Por que cochilar 20 minutos após o almoço é bom para sua carreira

Todo mundo já ouviu falar que, em certos países de cultura espanhola, na hora do almoço tudo fecha e as pessoas vão dormir para fazer a famosa siesta.

Para muitos de nós, colonizados por portugueses e influenciados por americanos, este hábito pode não parecer mais do que simples preguiça. Engane-se, porém, quem pensa isso: este é um costume extremamente saudável.

Um estudo realizado pela NASA mostrou que um cochilo de 20 minutos após o almoço aumenta a nossa performance em até 34% no trabalho. Além disso, ainda reduz em 30% a chance de doenças coronarianas, como observado em outro estudo realizado pela Harvard com 23 mil gregos.

O negócio é que o nosso organismo possui um relógio biológico interno que é programado para fazer “pausas” ao longo do dia. Uma delas após almoço.

Logo após o almoço — geralmente a refeição mais pesada do dia — o corpo destina boa parte de seu sangue para o intestino, deixando menos quantidade para o resto do corpo, o que gera um pouco de cansaço.

Uma pequena siesta permite que o corpo se “reorganize”, direcione o sangue para os locais certos, recupere suas forças e se prepare para praticamente um novo dia.

“É uma maneira de ter dois dias em um”, dizia Churchill. É como se fosse um computador desligando para instalar uma atualização e reiniciando em seguida, em vez de tentar fazer isso com todos os programas rodando.

Mas devido ao ciclo do sono, uma siesta não pode ultrapassar 45 minutos por dois motivos.

O primeiro é que o sono se aprofundará demais e, com isso, fica difícil para acordar sem ter aquela sensação de cansaço e o estresse de ter sido despertado muito antes do tempo. O segundo é que atrapalhará sua rotina de sono e a pessoa pode ter insônia à noite.

VÍDEO EM DESTAQUE: