formatação ABNT

Plataformas de formatação ABNT

Como todo bom graduando e pós-graduando, depois de alguns anos eu passei a entender o valor de se saber as normas de ABNT para trabalhos acadêmicos. Depois de alguns anos batendo a cabeça para fazer projetos, seminários e afins, entendi que essa dificuldade era fruto da minha dificuldade com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Era visível, para mim, ao longo do tempo, que toda dificuldade que eu tinha para escrever em uma linguagem acadêmica era fruto disso. Eu não sabia exatamente como estruturar uma ideia, montar a justificação de uma tese ou até mesmo exemplos de dedicatórias no TCC eram complexos para eu imaginar como poderiam ser feitas.

No entanto, ao longo dos anos, com muita paciência e como dizem ‘’murro em ponta de faca’’ eu passei a tentar compreender um pouco mais sobre a linguagem e as regras utilizadas em projetos acadêmicos, o que, ao longo do tempo, foi de extremo auxílio.

Artigos científicos

Para começar a entender um pouco mais sobre a necessidade de se utilizar tal normatização para realizar trabalhos, é necessário entender-se um pouco mais também sobre ciência e academia.

Um artigo científico, além de ser relevante para tecnologia, inovação, sustentabilidade, saúde e afins, é também uma receita. Sim, uma receita, podemos dizer que um artigo científico é uma receita, de modo que a principal função do artigo é que ele seja possível de ser replicado, repetido ou testado.

Portanto, o artigo científico deve ser encarado justamente como um manual relativo a determinado experimento, independente de sua natureza científica. O ponto chave é o artigo científico expor como tal experimento foi realizado, a fim de que ele possa ser replicado futuramente. Não é à toa que existe toda uma divisão dentro de um artigo, como introdução, materiais e métodos, discussão. É literalmente uma receita que pode ser seguida.

Logo, a ABNT atua como um padronizador entre a linguagem e a estrutura de artigos científicos produzidos em território nacional, a fim de unificar a linguagem entre eles, permitindo uma normatização para a ‘’receita’’ produzida, podendo ser compreendida por diversas entidades e pessoas imersas no meio científico. Hoje, daremos uma olhada em alguns sites especializados, para mostrar que se você tem dor de cabeça com isso, existem ferramentas que podem lhe auxiliar nesta normatização.

Sites com dicas para formatação ABNT

O primeiro endereço que iremos comentar é o do Centro Universitário de Cascavel. Existe uma publicação muito boa no site que pauta as principais dicas sobre ABNT e formatação de trabalhos acadêmicos. A publicação, inclusive, é bastante intuitiva e didática, possuindo uma separação entre diferentes tópicos, como: referências, citações e títulos. Cada um destes tópicos possui dicas específicas de como formatar cada um deles.

Vale ressaltar que, como essa dúvida é uma dúvida comum no mundo do ensino superior, existem diversos sites e plataformas de universidades que disponibilizam dicas, macetes e métodos para uma formatação assertiva. Portanto, hoje traremos apenas algumas, vide o fato de que existem centenas de publicações com o mesmo assunto.

Outro site interessante para se buscar alguma coisa é o da Universidade de Caxias do Sul. A publicação trazida pelo site é bastante interessante pelo fato de trazer as importâncias de uma boa formatação, além de dicas. Ademais, existem diversos tópicos como regras para monografias e TCC, ou também como estruturar o seu trabalho.

Sites geradores de referências em formato ABNT

Já para você que está sem tempo, com o prazo de sua monografia estourando, ou você que simplesmente tem preguiça de fazer suas referências na mão, tenho boas notícias! Existem plataformas também que possuem a função de gerar referências automaticamente. O usuário apenas fornece os dados, e a plataforma em si já traz as referências de acordo com o formato desejado.

A primeira que podemos citar aqui é a MORE (mecanismo online de referências) da Universidade Federal de Santa Catarina. O site possui uma interface bastante intuitiva, com guias localizadas ao lado esquerdo, e uma introdução em relação ao uso do site logo na página inicial. O MORE trabalha integralmente com a NBR 6023/2018, norma da ABNT atualmente em vigor.

Outro exemplo que podemos trazer de gerador de referências online é o Menthor. Nesse site você precisa realizar um cadastro para poder utilizar as ferramentas de formatação presentes nele. No entanto, é um site um pouco mais direto e permite que você, de forma rápida e simples, realize uma formatação acadêmica no formato desejado.