Como lidar com a depressão: 9 dicas que ajudarão você a melhorar

Todos sabemos que, nos dias de hoje, não é incomum cruzarmos com pessoas que sofrem de depressão. Seja na turma de amigos, no trabalho, na família — ou, quem sabe, você mesmo?

No entanto, a despeito de sua prevalência devastadora – a doença afeta cerca de 22% da população mundial – a depressão continua a ser um tabu. Da mesma maneira, a maioria de seus sintomas é tão imperceptível que é de fato difícil saber quem sofre da condição.

Muitas das pessoas que encontram-se nesse período de suas vidas evitam procurar ajuda porque temem ser vistas como problemáticas.

A escritora Maria Popova declarou que, em sua experiência, “o mais doloroso aspecto da depressão é o modo como esta apaga toda e qualquer memória do bem-estar“. De acordo com Popova, a depressão deleta a convicção elementar de que um outro estado de espírito é de fato possível.

Mas é justamente essa confiança, de que as coisas podem melhorar, que não pode ser perdida. Se você estiver passando por um momento especialmente difícil, saiba que ele pode ser ultrapassado. O auxílio de um profissional adequado, assim como uma mudança em seu mindset e em seu estilo de vida, poderão ajudá-lo a curto e a longo prazo.

Atente-se a essas dicas que reunimos e dê o primeiro passo.

1# PROCURE AJUDA PROFISSIONAL

É comum relutarmos em procurar ajuda profissional porque temos vergonha, ou porque temos receio de dependermos de medicações. Mas, às vezes, o uso de antidepressivos pode ajudar bastante a lidar com a questão. Portanto, procure um psiquiatra e/ou um terapeuta. Isso o ajudará a identificar o melhor instrumento para lidar com a sua depressão. E jamais se automedique, porque isso só vai piorar as coisas.

2# ESCREVA SOBRE O QUE ESTÁ SENTINDO

Para que as nossas mentes funcionem da melhor maneira possível, é necessário que nós a organizemos com alguma frequência. Se carregarmos conosco uma quantidade grande demais de bagagem emocional, de confusão e de frustração, seremos impedidos de viver vidas excitantes.

Escreva regularmente a respeito de seus próprios sentimentos e de sua vida em geral. Tal é a melhor maneira de organizar e priorizar os seus pensamentos e emoções. Isso também dará a você a oportunidade de se afastar emocionalmente e de analisar suas experiências, pensamentos e sentimentos com mais lucidez.

3# EQUILIBRE O SEU SONO

Uma pessoa deprimida tende a dormir muito pouco, a dormir demais ou a alternar entre esses dois estados. Em ambos os casos, os resultados são negativos.

Dormir em excesso pode aumentar sua tendência a diabetes, doenças cardíacas e derrame, ao passo que não dormir o suficiente pode causar depressão, delírios, alucinações e déficits cognitivos.

Busque o equilíbrio e procure dormir de 7,5 a 9 horas por noite. Esse expediente terá um impacto bastante positivo para a sua saúde mental e física, conforme você notará dentro de pouco tempo.

4# FAÇA 30 MINUTOS DE EXERCÍCIO TODOS OS DIAS

A ausência de atividade física é um dos fatores que agravam a depressão, mesmo porque a última faz maravilhas pelo nosso bem-estar e pela nossa autoestima.

São muitas as pesquisas que indicam a importância do exercício físico, destacando a sua eficácia em suavizar os sintomas da depressão, reduzir o estresse e a ansiedade e lapidar a memória e a autodisciplina.

Naturalmente, não é necessário que você se torne um atleta: 30 minutos diários tendem a ser o bastante para melhorar o seu humor e o seu bem-estar.

Para aqueles que sofrem de depressão, é recomendável se exercitar ao ar livre. Por mais que o ambiente de uma academia possa ser agradável, caminhar em meio às árvores, aos cachorrinhos e à luz do sol tende a ser algo bastante agradável.

Aliada ao exercício, uma alimentação saudável poderá fazer maravilhas por você. Inclua em sua dieta mais frutas e vegetais, e passe algum tempo distante da cafeína, do álcool e de outras bebidas que podem deixá-lo agitado.

5# PRATIQUE MEDITAÇÃO E YOGA

Estudos comprovam que a meditação auxilia-nos, em certa medida, a assumir o controle de nossas emoções. Ela também nos guia em nosso processo de autoconhecimento, e faz com que nos sintamos mais confortáveis em nossa própria pele.

Além de ser benéfica para a autoestima e para a redução de estresse e ansiedade, também nos torna mais otimistas e faz com que vejamos a vida de uma maneira mais positiva.

Diversas vezes, a depressão se caracteriza por um apego muito intenso ao passado ou por um medo igualmente intenso em relação ao futuro. A meditação o ensinará que momento atual é o que importa.

Nas palavras de Thich Nhat Han: “Nosso verdadeiro lar é o momento atual. Quando nós entramos profundamente no momento atual, nossas queixas e preocupações somem. Tal coisa nos leva a descobrir a vida com todas as suas maravilhas. Na maior parte do tempo, estamos perdidos no passado ou arrebatados pelo futuro. Quando estamos conscientes e em contato com o momento atual, aprofunda-se a compreensão do que está acontecendo e começamos a ser preenchidos por aceitação, alegria, amor e paz“.

6# NÃO SE AFASTE DAS PESSOAS

É comum que pessoas deprimidas se afastem dos outros e se afundar na solidão. Os seus pensamentos giram em torno dos seguintes temas:

➤ Eu não tenho nada de interessante nem de positivo para dividir com outra pessoa.

➤ Dá para perceber que essa pessoa se sente desconfortável quando está comigo.

➤ Essa pessoa está mentindo ao dizer que gosta de mim. Ela realmente acha que eu não me dei conta disso?

➤ Eu sei que essa pessoa não gosta de mim, mas por que ela tem que deixar isso tão óbvio? Ela não percebe que está me ferindo?

➤ Eu deveria deixar os outros em paz. Estou sendo carente demais.

➤ Se eu me apegar demais a outra pessoa, ela irá me abandonar e a minha dor ficará ainda pior.

➤ Se eu me apegar demais a outra pessoa, irei deixá-la deprimida também.

➤ Gente como eu não deveria ter amigos. É bastante egoísta da minha parte querer companhia.

➤  É mais fácil ficar sozinho. Quando estou sozinho, não machuco ninguém além de mim mesmo.

Resista ao impulso de cortar relações com aqueles que se importam com você. Mantenha a sua família e amigos ao seu lado.

Antes de mais nada, tente se colocar no lugar deles. Muitas vezes, uma pessoa deprimida se concentra em excesso em seu universo particular de sentimentos e aflições, e age com crueldade em relação àqueles que estão ao seu redor.

Lembre-se que os seus amigos e os seus familiares não lêem mentes, de modo que nem sempre estão conscientes do que está acontecendo com você. Então abra o jogo sobre o que está passando com você e peça ajuda.

Aos poucos, você notará que a companhia de outras pessoas será uma excelente maneira de superar a situação em que se encontra.

7# MANTENHA A CASA EM ORDEM

Dizem que o estado de nossos quartos ou de nossos carros indica o estado de nossa mente e de nosso emocional. E trata-se de um ciclo vicioso: a depressão produz a desordem e a desordem intensifica a depressão.

Existe uma forte relação entre um ambiente desordenado e a depressão crônica. E, agora que você já sabe disso, arrume a casa. Mantenha-a limpa. Se a sua intenção é superar a depressão de uma vez por todas, então é necessário que o ambiente em que circula seja um reflexo desse comprometimento.

8# DEIXE PARA TRÁS O “E SE…”

Não pense de maneira obsessiva no que já passou, e também não se puna pelos equívocos que cometeu no passado. Analise-os, aprenda com eles e deixe o mundo andar.

Aceite que, dadas as circunstâncias em que se encontrava e os instrumentos e informação que tinha em mãos, você deu o seu melhor. Se as coisas não funcionaram como desejava, paciência. Outras coisas boas certamente o esperam.

Não seja demasiadamente perfeccionista nem exigente consigo próprio. Não coloque em si mesmo expectativas altas demais, e não se puna se for incapaz de atingi-las.

9# REDESCUBRA SEUS INTERESSES

Não é novidade para ninguém que as pessoas que estão passando por um momento mais delicado costumam perder o interesse que tinham pelas coisas que faziam sentido a elas antes. É uma tendência natural, porém trata-se de algo que você deve se esforçar para superar, para combater. 

Pense nas coisas que gostava de fazer antes de começar a se sentir assim. Pense em tudo o que despertava o seu interesse, e então volte a incluir tais atividades na sua vida diária. Se você costumava gostar de ir ao cinema, vá ao cinema. Se tocar violão o deixava alegre, toque violão. Redescubra as coisas que ama, e tire o melhor partido possível delas.

VÍDEO EM DESTAQUE