Woodstock: 50 anos de paz e música | Som na Caixa #3

No dia 15 de agosto foram comemorados os 50 anos de Woodstock, considerado o festival mais simbólico de todos os tempos. Teve um público em torno de 500 mil pessoas (muito maior do que o esperado) e reuniu uma comunidade grande e fraternal que tinha como perspectiva a solução para as desavenças sociais e o protesto contra a guerra do Vietnã. O festival foi palco de apresentações épicas, entre elas a de Jimmi Hendrix tocando o hino nacional norte-americano na guitarra.

Mas o evento teve também grandes participações que não foram muito comentadas na época, por não terem sido exibidas no documentário “Woodstock – 3 Dias de Paz, Amor e Música”, de 1970. Vou relacionar algumas que valem a pena conferir e que hoje não são difíceis de achar na internet. As bandas mencionadas aqui estarão presentes em uma playlist no Spotify que tem o mesmo nome desta coluna: Som na Caixa.

CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL

woodstock

Um dos principais nomes do festival, a banda fez uma apresentação explosiva e empolgante, mas não liberou as imagens para o documentário, por isso seu show ficou sem muita repercussão. O Creedence estava no auge e já era considerado uma das maiores bandas do mundo. Seu som sulista (que se diferenciava da psicodelia da época) era um dos sucessos das rádios, graças aos singles “Proud Mary”, “Bad Moon Rising” e “Green River”.

GRATEFUL DEAD

woodstock

Nome já era consagrado na cena psicodélica graças ao líder Jerry Garcia, que vivia em uma comunidade hippie. A banda teve muitos problemas na apresentação, que foi abreviada depois que os amplificadores de palco sofreram uma sobrecarga durante a execução de “Turn On Your Love Light”. Tocando apenas quatro músicas, a banda era um dos principais nomes do festival, no entanto, não teve muito destaque.

THE BAND

woodstock

Quando chegaram à fazenda de Yasgur, local do festival, “meio que se sentia que estávamos entrando em uma guerra“, descreveu Robbie Robertson. Não havia camarins porque tinham sido transformados em clínicas de emergência. As condições do festival não impediram que o grupo fizesse uma performance impressionante. The Band se tornou célebre por ser a banda de apoio de Bob Dylan, que não quis participar do festival.b

SWEETWATER

woodstock

Primeira banda a tocar no festival, eles abriram a apresentação com a clássica “Motherless Child”. Porém, alguns meses depois de serem aclamados em Woodstock, a vocalista Nansi Nevins sofreu um grave acidente de carro que afetou também suas cordas vocais. Com a vocalista debilitada, a banda não resistiu e acabou pouco tempo depois.

JOHNNY WINTER

woodstock

Texano também conhecido como “albino maluco”, foi um dos melhores guitarristas de blues rock e top 60 dos maiores guitarristas de todos os tempos pela revista “Rolling Stone”. Winter se apresentou às 12h do domingo, tocando, ao longo de 60 minutos, músicas eletrizantes com muitos solos na slide guitar, que é sua marca.

Vocês, que têm bandas de garagem, mandem seu material para o e-mail [email protected]