+6 livros que todo homem deveria ler

Já fizemos aqui no El Hombre uma lista de 8 livros que todo homem deveria ler, com foco em desenvolvimento pessoal. Hoje vamos retornar ao assunto, mas enumerando romances essenciais numa biblioteca pessoal. E calma, não confunda “romance” com obras de amor. Trata-se na verdade de um gênero literário em prosa, que conta a história de um personagem. Esclarecido esse ponto, vamos à lista?

1# O CONDE DE MONTE CRISTO (ALEXANDRE DUMAS)

O que pode ser melhor do que um livro de vingança repleta de reviravoltas, aventuras e amores? É exatamente em torno desses assuntos que gira O Conde de Monte Cristo, que consiste na história do jovem marinheiro Edmond Dantès, injustamente acusado de alta traição.

Ele fica anos numa prisão política, onde conhece um mentor que o treina para ser um “homão da porra” e dá a ele o mapa para um tesouro de valor inestimável. Nosso herói consegue fugir da prisão, encontra a fortuna, assume uma fachada aristocrática — e passa a perseguir seus algozes das maneiras mais efetivas possíveis. Uma boa adaptação foi feita do livro para o cinema, também, em 2002.

Há uma única coisa capaz de dificultar a leitura: a extensão desta, visto que o romance conta com dois volumes de seiscentas ou setecentas páginas cada. Mas a história do livro é tão impactante e a sua escrita é tão agradável, que esse tamanho mal se faz sentir. Pensemos como Jane Austen, segundo quem, se um livro for bem escrito, ele nunca deixa de ser curto demais.

2# O PODEROSO CHEFÃO (MARIO PUZO)

Sejamos francos: no universo de Hollywood, Don Corleone é o ícone dos ícones. E o que isso significa? Que nenhum hombre deve deixar de ler O Poderoso Chefão, o livro que inspirou a maravilhosa trilogia dirigida por Francis Ford Coppola. Todos nós temos muito a aprender com esse grande patriarca, amigo e condutor que, por mais ilegais que sejam as suas ações, jamais perde o seu senso de lealdade, justiça e honra. 

3# DA RÚSSIA, COM AMOR (IAN FLEMING)

É difícil pensar em um único romance de Ian Fleming para incluir nessa lista – mas, visto que é necessário escolher, acredito que a melhor opção repousa no quinto livro da série, considerando um dos maiores romances de espionagem da história.

Da Rússia, Com Amor, também conhecido como Moscou Contra 007, foi escrito no auge da Guerra Fria e retrata a rivalidade entre a União Soviética e as potências ocidentais, tal como o interesse de ambas em um determinado aparato tecnológico.

Até mesmo aqueles que assistiram o filme, que conta a presença do grande ícone escocês Sean Connery, terão muito a aproveitar do livro. Precisa de mais um motivo para convencê-lo? Que tal o fato de que John F. Kennedy, ex-presidente dos Estados Unidos, elencou este como o seu livro favorito?

4# MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS (MACHADO DE ASSIS)

Talvez você tenha lido Memórias Póstumas durante o colegial e detestado. Ou talvez você tenha se sentido obrigado a ler, tenha procurado uma resenha na internet e, em seguida, tenha convencido a si mesmo de que odiou o livro.

E a segunda opção é a mais provável, porque é praticamente impossível não se apaixonar por esse livro imensamente moderno, inventivo e bem escrito que, apesar de ser narrado por um defunto irônico e aristocrático, retrata com espantosa precisão a configuração da sociedade brasileira do século XIX.

Moral da história? De mais uma chance a esse clássico da literatura brasileira, agora por opção e não por obrigação. Isso faz toda a diferença.

5# POR QUEM OS SINOS DOBRAM (ERNEST HEMINGWAY)

Fortes, intrépidos e másculos – no melhor sentido da palavra –, os heróis de Hemingway podem ser uma fonte de inspiração a qualquer um de nós. E Robert Jordan, protagonista de Por Quem os Sinos Dobram, não foge à regra.

Ambientado durante a Guerra Civil Espanhola, lutada entre os Republicanos, que tinham sido democraticamente eleitos, e os Nacionalistas, um grupo fascista que desejava retirá-los do poder, o livro possui como protagonista um americano que se junta a uma equipe de guerrilheiros que atuam nas colinas de Sierra de Guadarrama e possuem as ordens de explodir uma ponte.

A história, que também envolve o romance entre Jordan e uma bela e jovem guerrilheira chamada Maria, é fascinante, envolvente e agridoce.

6# O LONGO ADEUS (RAYMOND CHANDLER)

Para aumentarmos a nossa lista de heróis inspiradores, podemos falar sobre Marlowe, o protagonista másculo, cínico e desiludido dos romances policiais de Raymond Chandler.

Em O Longo Adeus, um dos melhores livros de Chandler, esse astuto detetive particular investiga o suicídio/homicídio de Terry Lennox, um herói de guerra alcóolatra com quem mantinha uma espécie de amizade e que acabara de ser acusado do assassinato da bela e promíscua esposa milionária.

Repleto de femme fatales, de personagens de moral duvidosa, de barões da imprensa, de criminosos e de policiais corruptos, trata-se de um livro imperdível.