RIP

RIP Paul Walker (1973–2013)

Pedro Nogueira
Pedro Nogueira Editor-Chefe

Triste notícia, senhores: Paul Walker nos deixou. Ele morreu na tarde deste sábado, aos 40 anos, vítima de um acidente de carro no sul da Califórnia. As primeiras informações foram do TMZ, o mesmo site de celebridades que noticiou em primeira mão a morte de Michael Jackson e James Gandolfini, entre outros.

A batida ocorreu por volta das 15h30 do horário local (21h30 de Brasília). Segundo o site, Paul e um amigo estavam num Porsche Carrera GT em alta velocidade quando o carro perdeu o rumo, bateu num poste de luz em Santa Clarita, ao norte de Los Angeles, e pegou fogo. Tudo indica que eles morreram na colisão, não queimados.

“Lamentamos confirmar que Paul morreu em um trágico acidente de carro durante um evento beneficente para sua organização Reach Out Worldwide”, informou pelo Facebook  sua equipe de relações públicas. “Era o passageiro no carro de um amigo, no qual ambos perderam a vida.”

Segundo uma rádio local, o motorista do veículo era Roger Rodas, presidente da Always Evolving, empresa especializada em carros de luxo.

“Ele estava muito feliz”, disse o amigo do ator Bill Townsend à agência de notícias AP. “Estava sorrindo para todo mundo, agradando todas essas pessoas que vieram a esse evento de caridade. Estava fazendo o que amava, rodeado por amigos e cercado por carros.”

Paul deixou não apenas sua filha Meadow, de 15 anos, órfã. Mas também todos os fãs de Velozes & Furiosos, franquia que o lançou ao estrelato em 2001 e cujo sétimo filme chegará aos cinemas em 2014, novamente com Paul no elenco.

Ele tornou-se um ícone no papel do corredor de rachas Brian O’Conner: um homem destemido, honrado e apaixonado por velocidade. Um exemplo que moldou o caráter de muitos homens pelo mundo. Por isso, o El Hombre presta aqui suas mais profundas homenagens a Paul Walker. RIP.