a sua primeira campanha para o Congresso, em 1946, com ele. “Com meu soldo, o lucro do pôquer e o salário de minha esposa”, disse Nixon, “conseguimos juntar 10 mil dólares durante a guerra.” Em valores atualizados, são cerca de 110 mil dólares.

5# Dwight Eisenhower (1953-61)

“Igual a Nixon, ele fez uma grande soma de dinheiro jogando pôquer nas bases militares”, escreveu o jornalista Garry Wills, biógrafo de Nixon. “Mas, diferente de Nixon, ele era tão bom que precisou parar de jogar com homens alistados; Eisenhower estava deixando muitos deles quebrados.”

6# Theodore Roosevelt (1901-09)

Ele ganhou acesso ao escalão médio do Partido Republicano, na década de 1880, numa mesa de pôquer em Nova York. “Sua intenção era ter acesso à máquina”, escreveu o historiador David McCullough, autor de sua biografia. Funcionou. Roosevelt foi o presidente mais jovem a assumir a Casa Branca, aos 42 anos.

7# Franklin Roosevelt (1933-45)

Assim como o seu primo de 5º grau Theodore, Franklin também era um jogador de pôquer. Ele jogava 5 Card Stud  com pingo de 5 cents (calculada a inflação, seriam 7 dólares hoje). O programa New Deal, criado por ele para recuperar a economia americana da Grande Depressão, teve seu nome inspirado num termo do pôquer: deal é o ato de distribuir as cartas na mesa. O New Deal, portanto, seria como uma “nova rodada” para a economia do país.

Nixon
Nixon financiou sua campanha ao congresso com as cartas