Estou desempregado, o que faço? 7 conselhos fundamentais

O mercado de trabalho no Brasil está passando por um período turbulento. A taxa de desemprego no país é de 11,8% atualmente. Em números absolutos, são mais de 12,6 milhões de pessoas em busca de uma recolocação profissional. O que fazer caso você esteja desempregado também? É sobre isso que vamos falar hoje aqui no El Hombre.

Como dizem os filósofos, vamos começar pelo começo. Quando você está desempregado, existe um perigo real de não ter dinheiro para pagar as contas no final do mês. Além das implicações óbvias que isso provoca — como cortarem sua água, luz ou telefone — há também um risco alto para a saúde mental. Um levantamento do SPC Brasil revela que, entre os desempregados, um porcentual altíssimo deles apresenta:

  • Ansiedade: 70%
  • Estresse: 64%
  • Desânimo: 60%

E, obviamente, esses sintomas dificultam ainda mais a vida da pessoa na hora de conseguir uma vaga de trabalho. O pior? Os traços tendem a se agravar conforme o tempo passa. Então conseguir alguma coisa que (1) ocupe a sua cabeça e (2) pague as suas contas é de grande importância no curto prazo.

FAZENDO ALGUNS BICOS

desempregado

Você já ouviu falar no termo “uberização”? Esse é um movimento que, influenciado pelo modelo de negócios da Uber, tem transformado o mercado de trabalho. Trata-se da cultura de fazer “bicos“, digamos assim, sem um vínculo empregatício com uma empresa.

No longo prazo, isso é ruim para o trabalhador. Afinal, você perde os seus direitos trabalhistas. Se ficar doente e não conseguir trabalhar, por exemplo, não terá salário nesse período. Por outro lado, no curto prazo, essa uberização pode ajudar a levantar algum dinheiro rápido. Algumas possibilidades?

➤ UBER: Se você tem carteira de motorista, fazer algumas corridas no Uber pode ser boa ideia.

➤ RAPPI: Para os motociclistas (ou ciclistas), realizar entregas pelo Rappi é outra alternativa.

Muitas plataformas de freelancer também foram lançadas recentemente, nas quais você consegue oportunidades de trabalhos pontuais. Neste caso, atuando dentro da sua área. Além da remuneração, isso vai ajudá-lo a expandir o seu networking, podendo resultar numa vaga fixa no futuro. Algumas das plataformas mais conhecidas são:

CORTANDO GASTOS

desempregado

Em momentos de incerteza, é fundamental cortar gastos antes do seu dinheiro acabar. Não adianta esperar a grana chegar ao fim para adotar mudanças no seu estilo de vida. (Apesar de que isso é melhor do que continuar gastando depois.) Perdeu seu emprego? Faça agora mesmo uma boa redução nas suas contas, mantendo apenas os gastos essenciais. Busque preservar o dinheiro da sua rescisão pelo maior tempo possível. Uma planilha financeira ajuda bastante com isso.

Conforto é bom e todo mundo gosta. Mas sabe o que é ainda melhor do que conforto? Paz de espírito. Saber que você terá dinheiro suficiente para pagar as contas básicas, pelo menos, vai te fazer dormir mais tranquilo. Assim você terá mais energia inclusive para procurar outro emprego. Não deixe a água chegar ao seu pescoço para adotar mudanças.

HORA DO DESAPEGO

desempregado

Uma excelente estratégia para levantar um dinheiro é se desapegando de roupas, acessórios, eletrodomésticos e tudo que estiver parado na sua casa. Quando estamos ganhando dinheiro, é natural comprar algumas coisas que nem temos tanta necessidade assim. Agora que você está desempregado, é hora de se desfazer delas.

Como vendê-las? Você pode anunciar para seus amigos no Facebook; ou em grupos do WhatsApp; e também em sites especializados. O Enjoei é um dos mais famosos. Tem também a OLX e o Mercado Livre. Essas vendas podem proporcionar uma grana muito bem-vinda.

SE PRECISAR PEDIR DINHEIRO EMPRESTADO…

desempregado

Às vezes não tem jeito: você terá que pedir dinheiro emprestado para pagar as contas, enquanto não arruma trabalho. Não é o cenário ideal, mas acontece. Como lidar com essa situação? Primeiro, não se sinta “menor” por isso. Até mesmo Mark Zuckerberg já pediu dinheiro emprestado, sabia? E Jeff Bezos. E muitos outros caras que, hoje, são exemplos de sucesso.

Você deve ter uma total transparência quando pedir o empréstimo. Explique a situação; fale o que você está fazendo para contorná-la; e dê um prazo de pagamento que é realista. Melhor ser realista, dizendo “3 meses”, do que ser otimista demais (“2 semanas”) e não conseguir cumprir depois.

Lembre-se que “empréstimo” não é sinônimo de “doação”. Tenha respeito pelo dinheiro alheio. Isso significa que você deve usar essa grana para os gastos essenciais — e nada mais do que isso. Não dá para tomar cerveja no bar com dinheiro emprestado, né? Ou comprar roupa nova. Tenha noção, por favor.

E trate o pagamento dessa dívida, depois, como uma prioridade. Você conseguiu trabalho? Excelente. Assim que você estiver com dinheiro nas mãos, pague suas contas básicas — e quite uma parcela da dúvida. Ou quantas você conseguir. Enquanto você não zerar isso, nada de ficar comendo fora ou comprando coisas supérfluas. Seja respeitoso com quem te emprestou dinheiro. Até porque, assim, se você precisa de novo no futuro, as portas estarão abertas para você.

Ainda nesse quesito de respeito a quem está te emprestando dinheiro, você está assumindo um compromisso de fazer o seu melhor para buscar um emprego. Se esforçar de verdade, não ficar esperando uma oportunidade cair do céu. Como fazer isso? No próximo item vamos falar melhor.

PROCURANDO EMPREGO COM EMPENHO

Existem duas maneiras de procurar emprego. Uma delas é com preguiça. Mandar dois ou três emails no dia, torcendo para que dê certo. A outra é com empenho. E como seria esta segunda? Perseguindo uma oportunidade com toda a sua energia. Em primeiro lugar, cadastre-se em todos os sites possíveis de vaga. Alguns deles são:

O Linkedin também merece a sua atenção. Essa é uma rede social voltada para o mercado de trabalho. Várias empresas recrutam colaboradores por lá.

Mas isso é tudo? Não. Essa é a hora de acionar, também, seu networking. Fale com amigos e colegas que você está em busca de uma oportunidade profissional. Pergunte se eles estão sabendo de alguma coisa. Quem sabe não pinta algum trabalho disso?

Coloque também as suas pernas para trabalhar. Isso é fundamental. Não se limite a mandar currículos pela internet. Vá para a rua. Ande pelos shoppings e centros comerciais, muitas lojas colocam placa na vitrine quando estão com vaga. Fique atento a isso.

E não seja tímido. Entre em lojas e diga a algum vendedor que você está procurando emprego. Dá vergonha? Sim. Mas na pior das hipóteses, ele vai dizer “não” e você nunca mais vai encontrá-lo em sua vida. E, na melhor, você vai conseguir um emprego. Não custa tentar, né?

Por fim, abra a cabeça para trabalhar com coisas que você talvez nunca tenha imaginado antes. Esse é um período de transição, em que você precisa pagar as contas. Simples assim. Qualquer trabalho que te proporcione isso será bem-vindo. Depois, com a devida calma e dinheiro na conta, você pode paralelamente buscar por vagas melhores.

MANTENDO-SE PRODUTIVO

desempregado

Estar “desempregado” e ser “improdutivo” são duas coisas bem diferentes. Que tal aproveitar esse período para se atualizar profissionalmente? Isso inclusive pode abrir muitas portas para a sua carreira no futuro. Há algumas atitudes simples com um grande potencial envolvido. Por exemplo:

LIVROS: Leia bastante sobre produtividade, negócios e sua área de trabalho. Ok, você está sem dinheiro. Mas pode pegar numa biblioteca. Ou, então, assinar o Kindle Unlimited da Amazon. Custa R$ 19,90 por mês e você tem acesso a mais de 1 milhão de títulos. É só baixar o app do Kindle para o seu celular e ler nele. É um investimento que vale muito a pena.

➤ CURSOS: Muitas instituições oferecem hoje cursos gratuitos pela internet. Algumas exemplos? A FGV; a USP; o Sebrae; o Senai; a Fundação Bradesco; e a Unesp, entre outras. Até mesmo universidades internacionais como Harvard têm cursos online de graça. Você não fala inglês ainda? Ótima oportunidade de aprender, por exemplo com o Duolingo.  E fique de olho, porque algumas prefeituras e ONGs também oferecem às vezes cursos e workshops presenciais gratuitos, vale super a pena.

Essa rotina de estudos vai proporcionar grandes benefícios para você. Você será um profissional mais completo e capacitado; além de se manter ativo, o que é ótimo para a cabeça. Isso diminui a chances de você ficar ansioso ou depressivo com a situação do desemprego. Afinal, estará aproveitando esse tempo para se atualizar e, até mesmo, se reinventar.

Na hora de estudar, também amplie seus horizontes. Qualquer aprendizado novo é bem-vindo. Leonardo da Vinci, por exemplo, era famoso por ser engenheiro, pintor, matemático, botânico e muitas outras coisas. O conhecimento que você adquire numa área pode, de maneira inesperada, ser útil em outra diferente.

PLANO DE LONGO PRAZO

desempregado

Esses tópicos que abordamos acima são focados, especialmente, no curto prazo. Ou seja? Arrumar uma fonte de renda, o mais rápido possível, para conseguir pagar as contas no final do mês. Mesmo que a vaga não esteja diretamente ligada à sua área de atuação original.

Pronto, você conseguiu um emprego, seja lá qual for? Ótimo. Agora pode começar a traçar  um projeto de longo prazo, que permita a você encontrar algum trabalho que (1) se alinha com seu propósito de vida e (2) que tenha uma boa perspectiva de retorno financeiro mais para frente. Mas como traçar esse plano de carreira?

➤ AUTOCONHECIMENTO: A primeira etapa diz respeito ao autoconhecimento. Ou seja, reconhecer seus talentos e interesses, para saber em qual direção deve direcionar os esforços. Faça também uma análise de mercado. Veja quais são carreiras com boas perspectivas para o futuro.

➤ ESTUDOS: Feito isso, comece a estudar depois do expediente de trabalho. Pode ser uma faculdade presencial ou online; cursos curtos; workshops; leitura de livros; e assim por diante. Tudo dentro das suas possibilidades, claro, tomando cuidado para não se sobrecarregar. Isso é importante. Sua prioridade é o trabalho atual. Estude de acordo com sua disponibilidade, sem exagerar na dose, mas sem ser preguiçoso também. O segredo está no equilíbrio, como sempre.

BUSCA DA OPORTUNIDADES: Lembra daquela busca frenética por trabalho sobre a qual falamos anteriormente, quando você estava desempregado? Agora você pode ter mais calma e ser mais seletivo. Afinal, já está trabalhando. Então a única coisa que te interessa é uma vaga melhor. Fique sempre de olho em vagas e empresas que podem te proporcionar esse salto na carreira. Vá enviando seu currículo e, quando pintar a chance, aí você faz a mudança de empresa.

Lembrando que há outras possibilidades de carreira, como (1) empreender com seu negócio próprio e (2) prestar concurso público. Se você quiser estes caminhos — que têm certas vantagens e desvantagens, como tudo na vida — a lógica é a mesma. Vá traçando seu plano de negócios ou estudando para o concurso nas horas vagas do trabalho, afinal é ele que paga suas contas hoje. Com a devida paciência e esforço, você vai acabar conquistando o seu objetivo, mesmo que demore um pouco.