Sou muito ciumento, o que devo fazer?

O ciúmes é um sentimento perigoso, capaz de desgastar até o mais feliz dos relacionamentos. Mas paradoxalmente, trata-se de algo absolutamente natural, que todos nós temos. A questão está na dosagem, que se for muito alta, traz diversos prejuízos para a nossa vida.

Mas o que seria o ciúmes, exatamente? Podemos dizer que é um sentimento de insegurança que vem do medo de perder alguém. Ele provoca um conjunto de emoções, pensamentos e comportamentos que se manifesta de uma maneira individual em cada pessoa.

Você já reparou como estamos acostumados a falar “minha namorada”, “meu irmão”, “meus amigos”? Repare como sempre colocamos o pronome possessivo na frase. É exatamente neste terreno que o ciúmes se manifesta.

Está em nosso instinto querer defender o que acreditamos ser nosso. É uma herança que remete aos primórdios da humanidade. Só que não vivemos mais na pré-história para deixar esse sentimento cegar a nossa razão.

O ciúme é uma ameaça a qualquer relação – seja entre pais e filhos, amizades ou relacionamentos amorosos. E, nos últimos tempos, ele piorou com a popularização das redes sociais, fazendo esse sentimento aflorar em muitas pessoas. Um simples like numa foto pode, às vezes, resultar numa briga de proporções épicas.

OS TIPOS DE CIÚMES

ciúmes

Se o ciúmes é algo tão perigoso, o que eu posso fazer para não cair nesta cilada? Em primeiro lugar, devemos compreender que existem diversos tipos de ciúmes. Listamos abaixo os mais conhecidos, do mais inofensivo ao mais extremo deles:

CIÚME ZELOSO ➤ É o tipo de ciúme aceitável na relação. Ele não causa transtornos ao casal. Sendo equilibrado, é até saudável. É um ciúme leve e passageiro, que não resulta em brigas ou privações por nenhuma das partas. Pode até ser interpretado como uma dose de carinho, fazendo com que a companheira se sinta valorizada no momento.

CIÚME EMOCIONAL ➤ Aqui já não é tão saudável, pois pode acarretar em discussões mais sérias. Geralmente, ocorre com alguém que já traiu ou foi traído, projetando o passado nas atitudes da nova parceira, imaginando que ela também seja infiel. Geralmente acontece quando a parceira está numa interação social — e você já fecha a cara só porque ela está se divertindo. O ciumento aqui geralmente é inseguro.

CIÚME PASSIVO ➤ Essa é uma forma perigosa do sentimento. Você sente ciúmes da namorada, mas não admite. Prefere sofrer calado. Com isso, certamente seus nervos ficarão à flor da pele, te deixando sempre irritado e com raiva. A maioria das vezes, este tipo de ciúmes está atrelado à baixa autoestima e insegurança. O correto é conversar com a parceira, ver o ponto de vista dela. Afinal de contas, relacionamento não é feito somente de uma pessoa, não é?

CIÚME MULETA ➤ Aqui ocorre uma espécie de jogo mental, em que você manipula a pessoa para agir de acordo com as suas vontades. Você diz que, se ela fizer alguma coisa específica, isso te deixará triste, chateado, infeliz. A vítima do ciúme acaba achando que ela é a culpada por este sentimento do parceiro — e acaba vivendo à mercê dele. É como se o casal passasse a ser uma pessoa só, o que não é nada saudável para a relação.

CIÚME OBSESSIVO/CONTROLADOR ➤ Cuidado. Quando o ciúme chega ao nível de você mexer nas redes sociais da parceira, para saber com quem ela está falando, você está invadindo a intimidade dela. No ciúme obsessivo, você fica buscando sinais de que ela tem um amante, mesmo que não exista uma razão real para pensar isso. Outro aspecto dele? Você priva a pessoa de algo que ela queira fazer, como usar determinada roupa ou ir em algum lugar.

CIÚME PATOLÓGICO ➤ É o ciúme doentio. Além de querer saber tudo sobre a vida da parceira, você desconfia de cada palavra ou atitude dela. Além disso, há uma grave ansiedade em querer controlar tudo que a envolve, na maioria das vezes sufocando a pessoa, chegando ao ponto de afasta-la. Você está sempre procurando “provas” de uma traição, olhando carteiras, recibos, bolsa, etc. Como se não bastasse, em alguns casos a agressão e a violência começam a fazer parte do relacionamento.

SÍNDROME DE OTELO ➤ Este é o caso mais sério entre todos, sendo mais comum nos homens do que nas mulheres. É um distúrbio que tem como características pensamentos delirantes de que você está sendo traído e enganado. Tem como sintomas a insônia, a dificuldade de se concentrar em qualquer atividade, além de agressões e ameaças. Tem este nome pois foi inspirado na obra de William Shakespeare, que se passa na Itália do século XV. Conta à história de Otelo, um general que se convence da infidelidade da esposa — e sofre de um ciúme tão intenso que o leva a matar a sua própria esposa.

COMO IDENTIFICAR O CIÚME EXAGERADO?

ciúmes

Agora que listamos os diferentes tipos de ciúmes, você deve estar se perguntando em qual você se enquadra, correto? Para chegar à resposta, você precisa de fazer uma autoanálise honesta. Conversar com pessoas que convivem com você às vezes ajuda, também. E, se necessário, o auxílio de um psicólogo é bem-vindo.

O fato é que todo mundo sente ciúmes em algum nível, por menor que seja. Mas isso não significa que seja impossível controlá-lo. O ciumento acredita que, ao controlar sua parceira, isso vai fazer com que ela permaneça a seu lado para sempre. Mas não é o que acontece. As chances disso afastá-la de você são grandes. E, se realmente ela ficar, provavelmente estará infeliz.

Nosso conselho para você é que não se deixe levar pela imaginação. Se sua parceira escolheu você, é porque ela deposita confiança neste relacionamento. Retribua isso a ela. Além do ciúme fazer mal para o relacionamento, deixa você à mercê do medo e da insegurança. E você não quer viver nessas condições, né?

Para lidar melhor com a questão, você precisa identificar os motivos por trás deste sentimento. Na maioria das vezes, o ciúme acontece com pessoas que já tiveram alguma experiência anterior com uma traição. Mas isso não é tudo. Ele pode estar relacionado a traumas, baixa autoestima e complexo de inferioridade.

Não deixe a insegurança e o medo falarem mais alto do que a razão. Faça uma boa reflexão para compreender as raízes do seu ciúme. E, feito isso, temos alguns conselhos a seguir que podem ajudá-lo a ser menos ciumento.

COMO LIDAR COM O CIÚMES?

ciúmes

Como mencionamos antes, um ciúme leve é saudável. Não vai prejudicar o casal. Mas se perceber você que está ultrapassando os limites — e tendo brigas com muita frequência no relacionamento — se concentre nas dicas a seguir:

NÃO SE PRENDA AO PASSADO ➤ Não é porque você já foi traído, ou passou por algo parecido, que isso voltará a acontecer com você. Lembre-se de que as pessoas são diferentes e únicas, assim como os relacionamentos.

DESENVOLVA SUA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL ➤ É fundamental você se conhecer. Enfrente os sentimentos negativos como a insegurança e o medo do se relacionar. Além de não fazerem bem a você, estragam a convivência do casal.

CIÚMES NÃO É SINÔNIMO DE AMOR  Você pode até achar que essa é uma forma de demonstrar seu sentimento por ela, mas isso é um erro. Quer expressar seu amor? Dê carinho, seja companheiro e confie no relacionamento.

NÃO ACHE QUE ELA É UMA “CONQUISTA” ➤ Sua parceira é a pessoa que estará ao seu lado — pelo menos em teoria — para qualquer obstáculo da vida. Não a trate como uma vitória, querendo que ela seja sua propriedade. Se ela escolheu você como parceiro dela, aja de acordo: sendo um parceiro. Isso deixará o relacionamento bem mais leve.

O PLANO É SER FELIZ ➤ Sempre se questione: por que estou sofrendo ao lado da pessoa que eu amo, se o que eu busco é ser e fazê-la feliz? Se vocês estão sofrendo, tem algo de errado aí. Tente detectar de onde vem este sofrimento tóxico e faça uma reflexão sobre o que está acontecendo.

DEDIQUE TEMPO A VOCÊ ➤ Mesmo num relacionamento, é de extrema importância dedicar tempo a você. É necessário amar a si próprio, cuidar da sua autoestima. Esse é um passo importante para acabar com sua insegurança.

PRATIQUE A CONFIANÇA ➤ Se você entrou em um relacionamento, é porque confia naquela pessoa, correto? Pratique confiar na sua parceira. Confiança é um dos pilares para a construção de um relacionamento saudável.

INVISTA NO DIÁLOGO É importante cultivar o hábito de conversar e expressar os sentimentos. Se algo incômodo acontecer, é mais fácil consertar isso na base da conversa do que sofrendo calado.

COGITE FAZER TERAPIA Se você perceber que um ciúme exagerado persiste em sua vida — e que você não consegue lidar com ele — o ideal é procurar alguém especializado para ajudá-lo. Cogite fazer terapia. O ciúme pode virar uma obsessão ou delírio. Neste caso, somente o acompanhamento de um profissional pode resolver.

PALAVRAS FINAIS

Por mais que todo mundo tenha uma dose de ciúmes, esse é um assunto sério e que precisa ser discutido. Tenha consciência de suas atitudes. Seu maior inimigo é você mesmo. Sentir ciúme exagerado estraga seu relacionamento e sua vida. Tenha consciência destes riscos e lute para superar isso, buscando ser o melhor para você e sua parceira.