Opinião: “Nenhuma mulher desiste do amor sem avisar”

Senhores, hoje vimos um artigo muito interessante do poeta e cronista Fabricio Carpinejar, entitulado “Nenhuma mulher desiste do amor sem avisar”, no site do jornal “O Globo”. Gostaríamos de compartilhar alguns trechos com vocês, pois traz uma reflexão bastante útil para todo homem. Diz o seguinte:

No amor, existe o costume do homem dormir o filme inteiro e só se acordar no final. Muitos só se dão conta de que não estão sendo bons quando a esposa decide ir embora. Vem o desespero e a incompreensão da partida.

Realmente, quem nunca passou por essa experiência na vida, de achar que as coisas estavam indo bem no relacionamento, até o dia em que a namorada/mulher decide “de repente” terminar? Podemos até ficar surpresos com a decisão, mas a verdade é que os sinais já estavam lá. Carpinejar continua:

(…) Não reagiram a tempo, não identificaram as adversidades, fingiram normalidade, ocultaram a infelicidade alheia. (…) E são cara-de-pau de perguntar o que fizeram de errado. Não é mais um motivo, são vários, é tarde demais para listar e reaver a esperança.

Este é aquele momento em que, aos 45 minutos do 2º tempo, tentamos consertar as coisas. Mas o timing já passou. O desgaste do casal chegou ao limite e não tem mais volta. Diz o poeta:

(…) Por detrás de qualquer desistência, houve iniciativas anônimas e solitárias: choro, desculpas, retratações, insistência, conversas, cobranças, pressão, greve, barraco, ligações para os amigos. (…) O adeus nunca é abrupto, sempre é carregado de longas advertências.

A realidade é que muitas vezes somos desleixados com o que temos — e só damos valor ao perder. É aquela famosa história de entrar na zona de conforto. Durante a fase da conquista e sedução, você se esforça para ser a sua melhor versão: atenciosos, carinhoso, cavalheiro. Depois entra na rotina e começa a agir com descaso. Então Carpinejar conclui:

(…) Todo o fim traz uma justificativa. Se não sabe o que aconteceu, você não merecia mesmo a convivência.

Podemos tirar uma grande lição desta história: se você quer conservar o amor da sua parceira, continue sendo o mesmo homem que você foi na hora de conquistá-la. Ou o mais próximo possível, pelo menos.

As mulheres sempre dão sinais — seja de maneira direta ou indireta — quando estão insatisfeitas no relacionamento. Cabe a nós ficarmos atentos a isso e mudar de atitude antes que seja tarde demais. Senão vai ser aquela sofrência dramática quando ela for embora.

PS: Para quem quiser ler o texto completo do Carpinejar, ele está aqui

VÍDEOS EM DESTAQUE: