Os jogos brasileiros que estão arrebentando na BGS

Neste ano, a Brasil Game Show abriu um pavilhão inédito dedicado aos games independentes do Brasil. No entanto, há apenas três games com estandes próprios por lá: Aritana e a Pena de Hárpia, um jogo de plataforma com índios; Toren, um primeiro título a receber incentivo da Lei Rouanet no país; e Shine.

No estande da Sony, além de Chroma Squad estava Ninjin, outro título brasileiro que estava disputando com games top de linha da gigante brasileira para PlayStation 4. Outro local que tinha espaço para a produção nacional era da loja brasileira ThinKkers, que concentrou alguns dos jogos que sequer estavam no evento, como Soul Gambler.

Muitos desenvolvedores brasileiros reclamaram do preço para exibir seus games na BGS 2014. No entanto, o maior evento do jogos no país inovou por incentivar, pela primeira vez, a produção nacional frente a frente com títulos de sucesso internacional. Confira, aqui no ELH, os melhor jogos brasileiros na Brasil Game Show 2014.

1# Toren

Destaque nacional há pelo menos dois anos, Toren está em fase de finalização para sua versão de PlayStation 4, o primeiro título brasileiro no console. Fortemente inspirado em Ico e em Shadow of the Colossus. Você controla a heroína Moonchild para que ela suba uma torre em uma aventura poética. Jogamos a versão para PC e ela é tremendamente imersiva, com sua trilha-sonora sensível e minimalista em alguns momentos.

2# Aritana e a Pena de Hárpia

Um jogo de plataforma difícil com um protagonista indígena, Aritana mostra que nossos jogos possuem um DNA cultural próprio. O único problema que tive foi jogando na versão para PC no estande da ThinKkers, que apresentou algum lag. Na demonstração da desenvolvedora, o jogo aprendeu fluidez, com muitos obstáculos em um cenário florestal.

3# Soul Gambler

Jogo de aventura a la Full Throttle, você encarna no papel de Fausto, que é seduzido a vender a sua alma ao diabo na forma de uma mulher gata. A trilha-sonora do jogo é pouco desenvolvida, mas há tantas escolhas de diálogo que ele se torna interessante para jogadores mais velhos. Escolhas erradas do seu herói podem levar a desfechos trágicos.

4# Cangaço

Gosta de estratégia? E de cultura nordestina? Cangaço reúne tudo isso em um jogo com vários personagens no sertão. Seu objetivo é matar os inimigos pistoleiros do cenário sem perder seus combatentes. O sistema do jogo funciona como um imenso cenário de xadrez, com vários quadradinhos para as áreas.

5# Ninjin

Ninjin: Clash of Carrots é um jogo criado para plataformas móveis em São Paulo. No jogo, você controla um coelho ninja que precisa derrotar seus inimigos em alta velocidade. Você precisa ajudar companheiros que tiveram suas cenouras roupadas por ladinos. O game agrada quem é fã de cultura japonesa e de desenhos animados, com uma trilha-sonora bem sintoniza.