Por que todo homem deveria ler “A Arte da Guerra”

O livro “A Arte da Guerra” é uma das obras literárias mais antigas do mundo. Foi escrito pelo general e estrategista chinês Sun Tzu no século 5 a.C.

Nestes 2,5 mil anos de existência, o livro serviu como manual para situações bélicas e, mais recentemente, virou também uma bíblia dos executivos.

Grandes líderes históricos, como Napoleão Bonaparte, e incontáveis CEOs de empresa, tais como Steve Forbes (da editora Forbes) e Evan Spiegel (do Snapchat), tiveram seus pensamentos influenciados pela filosofia de Sun Tzu.

Mas como uma obra tão antiga, focada no universo militar, poderia ajudar na carreira de alguém em pleno século 21?

A SEMELHANÇA DO TRABALHO E DA GUERRA

O negócio é que a cultura corporativa contemporânea se assemelha bastante ao ambiente de uma batalha. Por isso as estratégias apresentadas no livro podem ser traduzidas para mundo de negócio, ajudando uma empresa — e seus líderes — a triunfarem em sua área.

O livro destaca, por exemplo, a importância de conhecer seus inimigos/concorrentes durante uma guerra/disputa comercial. Só assim para adotar as táticas mais efetivas visando o triunfo.

Outro ponto abordado em “A Arte da Guerra” é o valor de agir usando a lógico em vez das emoções, criando um processo de tomada de decisões mais eficaz.

Estas são apenas alguns exemplo, porque nas páginas do livro há dezenas de lições úteis para se desenvolver profissionalmente.

Por isso todo homem que deseja se destacar na carreira — e virar uma peça importante na empresa em que trabalha — deveria aprender os ensinamentos de Sun Tzu.

VÍDEOS EM DESTAQUE: