O gigante acordou!

Tic-tac? Aqui é quero-quero! A goleada por 3 a 0 contra a Espanha, a maior seleção dos últimos tempos e atual campeã mundial, devolveu a admiração e a vontade de torcemos pela nossa Amarelinha. O famoso “tic-tac” (toque de bola evolvente da seleção espanhola) virou “quero-quero” brasileiro.

Nosso quarto triunfo na Copa das Confederações (97, 05, 09 e 13), conquistado no magnífico Maracanã, foi o marco da transição de uma seleção pouco acreditada para a afirmação de um trabalho bem feito. Trabalho bem feito, porém, não significa consolidado. Até a Copa do Mundo de 2014 há muito caminho a ser percorrido. Um caminho que tem como meta quebrar um tabu: nenhuma seleção vencedora da Copa das Confederações conquistou o Mundial no ano seguinte.

Terminada a competição, temos que ressaltar: a torcida brasileira deu um show de como é torcer de verdade, sem brigas ou confusões no estádio, e dando muito apoio ao time. E Neymar foi, enfim, o que todos esperavam. Ele encantou o mundo com seus dribles, gols e jogadas fenomenais. Está nos braços do povo, assim como a Seleção de Felipão.

Sou otimista e acreditava no Brasil desde o início, mas tenho a certeza que o futebol apresentado neste domingo fez com que qualquer torcedor contrário ao trabalho de Felipão se rendesse ao chocolate brasileiro. O povo está do lado da Seleção e a cada jogo a torcida ajudará ainda mais Neymar e companhia a rumar ao topo do cenário mundial em 2014.

Neste momento, o Brasil está em 18º lugar do ranking mundial da Fifa — atrás da Costa do Marfim, do Equador e da Grécia, entre outros. A Espanha, por outro lado, é a líder isolada. É bom a entidade reavaliar sua lista com calma nesta segunda-feira, pois se algo ficou claro nesta Copa das Confederações, é que o gigante acordou.