fbpx
sexta-feira, julho 19, 2024
InícioLifestyleA rota do eclipse solar: Fenômeno foi visto no México, Estados Unidos e Canadá

A rota do eclipse solar: Fenômeno foi visto no México, Estados Unidos e Canadá

Em 8 de abril deste ano, um eclipse solar total cruzou a América do Norte, abrangendo partes do território do México, Estados Unidos e Canadá. Cerca de 31,6 milhões de pessoas vivem no caminho da totalidade, a área onde a Lua bloqueou totalmente o Sol, segundo a NASA. Outros 150 milhões de pessoas vivem num raio de 320 km da faixa principal do eclipse.

O eclipse solar total no México pode ser melhor apreciado nos estados de Durango, Coahuila e Sinaloa, passando por algumas grandes cidades em cada um deles. O grande evento que escureceu o céu no meio do dia continuou até o Texas, nos Estados Unidos, cruzando mais de uma dúzia de estados até o Maine antes de entrar no Canadá.

Muitos estadunidenses dos estados do Texas, Oklahoma, Arkansas, Missouri, Illinois, Kentucky, Indiana, Ohio, Pennsylvania, Nova York, Vermont, New Hampshire e Maine tiveram a sorte de ver o eclipse solar em seu ponto máximo. Pequenas partes do Tennessee e Michigan também experimentaram o eclipse solar total.

Já no Canadá, partes do sul de Ontário, Quebec e nas províncias marítimas New Brunswick, Nova Escócia, Ilha do Príncipe Eduardo, Terra Nova e Labrador foram momentaneamente mergulhadas na escuridão enquanto a lua deslizava entre o sol e a Terra ao longo de algumas horas da tarde. Apesar do céu nublado, milhares de pessoas em Niagara Falls comemoraram ao vislumbrar o eclipse total.

Muitos fotógrafos e caçadores de eclipses também passaram meses planejando o eclipse solar total. Alguns viajaram para estas áreas para esperar ser o melhor ponto de observação. O eclipse de 8 de abril começou no sul do Oceano Pacífico e terminou na América do Norte continental, por volta das 17 horas.

Como foi observar o eclipse solar total?

O eclipse solar acontece quando a lua passa entre o sol e a Terra, bloqueando completamente a face do sol. As pessoas que puderam observar o evento do dia 8 de abril, do trajeto principal, experimentaram o que é chamado de eclipse solar total. O céu ficou escuro como se fosse amanhecer ou anoitecer. Se o tempo permitiu, os observadores puderam ver a coroa solar, o anel branco geralmente apagado pela luz brilhante do sol. Fora do caminho da totalidade, a Lua moveu-se entre o Sol e a Terra – mas os três não se alinharam perfeitamente. Apenas parte do sol foi coberta, dando-lhe uma forma de lua crescente.

O raro fenômeno também teve uma amplitude maior do que o comum — a faixa desse eclipse foi quase duas vezes mais ampla do que o último eclipse solar total que atravessou os Estados Unidos em 21 de agosto de 2017 (quase 200 km de largura contra apenas 110 km em 2017).

Quando será o próximo eclipse solar total?

Segundo o Observatório Nacional, o eclipse solar total acontece a cada 18 meses, em média, em algum lugar do planeta. No entanto, por percorrerem uma faixa muito estreita pode parecer um fenômeno raro.

Um eclipse solar anular, no qual a lua bloqueia apenas parte da luz do sol e cria um fantástico efeito de “anel de fogo”, será visível sobre o Chile e a Argentina, na América do Sul, em 2 de outubro deste ano, de acordo com a NASA. Este eclipse será visto parcialmente em algumas regiões do Brasil, principalmente nos estados da região Sul, Sudeste (exceto a parte norte de Minas Gerais) e o Mato Grosso do Sul, onde a visão será mais clara.

O próximo eclipse solar total não ocorrerá até 12 de agosto de 2026, conforme afirmou Amir Caspi, cientista do Southwest Research Institute, do Colorado. Esse eclipse atravessará a Gronelândia, Islândia, Espanha, Rússia e uma pequena parte de Portugal, e um eclipse parcial será visível em partes da Europa, África e América do Norte. Outro eclipse solar total que os cientistas preveem cruzará as pirâmides do Egito em 2 de agosto de 2027, com previsão de que a totalidade do fenômeno dure mais de seis minutos.

Já no Brasil, um eclipse solar total está previsto apenas para 12 de agosto de 2045, com primeiros locais de observação no estado do Amapá. O caminho da totalidade vai incluir os estados do Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e termina na costa de Pernambuco. Capitais como Belém, São Luís, João Pessoa e Recife estão no caminho do eclipse solar total. Outras regiões próximas poderão ver um eclipse parcial.

Redação El Hombre
Redação El Hombrehttps://www.elhombre.com.br
O El Hombre é um portal de lifestyle para o homem contemporâneo com mais de 5.000 artigos sobre estilo, carreira, fitness e muito mais. Fale conosco pelo email [email protected]