3 lições de Richard Branson para você aplicar ao seu negócio hoje

Você jogaria um jogo que, quanto mais você joga, mais chances tem de perder?

Se a resposta for sim, você não é louco. Muitas pessoas fazem isso e nem sabem: de acordo com um levantamento recente, mais de 96% das pequenas e médias empresas no Brasil fecham suas portas antes de completar dez anos.

Nós chamamos essas pessoas de “empreendedores”.

Loucura seria ficar amarrado de ponta cabeça em arranha-céu em Londres, fazer kitesurf com uma modelo nua ou voar em um balão de ar quente pelo Atlântico, certo?

Pois Richard Branson, fundador do grupo Virgin, fez tudo isso e é um dos empreendedores mais admirados do mundo.

Coincidência? Certamente que não. Sua paixão por riscos é um eufemismo ao seu estilo de gestão e fonte de fascínio para quem sonha grande e fora da caixinha.

Nos últimos anos, tive o incrível privilégio de trabalhar com dezenas de empresas e compartilhar estratégias corporativas de sucesso com literalmente milhares de pessoas em vários países por meio de minhas palestras, treinamentos e livros.

Sim, é ele praticando

Sim, é ele praticando kitesurf com uma modelo nua em suas costas

Durante esse processo, cultivei intensa curiosidade pelo estilo de gerenciamento de Richard Branson. Veja alguns dos princípios de liderança de Branson que você pode aplicar ao seu negócio, começando hoje:

1# Minha marca, minha vida: Ame, honre e aprecie sua marca. Branson reconheceu várias vezes que o ativo mais valioso da Virgin é sua reputação. Sua filosofia é: “Cuide bem da sua marca e ela permanecerá”. Essa abordagem permitiu que o empresário diversificasse seus negócios em dezenas de segmentos.

2# Regras existem para serem quebradas: Suas ideias não podem ser limitadas pelo seu ambiente, contexto social ou status quo. Raras são as vezes que sua visão será compreendida por quem está do lado de fora. Troque a pergunta “vai dar certo?” por “vale a pena?”. Se a resposta for positiva, quebre as regras e transforme o jogo.

3# Se divirta: Branson certa vez afirmou: “Eu não vejo trabalho como trabalho ou diversão como diversão. Para mim, tudo é vida.” A Virgin acrescenta um pouco de diversão e ousadia em tudo o que faz. Ao abraçar sua característica real, a Virgin convida pessoas com valores similares a se tornarem parte desse ciclo, transformando consumidores em seguidores.

Atualmente, os investimentos de Branson à frente do grupo Virgin vão de música e aviação até vestuário e biocombustíveis. Seu próximo passo? O universo: o empresário britânico já testa as primeiras aeronaves para explorar o mercado de “turismo espacial”.

Com uma fortuna avaliada em mais de 4 bilhões, é difícil não tomar sua “loucura” por genialidade. Afinal de contas, pé no chão nunca levou ninguém ao céu.