Se você gosta de futebol, vai ficar maluco para jogar esse novo esporte

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Parcerias

Eu amo futebol. Infelizmente não temos espaço para construir um campinho aqui na redação. Mas me serve de consolo ter uma mesa de ping-pong, pois também gosto desse esporte.

Então quando eu conheci o Teqball fiquei maluco, já que essa é uma nova prática que mistura os dois. É tipo jogar futebol numa mesa de ping-pong.

Loucura? Nem tanto…

Conforme fui me aprofundando na pesquisa, descobri que esse não é um novo esporte que está sendo criado na raça e “da forma que dá”. O Teqball é algo sério. Ou pelo menos, se ainda não é, seus criadores estão querendo que seja.

O esporte foi desenvolvido na Inglaterra no ano passado e não tem a intenção de tomar o lugar do futebol – o que, óbvio, seria a pior estratégia do mundo para se propagar uma prática. Pelo contrário, o Teqball foi desenvolvido para auxiliar os praticantes do esporte mais popular do planeta a aprimorarem sua técnica.

Quer ver? Olha só o que eles dizem lá no site oficial:

O Teqball não é um concorrente para o futebol. Justamente o oposto, é uma ferramenta de suporte para melhorar suas habilidades e manipulação da bola no ar. Te ajuda a jogar com mais confiança e desenvolve tomadas de decisões mais ágeis. Te ajuda a aprimorar no fundamento do domínio e eventualmente te faz ser um jogador mais confiante, espetacular e habilidoso.

Se cumprir com o que promete está ótimo, não?

teqball-2-el-hombre

O interessante é que o desenvolvimento do esporte não foi feito no achismo. O formato da mesa, por exemplo, que é curvado para baixo, foi cientificamente pensado, levando em conta a matemática e a física e passando por testes empíricos para checar se os cálculos davam certo.

Essas medições todas foram consideradas para que a bola, sempre que bata na mesa, esteja ao alcance dos jogadores – caso contrário o esporte estaria fadado ao fracasso.

Foram precisos 2 anos para que a mesa, que tem a rede de policarbonato (um material rígido), fosse desenvolvida.

O que favorece o aprimoramento da técnica é a dinâmica do jogo. As regras e o formato da mesa forçam os jogadores a terem que controlar a bola a cada 2-3 segundos. Ou seja, não dá nem tempo de pensar direito no que se vai fazer, então os movimentos vão ganhando características automatizadas.

A REGRA

Não vou falar sobre todas as regras do esporte, porque são muitas. Foi desenvolvido um documento de 23 páginas com todas as regulamentações do Teqball. Ali está anotado tudo o que se precisa saber sobre o esporte. Até sobre doping se fala nesse documento, para você ter uma ideia.

Pois é, eles não estão de brincadeira.

Mas, basicamente, é tipo ping-pong: você tem que passar a bola para o outro lado da mesa. Pode usar todas as partes do corpo para isso (sem tocar duas vezes seguidas com a mesma parte), com exceção de braços e mãos, e são permitidos no máximo 3 toques.

O resto são detalhes importantes para quem for praticar (tipo regras de saque e tal).

É possível jogar no mano a mano, em duplas ou até em mais pessoas. A bola que se utiliza é de futebol de campo.

Tanto a regra quanto a mesa foram pensadas para que a sorte não seja um fator a influenciar nos resultados – apenas a habilidade.

Mas o legal é que eles mesmo falam que você pode desenvolver a sua própria regra, se assim o desejar.

Liberdade é sempre bom!

teqball-3-el-hombre

MENSURANDO A HABILIDADE

Já que esse é um esporte que serve como uma ferramenta de treino para o futebol, os caras pensaram em um recurso bem interessante – é o que eles chamaram de Teqbox.

Esse é um equipamento cheio de sensores e câmeras que é instalado ao redor da mesa e que registra os movimentos dos jogadores e da bola para fazer uma leitura técnica de suas habilidades. A tecnologia é incrível. Ela rastreia posição, velocidade e aceleração da bola, a forma como o jogador toca na pelota e vários outros aspectos técnicos.

Também é capaz de ver se os jogadores descumpriram as regras, contar os pontos de cada partida (isso, tipo um juiz mesmo) e, claro, mostrar o replay das jogadas.

É um ótimo recurso extra para quem quer realmente levar a sério o aprimoramento de suas técnicas.

O Teqball ainda não é muito conhecido – principalmente aqui no Brasil. Mas a equipe está fazendo uma campanha de marketing bastante forte, divulgando o esporte em vários países.

Se gostou, pode pedir uma mesa lá no site e acompanhar o trabalho deles no Facebook e no Youtube. A brincadeira vai sair um pouco cara – 2400 euros com pedidos abertos para outubro -, mas se puder vai valer a pena.

Já estamos loucos para instalar uma por aqui!