fbpx

As 10 cidades com a melhor qualidade de vida no mundo

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Parcerias

Quando paramos para pensar na grandeza do mundo chega a dar aflição saber que não conheceremos todas as maravilhas desse planeta. É muita coisa espetacular que tem por aí.

Por isso, as recomendações de para onde ir, seja em caráter de turismo ou de moradia, são sempre bem vindas, assim temos alguma base para optar pelos lugares de nosso destino.

A Mercer acabou de lançar o seu relatório anual Quality of Living Rankings, que aponta quais são as cidades que oferecem a melhor qualidade de vida para se morar.

A lista adota como critério 39 fatores reunidos em 10 categorias:

  1. Cenário político e social (estabilidade política, crime, aplicação da lei, etc.)
  2. Cenário econômico (regulação de câmbio, serviços de banco)
  3. Cenário socio-cultural (disponibilidade de mídia e censura, limitações na liberdade pessoal)
  4. Considerações médicas e de saúde (serviços e suprimento médico, doenças infecciosas, esgoto, coleta de lixo, poluição atmosférica, etc)
  5. Escola e educação (normas e disponibilidade de escolas internacionais)
  6. Serviço público e transporte (eletricidade, água, transporte público, congestionamento, etc)
  7. Recreação (restaurantes, teatros, cinemas, esportes e lazer, etc)
  8. Bens de consumo (disponibilidade de comida /itens de consumo diário, carros, etc)
  9. Moradia (aluguel de casa, eletrodomésticos, móveis, serviço de manutenção)
  10. Ambiente natural (clima, registro de desastres naturais)

A gente pode ver que os caras consideraram bastante fatores.

No entanto, há algo que não se pode ignorar na proposta desse ranking. A Mercer é a maior empresa do mundo de consultoria de recursos humanos e essa lista tem o objetivo de ajudar corporações na hora de escolher onde hospedar seus funcionários.

“A 18ª pesquisa anual Quality of Living da Mercer olha para os fatores chaves para as mutinacionais considerarem quando enviarem seus funcionários para o exterior, fornecendo dados valiosos, recomendações premium, e um ranking de qualidade de 230 cidades ao redor do mundo.”

Ou seja, esse ranking realmente trata de qualidade de vida – mas muito em cima da segurança para as empresas. As cidades no topo da lista são lugares que certamente não darão problema para seus funcionários e, assim, as corporações não terão dor de cabeça com realocações.

Sidney

Vamos ao top 10:

1º – Viena, Áustria

2º – Zurique, Suíça

3º – Auckland, Nova Zelândia

4º – Munique, Alemanha

5º – Vancouver, Canadá

6º – Düsseldorf, Alemanha

7º – Frankfurt, Alemanha

8º – Genebra, Suíça

9º – Copenhague, Dinamarca

10º – Sidney, Austrália

Como podemos ver, as cidades europeias dão um baile.

Você talvez tenha achado estranho que cidades como Paris (37º), Londres (39º), Bercelona (39º também), Nova York (44º) não tenham pintado no top 10. Pois é, os critérios escolhidos mostraram que essas metrópoles não estão lá tão organizadas.

E onde estamos nós? Bem lá embaixo, senhores.

A cidade da América do Sul melhor posicionada na lista é Montevidéu, no Uruguai, na – preparem-se – 78ª posição. Já a cidade brasileira melhor rankeada é Brasília, em 106º.

US Army soldiers respond to a roadside bomb that targeted an American convoy on the highway leading to the airport, in Baghdad, Iraq, Friday, May 13, 2005. A roadside bomb completely destroyed one humvee. (AP Photo/Hadi Mizban)

Além da capital, também aparecem no ranking Rio de Janeiro (117º), São Paulo (121º) e Manaus (125º).

No extremo inferior da lista encontram-se Bagdá (Iraque), Damasco (Síria) e Saná (Iêmen) como as três cidades com a pior qualidade de vida das 230 analisadas.

Se essa é uma lista com uma visão corporativa, podemos pegar outra referência se quisermos. A Monocle, um site de estilo de vida, por exemplo, também realiza um ranking anual com a mesma proposta, mas valorizando outros interesses.

Apesar de algumas cidades manterem-se em posições privilegiadas, outras aparecem bem melhores rankeadas. Veja só:

1º – Tókio, Japão

2º – Viena, Áustria

3º – Berlim, Alemanha

4º – Melbourne, Austrália

5º – Sidney, Austrália

6º – Estocolmo, Suécia

7º – Vancouver, Canadá

8º – Helsinque, Finlândia

9º – Munique, Alemanha

10º – Copenhague, Dinamarca

10º – Zurique, Suíça

Enfim, percebe-se que qualidade de vida, obviamente, encontra-se nos países de primeiro mundo.

Mas quisermos relativizar o termo “qualidade de vida”, aí esse ranking ficará bem subjetivo – afinal, para muitos a qualidade de vida não está na segurança, mas na aventura!

Mercer_QualityofLiving_Regional

Mercer_QualityofLiving_Global

Mercer_QualityofLiving_Safety