Traição: contar ou não contar? Analisando as 2 alternativas

Eis que um leitor nos manda um email em busca de conselhos: “Traí minha namorada e estou arrependido. Agora não sei o que faço. Conto para ela sobre a traição ou não?”

Esse é um dilema clássico entre as pessoas que dão uma derrapada extraconjugal. Seria conveniente guardar o segredo, para não magoar a sua parceira e correr o risco do relacionamento terminar? Ou você deve abrir o jogo em nome da honestidade, enfrentando seja lá quais forem as consequências?

Infelizmente, não existe resposta correta para esse impasse. A realidade é que você estará dando um tiro no escuro nas duas alternativas. Os desdobramentos são praticamente impossíveis de se adivinhar. Como agir, então?

OPÇÃO #1: CONTAR A TRAIÇÃO

Apesar de muitas pessoas tratarem “lealdade” e “fidelidade” como sinônimos, há uma diferença entre as duas palavras. Enquanto a fidelidade está mais ligada à exclusividade sexual/amorosa, a lealdade diz mais respeito ao respeito/sinceridade com o outro.

Trair é errado? Sim. Mas você pode manter pelo menos a lealdade ao abrir o jogo com ela, pedindo desculpas e se comprometendo a mudar de atitude. Aí cabe a ela decidir se vai conseguir confiar novamente em você ou não.

A chance é alta dela terminar o namoro. Isso é um fato. Se você seguir esse caminho, esteja preparado. Comporte-se com nobreza. Você errou e estará sofrendo as consequências. Ela não tem obrigação nenhuma de te dar uma nova chance.

Saiba também que você vai magoá-la. Bastante. Então reflita antes de tomar uma decisão: se você fosse traído, o que iria preferir? Ficar arrasado, mas consciente do que acontece? Ou seguir em frente sem saber de nada?

OPÇÃO #2: NÃO CONTAR A TRAIÇÃO

Quando você não conta a traição, pode estar agindo dessa maneira por um impulso (1) egoísta, pelo receio dela terminar com você; (2) ou altruísta, para não magoá-la.

No primeiro caso, tenha consciência de que isso é falta de caráter. Sentimos dizer, mas é verdade. Você quer escapar do seu erro sem enfrentar as consequências, uma atitude muito pouco nobre.

Agora, se você não quer contar porque realmente está pensando nela, quem somos nós para julgar se isso está certo ou errado? É uma questão de consciência. Mas de qualquer jeito, você deve agir para — dentro do possível — reparar a situação. Como? Não repetindo o erro e agindo com dedicação para melhorar o seu relacionamento.

CONCLUSÃO

Não há certo e errado quando o assunto é contar uma traição ou não. As variáveis são muito complexas. Apenas certifique-se de que, seja lá qual caminho você seguir, faça isso por acreditar honestamente que essa é a opção mais nobre disponível — e não simplesmente a mais cômoda para você. Como dizia Confúcio, o grande filósofo chinês: “Não se comporte com os outros como você não gostaria que se comportassem com você.”

VÍDEO EM DESTAQUE