suporte familiar

Por mais suporte familiar e equidade de gênero

A participação dos homens nas atividades domésticas, que antes eram desempenhadas exclusivamente por mulheres, tem ganhado cada vez mais público. Este é um cenário que vem mudando significantemente e trazendo consequências positivas para o bem estar familiar, além de trazer incontáveis benefícios para pais e filhos.

Um dos cenários mais comuns dentro das casas das famílias brasileiras vem mudando nas últimas décadas. Antigamente, pais e mães desempenhavam papéis familiares diferentes em seus respectivos lares e um não interferia nas tarefas do outro. Enquanto mulheres ou mães eram responsáveis pela quase totalidade das atividades domésticas, homens ou pais desempenhavam atividades externas.

O cenário desigual dentro dos lares tem mudado expressivamente e hoje as horas investidas em hobbies, como apostas online, podem ser desfrutadas por pais e mães uma vez que o cuidado familiar e a divisão de responsabilidades têm se tornado mais igualitária. Um contexto familiar onde todos saem ganhando é sem dúvida um grande sonho a ser conquistado por homens e mulheres.

O pontapé inicial para o equilíbrio

Ainda há um longo caminho a ser percorrido em termos de equilíbrio nas jornadas de trabalho familiares, e isso nós já sabíamos. Mas também é importante estar atento a todas as ferramentas que reverteram este cenário e a outras ações que têm grande potencial de contribuição. A participação mais equilibrada de homens e mulheres no que diz respeito às despesas domésticas foi um grande passo, por exemplo.

Para continuar no rumo certo e benéfico para todos, homens têm tido uma participação cada vez mais ativa nas atividades desempenhadas dentro dos lares, revelando novos talentos masculinos em campos inesperados. Aliás, não é mais raridade ter aquele amigão do peito que é pai de família, cozinha, lava, passa, ajuda as crianças com as lições de casa.

Claramente o papel dos homens na criação dos filhos é um ponto a destacar no equilíbrio das tarefas domésticas. Pesquisas apontam que a responsabilidade relacionada ao cuidado parental ainda é massivamente materna, um cenário em plena mudança graças ao novo perfil masculino do século 21. Sim, é aquele mesmo amigão do peito que não pode sair para a balada com você na sexta-feira à noite porque tem apresentação dos filhos na escola durante a manhã seguinte.

É importante mencionar que o papel masculino vai além de atividades como pegar os filhos na escola ou aquela brincadeira despretensiosa com as crianças em um final de tarde. Consultas ao médico com o neném recém-nascido tem sido lideradas por pais, e pasmem, a presença da mãe não as classifica como menos cuidadosas ou amorosas quanto aos filhos, o que parece muito justo!

Todos saem ganhando

Parece que aquele cenário onde pais passam longos turnos de trabalho fora de casa e longe dos filhos está com os dias contados. Um motivo para comemorarmos, já que a não participação dos pais resulta em um empobrecimento do desenvolvimento dos filhos já nos estágios iniciais. Mas infelizmente a legislação brasileira está aquém de ajudar pais e mães rumo ao equilíbrio.

Pais são precocemente afastados dos filhos quase que por determinação da Constituição Federal, que prevê uma licença paternidade de apenas 20 dias. Ou seja, um período fundamental para o desenvolvimento de vínculos entre pais e filhos é ceifado antes mesmo de começar! E é claro que tudo isso traz consequências para o relacionamento de ambos.

Por isso é importante estarmos atentos às possibilidades de expandir a participação masculina nos estágios iniciais de desenvolvimento dos nossos filhos. Um contexto em que todos ganham, em especial os futuros adultos que resultarão de filhos com pais mais presentes. Para os filhos, o ganho inclui melhor desempenho nas atividades escolares, nos relacionamentos sociais, e o aumento nas chances das crianças se tornarem adultos mais sociáveis e saudáveis mentalmente.

Afinal, diminuir a carga de trabalho doméstica para os parceiros tanto dentro quanto fora de casa e ainda assim ter uma participação efetiva na criação dos filhos, contemplando cada etapa de desenvolvimento, parece o sonho de qualquer pai-herói, não é mesmo? Além do mais, ver a qualidade de vida dos filhos aumentando graças à sua participação nas mais diferentes esferas da vida infantil parece um cenário perfeito! Principalmente se você almeja uma família feliz como aquelas tão comuns em comerciais de televisão.