Como cultivar tesão e não deixar a vida sexual esfriar

Tudo que é bom precisa ser cultivado. Assim como não dá pra esperar que uma planta cresça se você não rega e que um amor vingue se você não cuida, não se pode querer que o tesão aflore sem que o alimentemos.

Não existe uma fonte inesgotável de tesão dentro de cada pessoa – ao menos não das pessoas ditas normais. Não dá pra passar o dia inteiro pensando nas contas atrasadas, em passar no supermercado ou no resultado do futebol, e querer um erotismo latente todas as noites.

Desejo sexual não é completamente físico. É espírito, é desejo, é pensamento. Portanto, é preciso que se pense – e que se fale – sobre sexo. Principalmente, é preciso que se fale. O desejo se esconde da timidez.

Portanto, não esconda do seu parceiro os seus desejos mais pervertidos – é saudável que se compartilhe as vontades, que se estabeleça uma comunicação sexual sem restrições – com o outro e, também e principalmente, com você mesmo. Conhecer o próprio corpo, aceitar as próprias preferências e conviver com as próprias fantasias são os indispensáveis ingredientes do tesão.

Pensar em sexo e falar sobre sexo não deixam de ser ótimas maneiras de praticá-lo, mesmo que não no plano físico. Compreender-se enquanto um ser sexual – física e espiritualmente falando – é a única coisa capaz de nos colocar nesta condição.

O prazer não foi feito para ser deliberadamente desfrutado – mas cultivado, aflorado, aprimorado. Tornar-se sexual por natureza é a mais afrodisíaca preliminar.

cultivar-o-tesao-3-el-hombre
Não tenha vergonha de falar seus desejos – sejam eles quais forem