Swatch Sistem51 // Relógios Históricos #3

Antes de existirem os relógios de quartzo — ou seja, aqueles que utilizam bateria para funcionar — havia apenas relógios mecânicos, os quais operam por meio de um sistema complicado de engrenagens que se movem a partir da liberação da energia cinética armazenada em uma mola, marcando, com precisão, o passar do tempo.

No mundo da horologia, relógios mecânicos são comumente associados a marcas caras, quase inacessíveis à maior parte da população. É um hobby deveras purista e restrita, tendo em vista que — guardadas as devidas proporções — tal qual um carro, o mecanismo de um relógio mecânico necessita de manutenções periódicas.

Então, as especificidades de cada modelo; os custos de aquisição e de manutenção; e a carência de profissionais qualificados afastam muitos potenciais consumidores de apreciarem um relógio mecânico.

Ocorre que, em uma época com tantos outros meios mais eficazes de contar as horas, como o smartphone, a Swatch — aquela marca suíça famosa por seus relógios com caixa de plástico e design descolado — reinventou-se e ousou revolucionar a indústria do relógio mecânico.

Em 2013, na feira de Baselworld, a companhia apresentou seu novo relógio mecânico, ou melhor, sua nova gama de relógios mecânicos, que utilizam o novo mecanismo desenvolvido pela companhia suíça.

O SISTEM51 é um relógio automático, ou seja, o balançar do pulso gera energia para que o mecanismo funcione por si só, sem o uso de baterias.

Existem diversas opções de cores e estilos, com caixa de plástico (SISTEM ORIGINALS) ou de aço inoxidável (SISTEM IRONY), com pulseiras de silicone ou de couro sintético; ou bracelete de metal. Todos apresentam resistência a água de 3 atm e visor de acrílico, tanto na frente quanto atrás, permitindo a visualização do funcionamento do relógio.

Com um mecanismo composto por apenas 51 peças – daí a origem do nome – sua produção é feita na Suíça de forma totalmente automatizada, ou seja, sem utilização de mão de obra humana. Além disso, esse mecanismo consegue ter até 90 horas de reserva de energia, o que é um número considerável, tendo em vista que os relógios mecânicos possuem comumente reserva de 34 a 54 horas.

Essa nova tecnologia possui também 17 patentes pendentes.

Ocorre que nem tudo é perfeito: o SISTEM51 é hermeticamente fechado, logo não é possível realizar a sua manutenção periódica, tampouco substituir alguma peça em caso de quebra.

Além disso, pelo seu preço, não há modelos com maiores funcionalidades tampouco com materiais nobres. Em caso de quebra, substituir é o que te convém. Eis o reflexo de uma época de produtos descartáveis e obsolescência programada.

O advento do SISTEM51 conseguiu romper com diversos paradigmas da indústria relojoeira, principalmente em termos de fabricação.

Com um preço sugerido de U$$ 150, o SISTEM51 não tem pretensões de competir com players da haute horlogerie, todavia permite que pessoas que desejam ingressar no mundo dos relógios mecânicos possam apreciar um bom movimento sem ter de desembolsar uma grande quantia.

Certamente, é um relógio que veio para abalar o mercado e ficar para a história.

PS: Atualmente, os modelos Tissot das coleções Everytime Swissmatic e Gentleman Swissmatic utilizam o movimento baseado no SISTEM51, com código C15.111.

VÍDEOS EM DESTAQUE