O cigarro está prejudicando sua carreira?

Fumar é um hábito milenar. Várias civilizações cultivam ao longo dos séculos a queima de determinadas substâncias, seguida do ato de tragar a fumaça dela decorrente.

A visão do fumar vem sofrendo alterações com o passar dos anos. Antes, tratado como uma tradição ancestral, passou a ser símbolo de status, poder, atitude e liberdade nos séculos 19 e 20. Basta assistir alguns filmes antigos ou folhear revistas dos anos 40 a 70 para ter a certeza de que fumar não trazia nenhum tipo de consequência ruim para a carreira. Pelo contrário, poderia até ajudar.

Mas o tempo passou e o cerco aos fumantes foi se fechando. O grupo que era admirado antes, passou a ser fortemente patrulhado pelo governo, instituições de pesquisa científica, meios de comunicação e legisladores. A grande bandeira por eles levantada é: fumar faz mal ao organismo, eleva os gastos com tratamentos públicos de saúde e invade a liberdade individual dos não fumantes (ou fumantes passivos).

No que diz respeito ao trabalho, o cigarro pode sim trazer danos. Longe de querer levantar a bandeira da apologia ou combate ao tabagismo, sabemos que a vida de um fumante está a cada dia mais complicada. Trabalhamos, via de regra, em ambientes climatizados. O fumo é vetado por lei em locais fechados, o que relega os fumantes a verdadeiros “guetos” segregados, chamados pejorativamente de “fumódromos”.

Mas respeito a liberdade individual das pessoas. Por isso, recomendo aos que não conseguem ou não desejam parar que reduzam a quantidade em horário de trabalho, pois do contrário poderão ser “queimados” pelo cigarro. Eis algumas dicas:

  • Esteja atento à sua aparência e ao odor que o fumo exala. Dentes e unhas amarelados, além de hálito, mãos e roupas impregnados de mau cheiro, poderão afastar as pessoas de você.
  • Cuidado com a famosa tossida dos fumantes, chamada “pigarro”. Passa uma imagem de doença crônica, cansaço e velhice.
  • Controle as saídas para “fumar um cigarrinho”. Se forem muito frequentes, elas quebrarão seu ritmo de trabalho, gerando queda na produtividade e na qualidade dos resultados.
  • Fuja de polêmicas em torno do cigarro. Evite provocar a ira dos patrulheiros contrários e favoráveis ao cigarro. Não seja dogmático, nem se meta em confusões e discussões estéreis, sem necessidade.
  • Respeitar o direito do outro, para ter o seu preservado é palavra de ordem.

Caso chegue à conclusão de que o hábito de fumar está virando um vício incontrolável e que vale a pena tentar abandoná-lo, não hesite em procurar apoio especializado. Lembre-se que sempre haverá na família, nos amigos ou mesmo na empresa, alguém disposto a lhe dar forças para vencer um desafio tão difícil como esse.