As novidades do Festival Brasileiro da Cerveja que mais ansiamos

Após a sua 6ª edição, o Festival Brasileiro da Cerveja vem se tornando o maior palco nacional para lançamento de novos rótulos. Como sempre, o festival ocorreu em Blumenau, Santa Catarina, na semana passada do dia 12 ao 15 de março.

Para se ter uma ideia, foram mais de 90 cervejarias presentes apresentando ao público mais de 600 rótulos. Confira aqui no site oficial do evento todas as empresas que marcaram presença nesse ano.

Mas o Festival Brasileiro da Cerveja não é feito apenas de rótulos conhecidos. A cada edição algumas novidades bem interessantes são apresentadas por lá. Então revelamos aquelas que realmente gostaríamos de poder ter em nossas mãos.

#1 Wäls Session Citra

A Session Citra, novo rótulo da cervejaria mineira Wäls, aposta no conceito “drinkability”. Essa é uma cerveja com não mais do que 5% de teor alcoólico, o que nos permite beber bastante. E, como o nome sugere, a cerveja leva em sua receita bastante lúpulo Citra, oferecendo um sabor cítrico e refrescante. A esperança é de ela que possa ser fabricada em maior escala após o festival.

#2 Way Sour Me Not

Pode-se dizer que esse não é um apenas um mero lançamento, mas três. Isso mesmo. A linha “Sour Me Not!” é composta por três Sour Ales com frutas (cervejas frutadas). Após testes com cerca de 15 sabores, foram eleitos três vencedores: morango, acerola e graviola. A primeira é uma cerveja mais aromática. A segunda leva um toque cítrico. E a última recebe um sabor extremamente tropical. Além da novidade ao paladar, ela é uma cerveja leve, com apenas 3,5% de teor alcoólico.

E para nós, ávidos consumidores? Após o lançamento no festival, as três cervejas da linha “Sour Me Not!” serão comercializadas em garrafas de 310 ml e deverão custar, em média, R$12.

#3 Bierland Oceânica

A cerveja que leva o rótulo Bierland Oceânica originou-se no Concurso Cervejeiro Caseiro Bierland 2013. Dos criadores Rafael Bertges e Caio Delgaudio, a receita consiste de uma “Witibier”, isto é, uma cerveja de trigo muito aromática e refrescante. Trigo não maltado, coentro, casca de tangerina e gengibre compõe a Bierland Oceânica, que precisou de cerca de dez experimentos para ser finalizada.

O nome vem da região litorânea de Niterói, onde Rafael Bertges produz suas receitas caseiras. O rótulo chega ao mercado em edição limitada. Devido aos componentes cítricos e refrescantes, essa é uma cerveja própria para o verão brasileiro: leve e refrescante. Então é bom correr para experimentar.

#4 Baldhead Kojak IPA

Mais uma American IPA lançada no Festival Brasileiro de Cerveja deste ano. Trata-se da Kojak IPA, nascida no Polo Cervejeiro de Porto Alegre pelos trabalhos da cervejaria Baldhead. A receita é de autoria de Giuliano Vacaro e Filipo Severo. Até mesmo o rótulo recebeu atenção especial e conta com a estilização de Leonardo Garbin.

A cerveja tem uma coloração amarelo forte a bege, com 6,8% de teor alcoólico e índice de amargor de 62 IBU’s (um pouco menor do que se costuma encontrar em uma IPA).

#5 Eisenbahn American IPA

Esta é a primeira American IPA fabricada pela Eisenbahn, portanto as expectativas são grandes. O rótulo conta com a participação de Fabert Araujo e André Canuto, vencedores do 4° Concurso Mestre Cervejeiro da Eisenbahn, que escolheria uma receita para levar o rótulo da Eisenbahn American IPA. Resta saber se ela terá produção fixa e chegará aos grandes centros.