Qual o tipo de casal você forma com sua parceira?

Você já parou alguma vez para pensar que tipo de casal você forma com sua parceira? Se estiver solteiro, já sabe que tipo de parceria daria certo em sua vida? São perguntas que não nos fazemos com frequência, mas que podem resolver uma série de discussões.

Entender que tipo de casal você é ou quer ser pode te ajudar em períodos difíceis da vida. Pode te ajudar a se comunicar melhor ou até mesmo decidir se você quer ou não continuar em um relacionamento.

Os terapeutas dizem que as experiências que nós escolhemos para passar na vida adulta têm muita influência do que foi visto em casa com nossos pais enquanto crescíamos. Crianças absorvem informações como esponjas. São guiadas pelo exemplo, não pelo que ouvem.

Se a experiência foi ruim, quando chegar a vez deles, vão querer fazer do próprio jeito. Se foi positiva, podem achar que copiar o modelo que já conhecem vai dar certo.

Alguns viram pais que conviviam em plena harmonia. Tem gente que viu pai e mãe se estapeando e brigando por tudo. Por outro lado, algumas pessoas também presenciaram brigas o tempo todo, mas o pai ou a mãe davam um jeito de deixar a situação leve, rindo da própria cara e da situação patética em que se encontravam.

Aí quando você cresce e repete o mesmo modelo – porque funcionava para os seus pais -, a sua parceira pode se irritar por você rir de algo que ela considera sério ou vice-versa. E então você vai perceber que não pode copiar nenhum modelo já existente.

Ter um modelo de relacionamento só seu e saber quais são os papeis que cada um exerce dentro da relação pode ajudar a entender o que o outro precisa ou mesmo parar um ciclo vicioso de intrigas ou bobagens.

As pessoas não mudam mesmo. Ainda mais quando alguém quer forçar essa mudança. Uma coisa é certa: sempre podemos aprender um com o outro. E o mais importante é que sempre é possível moderar comportamentos que incomodam quem está com você.

Se o seu objetivo for ter um relacionamento feliz, então está no caminho certo ao pensar dessa forma.

Agora dê uma olhada em 4 tipos de casais (com alguns exemplos da vida real) e veja se você se identifica com algum deles.

Amor e ódio

relacionamento-briga-el-hombre

Como o próprio nome já diz, este tipo de casal briga feito cão e gato. As brigas são em locais públicos, em redes sociais e privadas. Eles se sentem profundamente atraídos um pelo outro, mas o que gostam de verdade é o ciclo vicioso de brigar e fazer as pazes. Um (péssimo) exemplo: Chris Brown e Rihanna.

Filho e mãe

mae-namorada-el-hombre

Um parceiro se sente responsável pelo outro. Normalmente quem age assim são as mulheres. Às vezes este tipo de relação pode servir para as necessidade de apenas um deles, como o personagem de Howard, no seriado Big Bang Theory, que não quer largar a mãe e tenta fazer com que sua namorada Bernadette ocupe o lugar dela.

Ídolo e fã

idolatrar-namorada-el-hombre

Pode acontecer de ambos serem independentes, inteligentes e terem sucesso, mas um adota o papel de venerar o outro. Para quem tem o ego gigantesco pode funcionar. O ídolo geralmente vai fazer a fã se sentir inferior, vide a relação que Tom Cruise teve com Katie Holmes. Ela precisou de alguns subterfúgios para conseguir pedir o divórcio.

Gente grande

relacionamento-saudavel-el-hombre

Casais maduros são raros. E aqui não entra apenas a idade cronológica. Falamos de inteligência emocional, aquilo que vai tornar alguns casais mais maduros do que outros. A prova está em aceitar bem as diferenças, conviver com elas e ter poucos interesses em conflitos. Kate Middleton e William valem como exemplo.