Procure evoluir seu treino progressivamente

Como prevenir a canelite

A corrida é um exercício debaixo impacto mas de movimentos repetitivos, o que faz com que as lesões por desgaste sejam comuns entre seus praticantes. Um dos problemas que mais aparecem nos corredores é a canelite. Trata-se de uma dor aguda que se desenvolve na parte da frente da perna na altura da canela daqueles que realizam esse exercício. Normalmente ocorre por alguma mudança abrupta na rotina dos treinamentos, por excesso desses, ou por mudança de terreno ou calçado.

(É importante não confundir canelite com uma dor na parte anterior da perna – no músculo tibial -, que é comum principalmente após uma prova que acontece num terreno diferente do qual você está acostumado, pois o estímulo novo acaba fazendo com que o tornozelo realize mais força de estabilização e a musculatura do tibial mais força para elevar as pontas dos dedos durante a corrida.)

A canelite é um processo inflamatório que pode se tornar crônico se não tratada, impossibilitando o atleta de correr. Em alguns casos o corredor muda a característica da marcha para amenizar a dor e não precisar parar de correr. Mas isso acaba variando o padrão de movimento e pode ser ainda pior para as outras estruturas envolvidas no exercício (joelho, lombar e etc). Para prevenir esse tipo de situação existe alguns fatores que estão sob nosso controle. São eles:

1# Treino: Evite realizar treinos aleatórios e não programados. Procure planejar treinamentos variados com subida, descida, terrenos acidentados, terra, asfalto. Faça isso de maneira progressiva a fim de propor novos desafios ao seu corpo e deixar que ele se adapte aos estímulos gerados.

2# Calçado: Dois fatores importantes para o desenvolvimento da canelite são: a má absorção do impacto e o formato do arco do pé. Por isso, é fundamental a escolha de um calçado adequado para você. Nas grandes lojas é possível encontrar atendentes especializados para lhe ajudar a escolher o melhor tipo de tênis para suas características. Mas o ideal seria você consultar um ortopedista, pois ele pode lhe indicar, além do tipo de calçado, uma palmilha se necessário.

3# Fortalecimento: É necessário verificar se existe algum desequilíbrio muscular em seu corpo que esteja gerando um desgaste nas estruturas físicas que utilizamos para correr. Para solucionar esse eventual problema é preciso realizar um fortalecimento básico de membros inferiores, “core”(complexo abdominal-lombar) e das musculaturas estabilizadoras dos tornozelos e joelhos.

4# Educativos: Educativos são movimentos que auxiliam no desenvolvimento de padrões de corrida. Alguns desses exercícios são: saltos com pernas alternadas, caminhada de costas e deslocamentos laterais. Esses treinos são fundamentais, pois melhoram a eficiência de cada passada, a amplitude, a postura corporal, entre outros aspectos.

Procure sempre realizar um aquecimento geral (que pode ser uma corrida leve ou alongamentos dinâmicos) antes de iniciar a corrida e treine progressivamente. Muito cuidado com a ideia de que esse exercício tem que durar 1 hora, principalmente se você for iniciante. Nesse caso, comece com tempos menores de 20-30 minutos. Ao final do treinamento é importante realizar um relaxamento, que pode envolver alongamentos leves, exercícios respiratórios e bastante água.

Por fim, ressalto que é muito válido consultar um médico antes de começar a correr e essencial procurar um educador físico para lhe ajudar com o planejamento. Isso se você quiser evitar qualquer risco à sua saúde, claro.

publicidade