fbpx
sexta-feira, julho 12, 2024
InícioEntretenimentoGamesA história por trás do clássico do Windows: Paciência

A história por trás do clássico do Windows: Paciência

Você conhece a história por trás do clássico do Windows Paciência? Famoso entre os anos de 1990 a 2000, o jogo lançado originalmente no sistema operacional Windows faz sucesso há mais de trinta anos e segue sendo um passatempo predileto entre jovens e adultos.

Neste jogo de cartas, você precisa organizar um baralho em ordem crescente. Para isso, os movimentos são limitados e devem ser feitos de acordo com a regra do jogo, como enviar as cartas entre colunas ou montes para cartas descarte, desde que se respeite o valor e o naipe das cartas.

Mesmo com uma imensa popularidade que perdura por três décadas, poucos sabem a história do jogo de cartas de maior sucesso para computador. Inclusive, convém destacar que a trama completa envolve um estagiário e até mesmo o dono da Microsoft, Bill Gates!

Para explicar a história por trás do clássico do Windows Paciência, preparamos esta reportagem especial, onde revelamos os bastidores do lançamento do game!

O que é Paciência?

O jogo Paciência foi lançado em 1990 para o Windows 3.0, sendo um game exclusivo e inédito até então. Nos dias atuais, o jogo de cartas recebeu diferentes variações. 2020 completou 30 anos desde o lançamento e reuniu aproximadamente 35 milhões de jogadores ao redor do mundo!

Recomendamos que jogue jogos de Paciência ilimitados e totalmente gratuitos para entender o que motivou tanta popularidade neste game. Mas em resumo, trata-se de um jogo de cartas que foca em organizar um baralho a partir de regras específicas de movimentação das cartas.

Qual a história por trás do clássico do Windows, Paciência?

A história por trás do clássico do Windows Paciência começa em 1988. Naquela época, o então estagiário Wes Cherry programava um jogo totalmente autoral em seu tempo livre. O jogo em questão era o Paciência, chamado de Solitaire em inglês, como também ficou conhecido em todo o mundo.

Durante o ano que ficou em desenvolvimento até o seu lançamento em 1990, no sistema operacional Windows 3.0, da Microsoft, não havia outros jogos de computador, especialmente com foco para familiares e, acima de tudo, trabalhadores de escritório.

Tanto que, entre as obrigações de estagiário, Cherry conseguiu programar todo o jogo em seu tempo livre, como menciona brincando em entrevista à Great Big Story. O interno surpreendeu a todos no escritório e, ao lado de outros programadores, levaram a ideia até o CEO da Microsoft, Bill Gates.

O fundador da Microsoft deu a sua aprovação para incluir a primeira versão de Solitaire no Windows 3.0. A justificativa era inserir um jogo que ajudasse as famílias a usarem o mouse — na primeira versão, diferente de como é hoje, deveríamos clicar e “segurar” as cartas para o espaço correto.

Versão original de Paciência tinha tecla de ocultação

Ainda em entrevista à Great Big Story, Cherry revela que, originalmente, havia uma “tecla especial”. A função funcionava como um alt mais tab, um comando para trocar de janela rapidamente. A ideia era trocar a janela do jogo para alguma planilha, caso algum supervisor aparecesse.

Apesar dessa ser uma ideia original, que certamente ajudaria bastante os procrastinadores à frente do computador em busca de um passatempo, a ideia foi cortada pela Microsoft. Portanto, nunca chegamos a ver a função sendo lançada nos sistemas Windows.

O criador de Paciência diz que não recebeu nada pelo jogo

O então estagiário Wes Cherry criou Paciência sozinho em seu tempo livre na Microsoft. Apesar do jogo ter sido lançado no Windows 3.0 e nas demais versões, Cherry nunca recebeu um centavo sequer por sua criação. Inclusive, entre as suas brincadeiras, o hoje dono da Dragons Head Cider — empresa de destilaria e fábrica de cidra — comenta que, se recebesse um centavo por qualquer pessoa que jogasse ou jogou Paciência em algum momento, teria dinheiro o suficiente para sair com Bill Gates.

Não é a primeira vez que a Microsoft não credita criadores

O filme Steve Jobs conta a história do empreendedor e criador que dá título ao filme. Cofundador da Apple, Jobs criou o Macintosh ao lado de outros programadores, o que inclui o próprio Bill Gates. Reza a lenda que a Microsoft surgiu a partir do Macintosh, com o diferencial de agregar uma interface amigável.

Essa história nunca chegou a uma conclusão, mas sabe-se que, cronologicamente, a narrativa faz bastante sentido. Apesar dos rumos e da fúria de Jobs em relação ao assunto, Gates e nem a Microsoft creditaram os demais cofundadores do Macintosh ou os citaram durante o lançamento do Windows.

A importância de Paciência para computadores e também celulares

Paciência

O lançamento de Paciência em 1990 impacta a cultura até hoje. Na época, o seu lançamento definiu um marco para a possibilidade de jogar no computador, até então usado para fins profissionais. Como desenvolvedores viram que era possível ter a atenção de jogadores, mais jogos foram lançados.

Nos anos seguintes ao lançamento do jogo de Paciência no Windows 3.0, todas as demais versões passaram a receber o jogo desde a instalação. Isso só parou no Windows 10 e 11. Porém, ainda dá para jogar a versão clássica e todas as demais variações, mas é necessário baixar e instalar no computador.

Repetindo os passos do Windows, outros sistemas operacionais e de tecnologia passaram a ter a sua própria versão de Paciência. Isso escalou ainda mais a base de jogadores fiéis do game. Em paralelo, o criador Wes Cherry continuou sem receber nada por isso.

Além do impacto direto na criação de jogos para computador, vale destacar o impacto na saúde cognitiva. De acordo com entidades especializadas na saúde do cérebro, os jogos de cartas como Paciência melhoram a função cognitiva, ajudando a memorizar, pensar e agir com rapidez.

Atualmente, não é tão difícil encontrar escolas e turmas que incentivam a gamificação de brincadeiras, por meio de jogos e partidas de cartas, como Paciência e todas as suas muitas variações. Isso tudo porque o cérebro é estimulado e exercitado, melhorando a capacidade de reter informação!

Redação El Hombre
Redação El Hombrehttps://www.elhombre.com.br
O El Hombre é um portal de lifestyle para o homem contemporâneo com mais de 5.000 artigos sobre estilo, carreira, fitness e muito mais. Fale conosco pelo email [email protected]