A importância da avaliação física

A avaliação física é importante? Esta é uma pergunta que várias pessoas fazem para mim. Por muito anos, elas foram uma maneira das academias de índole duvidosa cobrarem uma taxa extra de seus clientes. Os educadores físicos nem mesmo liam essas avaliações ao iniciar suas prescrições de treinamento — e, pior ainda, não as utilizavam para acompanhar o resultado dos alunos. Hoje, no entanto, qualquer treinador bem preparado trata esta questão com seriedade.

Além de testar a capacidade do aluno, a avaliação física desempenha um papel importantíssimo, também, na caminhada rumo ao seu objetivo. Por exemplo, o seu foco é a perda de gordura? Uma avaliação de composição corporal é fundamental para o acompanhamento dos exercícios — e para realização de pequenos ajustes tanto no treinamento quanto na dieta. Vou contar, então, como eu a utilizo para a obtenção de melhores resultados.

Anamnese: Questionário que visa buscar parâmetros para melhor estabelecer o programa de atividade física.

Composição corporal: Usado para verificar os níveis de gordura existentes no corpo. Os métodos mais usuais são a bioimpedância e a adipometria.

  • Bioimpedância: Este método permite uma avaliação rápida do percentual de gordura através da passagem de corrente elétrica, verificando o nível de água existente no organismo e quantificando o percentual de gordura.
  • Adipometria (dobras cutâneas): É analisado por medidas verificadas por um compasso (adipômetro), obtendo dados para aplicar em algumas fórmulas já estabelecidas, consideradas como padrão por vários estudos.

Teste neuromuscular: Testes de força com repetições máximas com um peso X ou o peso corporal, ou um teste de carga máxima em exercícios-chave como supino ou agachamento.

Avaliação postural: Verifica anomalias no esqueleto (como lordose, cifose e escoliose) bem como possíveis assimetrias corporais.

Teste de flexibilidade: Checa a capacidade do músculo de se estender ao máximo através do Banco de Wells.

Peso e altura: Dados como peso, altura e circunferências servem para comparações futuras.

Ergoespirometria: Este teste nos dá parâmetros para analisar a capacidade máxima de absorção e utilização do oxigênio e definir o limiar anaeróbio.

É importante entender que, sem parâmetros, é impossível realmente atestar uma evolução nos treinos de forma precisa. Portanto, a avaliação física é essencial, sim. Além disso, conhecendo a evolução no treinamento (por conta dos dados anotados regularmente) é possível manter as pessoas motivadas por cada conquista alcançada. Mas fique atento e perceba se, na sua academia, ela é motivo somente para taxas extras — ou se realmente direciona a sua performance.