Por que a curiosidade é o maior dos talentos

Leonardo da Vinci foi um dos maiores gênios da história da humanidade — ou até mesmo “o” maior, como muitos estudiosos defendem. Ele se destacou em diferentes áreas das ciências e artes. Por exemplo pintura, engenharia, matemática e escultura, entre outras.

Seu segredo? Para o biografo Walter Isaacson, que publicou recentemente um livro sobre a vida do inventor italiano, a resposta está na curiosidade. Ele era um homem “apaixonadamente curioso”, diz Isaacson. Essa virtude o levou a virar um especialista em várias campos do conhecimento humano.

Albert Einstein é outro gênio que sempre se rotulou como “curioso”. E o legado dele dispensa comentários. Bora dar uma olhada, então, em alguns benefícios que uma menta curiosa proporciona a nós?

CONHECIMENTO MAIS AMPLO

A curiosidade produz uma espécie de inquietação interior que nos leva a sempre querer saber mais sobre as coisas.

Como consequência, adquirimos um volume de informações acima da média e, assim, nos destacamos em nossas ações. Sejam elas no âmbito pessoal (como um hobbie) ou na carreira em si.

PAPO MAIS INTERESSANTE

Ao adotar uma postura mais curiosa em relação à vida, nós também desenvolvemos um papo mais interessante.

Em primeiro lugar, porque temos mais assuntos sobre os quais conversar. Além disso, como escreveu Dale Carnagie, autor best-seller sobre relações humanas, não há nada que as pessoas gostam mais de falar do que sobre elas mesmas e os temas que as interessam.

Quando você é curioso, vai escutar com atenção genuína o que os outros têm para dizer, fazendo o papo fluir melhor.

MENTE MAIS CRIATIVA

Engana-se quem imagina que criatividade e inspiração são frutos de uma benção miraculosa.

Como diz Washington Olivetto, um dos maiores publicitários brasileiros: “Meu processo criativo está atrelado a tudo que fiz e vivenciei antes. Depende de saberes que fui armazenando em cada experiência.”

Em outras palavras, quanto mais informações e experiências você acumular ao longo da vida — algo que os curiosos perseguem obstinadamente — mais material dará à sua mente para exercer a criatividade.

MAS ATENÇÃO À CURIOSIDADE INÚTIL

Mas um alerta, cavalheiros: nem toda a curiosidade é boa.

Se você for curioso com assuntos supérfluos demais — tipo acompanhar a vida das pessoas pelo Facebook ou não perder um episódio do “BBB” — aí vai encher sua cabeça de inutilidades.

É melhor direcionar a sua energia em informações e habilidades que realmente podem acrescentar algo à sua vida.

VÍDEOS EM DESTAQUE