fbpx

14 comerciais incríveis feitos para as Copas

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Parcerias

Sexta-feira a Nike lançou o segundo vídeo da campanha “Arrisque Tudo” (assista o primeiro aqui). Nomeado de “Quem Ganha Fica”, o filme varreu a internet em poucas horas. Não era para menos. A propaganda conseguiu superar as expectativas que a empresa criou por conta da qualidade das campanhas que fez antes das Copas anteriores.

Foi assim em 2002, quando lançou as propagandas dos craques jogando enjaulados, e em 2010, com a campanha “Escreva o Futuro”. Isso para citar apenas os meus dois vídeos preferidos, porque em todos os anos de Copa, desde 94, a Nike lança uma campanha sempre com um vídeo espetacular. Ah, e em todos temos a participação dos craques brasileiros, como não podia ser diferente.

Com a viralização do “Quem Ganha Fica” (mais de 4,5 milhões de vizualiações, e contando), resolvemos fazer uma seleção de grandes comerciais feitos para a Copa do Mundo. Não somente de 2014, mas de todas as outras também. É claro que poucas (ou mesmo nenhuma) terá a produção como essa da Nike, até porque os recursos eram escassos antigamente. Mas algumas têm uma sacada mais interessante.

Resumindo, são todas geniais. Divirta-se.

1. Nike (1998)

Esse vídeo é clássico. É o único da Nike que traz apenas jogadores brasileiros. Talvez não seja tão bom quanto os últimos, mas, para nós, brasileiros, penso que seja insuperável.

2. Adidas (2002)

Um dos meus prediletos. Acho difícil conseguir se comunicar mais com os peladeiros do que esse comercial da Adidas consegue (sim, talvez a Nike tenha achado um caminho com o “Quem Ganha Fica”). Se você gosta muito de futebol, certamente já se questionou se o esporte se tornou um vício em sua vida.

3. Coca-Cola (2006)

Já viu algum jogo dos times argentinos? Viu como os torcedores cantam? Eles colocam o corpo meio de lado na arquibancada e, enquanto cantam, gesticulam, ritmicamente à batida do tambor, com um braço no ar. A propaganda é isso: todos gesticulando dessa forma. Inclusive objetos. A música é uma recriação de We Didn’t Start The Fire, de Billy Joel.

4. Pepsi (2006)

Cômico. Esse comercial é cômico. É uma partida de futebol entre dois times: um formado por craques e o outro por alemães (a Copa em questão era a da Alemanha) que, em vez de jogar bola, ficam coreografando uma dança tradicional. Dá para dar umas risadas. Ainda vemos Roberto Carlos e Ronaldinho Gaúcho cantando umas loirinhas.

5. MTN (2010)

“Duas guerras mundiais e uma Copa do Mundo. Inglaterrerra!” Essa é a música que pai e filho ensaiam a caminho de um jogo da seleção inglesa. Eles só não esperavam encontrar alguns torcedores alemães mal encarador no elevador. A campanha é da empresa de telecomunicações sul africana MTN para a Copa de 2010.

6. Pepsi (2010)

Esse vídeo tem a mesma ideia daquele que a Pepsi fez em 2006. Só que em vez de alemães, os adversários dos craques são os africanos, já que a Copa da vez era na África.

7. Coca-Cola (2010)

Há algum tempo as comemorações têm sido repreendidas por muitas pessoas. Mas parece que tem gente que as vê de uma forma diferente. É o que esse vídeo da Coca nos mostra.

8. Visa (2014)

Esse vídeo da Visa foi lançado no final do ano passado e é hilário. Prova que uma simples ideia pode funcionar tão bem quanto uma produção grandiosa.

9. TyC Sports (2014)

Às vezes é preciso reconhecer as qualidades de seus adversários. E aqui está um trabalho muito bom dos hermanos. Eles aproveitaram um discurso do Papa na Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, para fazer um comercial emocionante. “Se um argentino fez isso no Brasil, imagine 23”. Veremos, caros.

10. Cristal (2014)

Essa é uma campanha feita em três vídeos – um para cada partida do Chile na primeira fase da Copa. Tudo bem que a seleção sul-americana não é esse bicho-papão que a propaganda prega, mas que os filmes foram bem bolados, isso foram. (veja os outros dois aqui e aqui.)

11. Puma (2014)

Simples, bem-humorado, provocativo e muito bem feito. Não precisa de mais nada. O trabalho é da Puma, fornecedora de materiais esportivos do Uruguai, e mostra simplesmente um fantasma percorrendo o Rio de Janeiro com o número 50 nas costas. Isso te lembra alguma coisa?

12. ESPN (2014)

Esse comercial é daqueles mais emotivos. Não há inovação, não há surpresas e nem produção impressionante. Há simplesmente um sentimento bem canalizado numa curta produção.

13. TAM (2014)

Antes do comercial da Nike ser lançado na sexta, era esse da TAM que estava sendo considerado a grande jogada publicitária da Copa. E não é para menos. Ela trabalha com uma linguagem bem semelhante ao que temos visto ultimamente. Grandes jogadores, uma música que casa perfeitamente com as imagens e dá ritmo, muito humor e uma produção perfeita. Ah, além de ótimo roteiro, claro.

14. Castrol (2014)

Um vídeo que una futebol com automobilismo dificilmente pode ser ruim. Ainda mais quando se trata de uma apresentação de virtuosismos. Se tudo o que estiver no vídeo realmente aconteceu (sem sofrer alterações de efeitos pós-produção), é de se impresisonar. Bom, e mesmo se algumas coisas foram alteradas, com certeza outras que também impressionam não foram. Vale a pena assistir a esse ótimo trabalho.

O pior vídeo de todas as Copas

Umbro (2002)

Não poderia haver ideia mais infeliz para um vídeo (se bem que nunca duvide…). Eu fico me perguntando qual a intenção desse comercial. Se é conquistar a simpatia do cliente, acho que os caras falharam. Miseravelmente.