Você deveria parar de ver os erros da ex na parceira atual

Todos nós temos um passado amoroso. Você já foi adolescente, já fez bastante coisa errada e aprendeu com seus erros. Por isso, esperamos que tenha entendido um princípio básico dos relacionamentos: não se compara a atual com a ex.

Se você já tem história para contar, não é difícil que alguma confusão do passado apareça para te assombrar no seu próximo romance. Não sei se viemos com alguma programação mental errada, mas geralmente assumimos que nossos relacionamentos futuros vão funcionar basicamente da mesma forma que os passados.

Imagine um teste com um rato de laboratório. Colocam pedaços de queijo dentro de uma sala e ele vai comendo descontroladamente. Depois colocam queijo no canto do recinto e quando o rato se aproxima leva um choque.

Nem preciso dizer que o queijo no canto da sala vai ficar lá eternamente num próximo teste. O rato já sabe, ficou esperto porque entendeu que se tocar naquele alimento sentirá dor e desconforto.

No amor também é assim, então costumamos assumir que as coisas vão seguir um padrão toda vez que um relacionamento começa. Vamos supor que você tenha sido traído. Então, dentro do padrão, supostamente sua nova parceira faria o mesmo. Você já tomou choque, por isso se protege para não cair nessa novamente.

Se sua última companheira te traiu, ela pode fazer a mesma coisa novamente com outra pessoa. Mas sua parceira atual não tem nada a ver com essa história. Quando ela aparece em sua vida, vem como uma folha em branco para você, que deve ser preenchida conforme o relacionamento se desenvolve.

Traição é somente um exemplo. Nossa lista para pressupor o que não sabemos pode ser enorme e é sempre baseada em outras pessoas e experiências. Não importa se falamos de humor, de trabalho, de família, de mentiras ou de romance.

Vamos imaginar que sua última parceira gostava de falar mais do que a boca quando chegava em casa do trabalho, o que a ajudava a mandar o stress embora e relaxar. Isso não significa que a atual fará o mesmo.

Se você prefere cerveja a vodka, vai continuar a gostar de cerveja a vida toda. Se joga pôquer com os amigos, vai continuar a jogar mesmo que envelheça e tenha novas mulheres na vida.

Supor coisas em relação a nova parceira vai fazer você criar um problema que não existe.