fbpx
Segundo um amigo, isso é para comer

Como as fotos de comida estão sabotando seu apetite

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Parcerias

Tirar foto de comida e botar nas redes sociais deve ser algo bem interessante, considerando o número de adeptos que essa atividade atrai. O motivo para tal sucesso eu não sei. Deve ser algo como “Enquanto você come o seu Cheetos fedorento, eu estou apreciando um delicioso escargot” ou “Para vocês que duvidavam da minha habilidade culinária, ta aí meu omelete com orégano” ou ainda “Ei, olha eu aqui”. Sério, não consigo pensar em outros motivos. Mas o Journal of Consumer Psychology acabou de nos dar mais uma razão: tirar o apetite dos amiguinhos. Nada nobre esse propósito, hã?

No mês passado, pesquisadores da Brigham Young e da Universidade de Minnesota fizeram um estudo envolvendo 232 pessoas para analisar como as fotos de alimentos influenciam o nosso apetite. O resultado mostrou que a exposição exagerada à imagem de um determinado tipo de alimento faz com que as pessoas percam o desejo de come-lo. No estudo, os indivíduos foram separados em dois grupos. Um deles foi estimulado com fotos de alimentos doces e o outro com fotos alimentos salgados. Após a exposição, os pesquisadores deram amendoim para os voluntários comerem e aqueles que ficaram observando as imagens de comidas salgadas manifestaram menos desejo pelo alimento.

Isso acontece, segundo os profissionais, pois a exposição exagerada à essas imagens causa um “tédio sensorial”. De tanto que você viu aquele tipo de alimento, cansou. Repare que os indivíduos não ficaram vendo fotos de amendoins, mas de comidas salgadas. O simples fato de o amendoim ser salgado foi suficiente para que eles tivessem um “tédio sensorial” depois de passarem pela situação mencionada.

Me parece que a associação acontece apenas a nível sensorial, mas bem que poderia ser a nível – digamos assim – financeiro também. Com a enxurrada de fotos de pratos delicados e bem ajeitados nas redes sociais, enjoaríamos facilmente de comidas polpudas, mantendo nossa saúde monetária em dia. Ou então, quem sabe, as pessoas não passem a postar mais os sandubas poderosos de três andares do Burger King ou os churrasquinhos grego da Avenida São João? Isso certamente daria uma força à nossa saúde orgânica.

Você, assim como eu, pode até pensar que essa é uma notícia ruim – mas é apenas uma questão de perspectiva. Para quem está fazendo dieta essa é uma técnica maravilhosa. Basta abrir uma conta no Instagram, selecionar seus amigos sem necessidade de muito critério e usufruir dos serviços da rede social alguns minutos por dia. E então – ualá – eis que surge uma boa desculpa para postar fotos de alimentos nas redes sociais.