fbpx

Você não é ruivo, mas tem barba avermelhada? A ciência explica

Pedro Nogueira
Pedro Nogueira Editor-Chefe

Alguns homens, quando tomam a gloriosa decisão de deixar a barba crescer, levam um susto ao olhar no espelho dias depois: barba ruiva.

Como isso poderia ser possível, tendo o cidadão cabelo preto, castanho ou loiro?

Se você entrou nesta matéria, talvez seja o seu caso. Se não, exemplos não faltam por aí. Tipo Christian Bale ou Messi. Pode reparar.

É bem possível que algum amigo ou parente seu tenha esse traço também.

Se você ficou curioso para compreender o mistério, a ciência tem a explicação.

“Os genes que determinam a cor do cabelo são chamados de traços hereditários dominantes incompletos”, diz a especialista em genética Petra Haak-Bloem. “Isso significa que não há um único gene dominante sobre os outros. Todos os genes se influenciam mutuamente.”

Em outras palavras, é uma espécie de loteria. Os genes podem se manifestar de maneira distinta em cada pessoa da família e em diferentes partes do corpo.

O cabelo vermelho é causado pela mutação de um gene chamado MC1R. O MC1R determina a proporção de eumelanina (pigmento negro) e feomelanina (pigmento vermelho) em nosso corpo.

Os morenos são carregados de eumelanina, enquanto os loiros têm menos — e no caso dos ruivos, a predominância é da feomelanina.

Essa mutação do MC1R faz com seja produzido uma quantidade de eumelanina inferior à normal e de feomelanina superior.

Se você recebe o MC1R alterado em dose dupla — da mãe e do pai — provavelmente vai nascer ruivo. Se vem apenas por um lado, você pode ter ou não (eis a loteria) pelos ruivos em alguma parte do corpo.

Tipo a barba. Deu para entender?