diego costa
diego costa

O centroavante que a Espanha quer roubar de nós

A briga por um dos postulantes a destaque na Copa do Mundo de 2014. Espanha e Brasil travam uma disputa mesmo antes da bola rolar. Tudo para contar com o futebol que tem encantado a todos na Europa, o do brasileiro (ainda não definido se naturalizado espanhol) Diego Costa, do Atlético de Madrid. E esta é uma batalha que vale a pena e arrisco a dizer que quem ganhá-la terá um ponto chave em suas campanhas no Mundial. Diego é bom de bola e vale o investimento.

As federações dos dois países, atualmente com a rivalidade acirrada em campo, sobretudo depois dos 4 a 0 do Brasil na final da Copa das Confederações, querem contar com o futebol do camisa 9 do rival do Real Madrid. O problema agora ficou para a Fifa resolver. A Espanha alega que o atacante nunca disputou uma partida oficial por nenhuma seleção de base brasileira ou principal. O Brasil, por sua vez, justifica que Diego jogou os amistosos contra a Itália e Rússia neste ano e que não pôde convoca-lo para um jogo oficial por conta da Seleção não disputar as Eliminatórias Sul-Americanas para Copa do Mundo, já que tem vaga assegurada por ser o país sede.

Em recente entrevista, Diego, ao Estadão, disse que seu sonho sempre foi defender a Seleção Brasileira. Mas não é bobo, muito menos quer perder a chance de disputar o Mundial no Brasil. Ele viu que Felipão não lhe deu mais chance e, por tal, mostrou interesse no pedido para defender a Espanha feito pelo treinador Vicente Del Bosque, campeão mundial de 2010 com a Roja. Depois disso, a CBF se mexeu para não reforçar o grande rival para a Copa. Diego, por sua vez, afirmou que se depender dele usa as cores da Espanha. Cabe, agora, à FIFA tomar a decisão.

Tenho visto os jogos do Campeonato Espanhol há um bom tempo, já que sou torcedor simpatizante do Atlético de Madrid, e tenho acompanhado de perto as atuações de Diego. Eu já o queria na seleção brasileira, mesmo antes da convocação feita por Felipão neste ano. Ele é um jogador que, pela sua experiência e técnica, pode nos ajudar muito. Os zagueiros têm muita dificuldade em marcá-lo e sabe finalizar muito bem. Um verdadeiro, e bom, centroavante.

Caso dê certo sua naturalização espanhola e ele dispute o Mundial pela Roja, Diego será o novo Mazzola do futebol mundial. Marcante atacante do futebol brasileiro e italiano nos anos 50 e 60, José João Altafini, o Mazzola, nascido em Piracicaba, interior paulista, era titular da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1958 até perder a posição para Vavá. Depois, por dinheiro, mudou sua nacionalidade e disputou a Copa do Mundo seguinte pela seleção italiana. Disputou o Mundial, mas não teve a chance de estar no elenco bicampeão mundial.