fbpx
sábado, julho 13, 2024
InícioEntretenimentoFilmes & SériesOs 6 melhores filmes de Anya Taylor-Joy para ver (ou rever)

Os 6 melhores filmes de Anya Taylor-Joy para ver (ou rever)

Uma coisa é fato: Anya Taylor-Joy tem se destacado como uma das atrizes mais talentosas da sua geração, conquistando corações e mentes com suas performances memoráveis. Com o lançamento de Furiosa: Uma Saga Mad Max (que estreia nos cinemas dia 23 de maio), onde ela interpreta a personagem principal – Furiosa – é o momento perfeito para revisitar alguns dos seus melhores trabalhos. Destacamos 6 filmes imperdíveis de Anya Taylor-Joy que mostram a versatilidade e talento extraordinário da atriz diante das câmeras.

1# “Emma” (2020)

Em Emma, Anya Taylor-Joy assume o papel da heroína homônima do clássico romance de Jane Austen. A interpretação de Taylor-Joy traz uma nova vida ao personagem icônico, combinando charme e astúcia. A direção elegante de Autumn de Wilde complementa a performance vibrante da atriz, resultando em uma adaptação que equilibra humor e drama com maestria. O filme destaca as nuances de Emma Woodhouse, uma jovem rica e espirituosa que se envolve em jogos amorosos. Cada cena é um deleite visual, com figurinos deslumbrantes e uma trilha sonora encantadora, transportando o espectador para a Inglaterra do século XIX.

2# “Noite Passada em Soho” (2021)

Noite Passada em Soho apresenta Anya Taylor-Joy como uma figura misteriosa e enigmática em um thriller psicológico dirigido por Edgar Wright. O filme mistura elementos de horror e mistério, enquanto explora temas de nostalgia e obsessão. Taylor-Joy interpreta Sandie, uma aspirante a cantora dos anos 1960, cuja vida está interligada com a de Eloise, uma jovem estudante de moda interpretada por Thomasin McKenzie. A narrativa se desenrola em uma teia de sonhos e realidades distorcidas, deixando qualquer um a beira de seus assentos. A atuação cativante de Taylor-Joy é um dos pilares do filme, que através de uma performance cheia de nuances, é sedutora quanto perturbadora.

3# “A Bruxa” (2015)

Em A Bruxa, Anya Taylor-Joy faz sua estreia no cinema em um papel que definiu sua carreira. Dirigido por Robert Eggers, este filme de terror psicológico se passa na Nova Inglaterra do século XVII e segue uma família que enfrenta forças malignas após serem banidos de sua comunidade. Taylor-Joy interpreta Thomasin, a filha mais velha, cuja inocência e fé são testadas à medida que eventos aterrorizantes se desenrolam. A performance da atriz é incrivelmente poderosa, capturando a essência do medo e da paranoia. A Bruxa é aclamado por sua atmosfera opressiva e narrativa inquietante, solidificando Anya Taylor-Joy como uma força a ser reconhecida no gênero de horror.

4# “Fragmentado” (2017)

Fragmentado é um thriller psicológico dirigido por M. Night Shyamalan, onde Anya Taylor-Joy interpreta Casey Cooke, uma das três jovens sequestradas por Kevin Wendell Crumb, um homem com 23 personalidades diferentes, vivido por James McAvoy. A trama se aprofunda na luta de Casey para sobreviver e escapar, enquanto ela forma uma conexão complexa com uma das personalidades de Kevin. Taylor-Joy oferece uma performance intensa e emocionalmente carregada, destacando sua habilidade de transmitir vulnerabilidade e força. O filme foi um grande sucesso de bilheteria e ajudou a consolidar sua posição em Hollywood, mostrando sua capacidade de enfrentar papéis desafiadores.

5# “O Homem do Norte” (2022)

Em O Homem do Norte, Anya Taylor-Joy une forças novamente com o diretor Robert Eggers em uma saga épica de vingança ambientada na Era Viking. Ela interpreta Olga, uma escrava eslava que se alia ao príncipe viking Amleth, interpretado por Alexander Skarsgård, em sua busca para vingar a morte de seu pai. O filme é uma impressionante mistura de mitologia nórdica e ação brutal, com cenários grandiosos e uma direção visualmente deslumbrante. Taylor-Joy brilha como Olga, trazendo intensidade e profundidade emocional ao seu personagem, que é tanto uma sobrevivente quanto uma combatente feroz. A atuação de Anya em O Homem do Norte destaca sua versatilidade e presença marcante em tela.

6# “O Menu” (2022)

O Menu é um thriller dirigido por Mark Mylod, onde Anya Taylor-Joy interpreta Margot, uma jovem convidada para um jantar exclusivo em um restaurante de alta gastronomia em uma ilha isolada. Ao longo da noite, os convidados descobrem que o chef, interpretado por Ralph Fiennes, tem planos sinistros para o evento. Taylor-Joy entrega uma performance envolvente, equilibrando humor e tensão, enquanto seu personagem tenta desvendar o mistério por trás do menu macabro. O filme é uma crítica afiada à elite gastronômica e à obsessão contemporânea por experiências culinárias extremas, com Taylor-Joy no centro da narrativa, oferecendo mais uma atuação memorável.

O legado cinematográfico de Anya Taylor-Joy

Anya Taylor-Joy não é apenas uma atriz talentosa, mas uma verdadeira camaleoa que se transforma em cada papel que assume. Seus filmes oferecem uma jornada através de diferentes mundos e emoções, nos convidando a se perder em suas histórias cativantes. À medida que ela continua a expandir sua filmografia, fica claro que Taylor-Joy tem um futuro brilhante pela frente, com a promessa de muitas mais atuações inesquecíveis. Furiosa: Uma Saga Mad Max é apenas o próximo capítulo em uma carreira que já é repleta de marcos impressionantes. Revisitando seus filmes, podemos apreciar a evolução de uma atriz que está destinada a deixar uma marca indelével no cinema.

A trajetória de Anya Taylor-Joy é um testemunho de seu talento inato e dedicação ao ofício de atuar. Cada um dos 6 filmes mencionados oferece uma visão única de suas habilidades, tornando-os indispensáveis para qualquer fã de cinema. Seja você um espectador de longa data ou alguém que está descobrindo sua obra pela primeira vez, esses filmes são um excelente ponto de partida para entender por que Anya Taylor-Joy é uma das estrelas mais promissoras de sua geração.

Erik Wallker
Erik Wallker
É o "viking geek" do El Hombre! Apaixonado por filmes e coleções, viaja em cada frame que é captado por seus olhos no cinema.