Guia do Brasil nas Olimpíadas: nossas maiores chances de medalhas

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Parcerias

No exato momento que começo a escrever esse texto, a abertura oficial das Olimpíadas 2016 inicia-se também.

Pois bem, finalmente é chegado o momento que tanto esperamos. A contagem regressiva chegou ao zero e é dada a largada dos jogos olímpicos. Como sabemos que você deve estar louco para acompanhar tudo do evento, fizemos um guia básico do Brasil no Rio 2016.

Não um guia de estrutura e esssas coisas, mas um guia sobre os atletas do nosso país com maior chances de medalhas para você saber quem não pode deixar de acompanhar.

A expectativa é que o Brasil faça a melhor Olimpíadas da sua história, superando Londres 2012 em medalhas (17) e Antuérpia 1920 em colocação (15º).

O Comitê Olímṕico Brasileiro fez o “Plano Brasil Medalhas” em 2012, que investiu cerca de R$ 2 bilhões no esporte nos últimos 4 anos e nasceu com o objetivo de levar o Brasil a ficar entre os dez primeiros países no quadro de medalhas ao final dos jogos, o que nunca aconteceu na história. A ideia é conquistar entre 24 e 30 medalhas.

O Lance analisou 4 grandes estudos mundiais sobre o assunto e todos eles cravaram que o Brasil levará sim mais medalhas do quem em Londres e ficará melhor posicionado do que em Antuérpia.

E a animação não é para menos: a delegação brasileira vem com 465 atletas em 2016 (cobrindo todas as 42 modalidades), batendo o recorde de esportivas registrado em Pequim 2008 quando tivemos 277 atletas nos representando. Olha essa diferença monstruosa!

Muitos brasileiros disputarão os jogos olímpicos pela primeira vez e nosso país será representado pela primeira vez em 5 esportes: badminton, ginástica de trampolim, golfe, hóquei sobrea grama e rúgbi.

Paravocê não se perder nessa expressividade impressionando do Brasil nesse ano, saca só quem são os atletas que a galera têm depositado mais esperança por medalhas.

Eis o que você precisa ver de perto!

JUDÔ

mayraaguiar_div

O judô é o esporte que mais trouxe medalhas para o Brasil na história: são 19 ao todo. E esse ano claro que a expectativa é grande. Nosso principal nome é Mayra Aguiar. Ela deve disputar o ouro com a americana Kayla Harrison. Nos últimos anos as duas têm brigado em tudo quanto é campeonato e não deve ser diferente por aqui.

Sarah Menezes e Rafael Silva também são nomes que devem alcançar o pódio.

As lutas da categoria meio-pesado, de Mayra Aguiar, acontecem dia 11 a partir das 10h. Conforme for avançando de fase a judoca vai lutando tudo no mesmo dia. A final é as 17h.

MARATONA AQUÁTICA

marcela cunha

Outro esporte que deve trazer medalha para o Brasil — e a expectativa é até de ouro — é a maratona aquática, que participa dos jogos desde 2008.

A nossa Marcela Cunha é um dos maiores nomes no esporte e vai ter companhia da compatriota Poliana Okimoto, que já foi até campeã do Circuito Mundial. Então vamos ficar de olhos nessas mulheres na água.

As mulheres caem na água dia 15 ás 9h.

GINÁSTICA NAS ARGOLAS

arthur-zanetti

A expectativa também é grande para ver Arthur Zanetti, em ação nas argolas. O cara foi ouro em Londres 2012, supreendendo a todos, e é o reponsável pela única medalha da ginástica brasiliera nos jogos Olímpícos.

Artur entra em ação dia 15 às 14h.

SALTO COM VARA

fabiana

Pode ser que também venha ouro no atletismo com Fabiana Murer no salto com vara. Ela já está na reta final de sua carreira, aos 37 anos, mas é detentora da melhor marca do ano saltando 4,87 m. A esperança é grande!

Vamos ficar de olho no dia 16 às 9h45.

VÔLEI DE QUADRA

430745-970x600-1

Quem também pode cravar o primeiro lugar do pódio são as meninas do vôlei de quadra. Atual bi-campeãs olímpicas e campeãs do último Grand Prix, estãO carregando uma grande expectativa do povo brasileiro por conta desses últimos resultados. Vamos ver se as americanas não vão complicar a parada.

O vôlei masculino também é sempre esperança de medalha. Os caras já conquistaram 5 pódios, sendo 2 ouros e 3 pratas, e não queremos menos que isso nesse ano.

Elas estreiam dia 6 às 15h e eles dia 7 às 11h35.

VÔLEI DE PRAIA

Moscou- Rússia- 28/05/2016- O Brasil está na final do torneio feminino no Grand Slam de Moscou, na Rússia. Larissa e Talita (PA/AL), campeãs na capital russa em 2015, venceram seus jogos pelas quartas de final e semifinal neste sábado (28.05), avançando à 13ª decisão de etapa internacional do time. Elas encaram as norte-americanas Kerri Walsh e April Ross no domingo (29.05), às 11h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV3.  Juliana e Taiana (CE) venceram o primeiro jogo do sábado, nas quartas de final, mas acabaram superadas pelas norte-americanas Walsh e Ross na semifinal e disputarão o bronze. Elas encaram as canadenses Sarah Pavan e Bansley também neste domingo, a partir das 10h (de Brasília). Será o primeiro duelo entre os times. Será o terceiro confronto entre Larissa/Talita e Walsh/Ross. Os outros dois jogos também foram em finais, com as brasileiras levando a melhor no Grand Slam de Long Beach (EUA), em 2015, e no Open de Vitória, em março deste ano. Nas duas oportunidades a dupla brasileira venceu por 2 sets a 0.  As duas duplas chegam invictas à final, com seis vitórias. Além disso, em seis torneios disputados na Rússia, Larissa garantiu a sexta medalha e brincou com o fato. "Seis não é meu número da sorte. Ser meu número 1 é meu número da sorte. Eu quero vencer cada partida, cada torneio que disputo. Ser a primeira é meu objetivo em tudo que faço", disse a capixaba. Talita também analisou a classificação. "Jogamos muito bem durante a semana e as canadenses realmente foram bem no segundo set e em grande parte do tie-break. Reverter com aquela sequência de seis pontos foi incrível para nós", destacou. Larissa e Talita começaram o dia superando as alemãs Karla Borger e Britta Buthe nas quartas de final, por 2 sets a 0 (22/20, 21/10), em 34 minutos. Foi uma revanche da eliminação das brasileiras no Grand Slam do Rio, quando as alemãs venceram nas oitavas. Horas depois, na semifinal, vitória das atuais bicampeãs brasileiras sobre as canadenses Sarah Pavan e Heather Bansley por 2 sets a 1 (21/15, 15/21, 15/12), em 41 minutos de partida.  Larissa e Talita defendem uma invencibilidade em finais do Circuito Mundial. Desde que se uniram, em junho de 2014, atuaram em 20 torneios e venceram as 12 decisões que disputaram. As norte-americanas Walsh e Ross, em 26 torneios disputados, venceram nove finais, além de terem duas pratas e dois bronzes. Juliana e Taiana começaram o dia superando as suíças Joana Heidrich e Nadine Zumkehr por 2 sets a 0 (21/19, 21/14), em 37 minutos, na fase de quartas de final. Na semifinal, jogaram bem, mas acabaram superadas por 2 sets a 0 (21/16, 22/20) para Walsh e Ross, em 37 minutos.  O Brasil lidera o quadro de medalhas na Rússia, que também já contou ao longo dos anos com etapas em São Petersburgo e Anapa. São 16 medalhas entre os homens (seis de ouro, cinco de prata e cinco bronzes) e 15 entre as mulheres (seis de ouro, cinco de prata e quatro de bronze). Moscou já foi sede de 10 etapas do Circuito Mundial e, desde 2008, recebe um Grand Slam por temporada. Os times vencedores da etapa de Moscou nos dois gêneros somam 800 pontos no ranking do Circuito Mundial e garantem um prêmio de 57 mil dólares. Ao todo, 400 mil dólares são distribuídos aos atletas. Após Moscou, o tour segue para a Alemanha, com o Major Series de Hamburgo, última etapa que contabiliza pontos ao ranking olímpico. Foto: FIVB

Na praia o vôlei está igualmente forte. Temos quatro duplas representando o país, sendo que 3 são favoritas ao pódio. Alison e Bruno Schmidt são os atuais campeões de 2015; Talita e Larissa são as primeiras do ranking mundial; e Bárbara e Agatha estão jogando o fino. Então devem cravar mais medalhas para nós e a expectativa é também o ouro.

Talita e Larissa começam a caminhada olímpica dia 7 às 10h, Bárbara e Agatha dia 6 às 15h30 e Alison e Bruno dia 6 às 11h.

VELA

robert

Quem também será acompanhado de perto pelos brasileiros é nosso Robert Scheidt. Ele é o brasileiro com o melhor desempenho na história das Olimpíadas, com 2 ouros, 2 pratas e 1 bronze. Não está em seu auge, afinal já tem 43 anos. Mas esperamos que sua experiência possa sobressair para trazer uma medalha para nós mais uma vez.

A primeira bateria da classe laser acontece dia 8 às 13h05.

HANDEBOL

handebol

Nas quadras estamos ansiosos para ver o desempenho das meninas do Handebol. Nossa seleção é a atual campeã mundial e ainda conta com a Duda Amorim, que é considerada a melhor jogadora do mundo. E o time masculino quem sabe não pode surpreender?

Elas estreiam dia 6 às 9h30 e eles dia 7

CANOAGEM

izaquias-queiroz-canoagem

E até na canoagem a esperança por medalhas é grande. Há grande expectativa em cima do desempenho do jovem Isaquias Queiroz, nosso representante na canoagem velocidade. Ele foi ouro e prata nos jogos Pan-Americanos do ano passado e ouro nos jogos sul-americanos de 2014. Quem sabe?

Ele vai para as águas na primeira bateria dia 15 às 9h.

BASQUETE

basquete

Também vamos torcer demais para os caras do basquete. Ouro não tem condições alguma, que já está garantido para os Estados Unidos. Mas quem sabe um bronze ou até uma prata? Nosso time estará fortíssimo, contando com vários jogadores da NBA e contaremos claro com o calor da torcida.

Eles jogam pela primeira vez dia 7 às 14h15.

NATAÇÃO

thiago

E a natação? Infelizmente as expectativas não são tão boas para esse ano quanto já foram antes, muito por Conta da não classificação de Cielo, nosso único campeão olímpico na modalidade. Mas o Brasil está indo com 29 representantes para disputar a modalidade, maior número da história — então a animalção é grande sim e certamente verão medalhas.

As maiores esperanças ficam com Thiago Pereira, Bruno Fratus, Felipe França e nos revezamentos.

As disputas nas piscinas começam dia 6 a partir das 13:02.

FUTEBOL

futebol

E quanto ao futebol, queremos ouro, claro. As meninas disputarão possivelmente com os Estados Unidos o topo do pódio e os caras… ah, esses caras têm que ser campeões dessa vez!

Os jogos no campo já começaram na quarta-feira.

Agora que você está por dentro de tudo, aproveite ao máximo esses jogos olímpicos, que traz sempre uma energia mágica, porque o próximo só daqui quatro anos!