Pegue um sonho, crie um plano – e o transforme num objetivo

Todos nós temos algum sonho. Ou “alguns” no plural. Para certas pessoas é abrir um negócio próprio. Para outras é estudar fora. Ou fazer uma viagem internacional. E assim por diante. Não existe uma regra fixa. Os sonhos dependem da maneira que cada pessoa enxerga a vida.

Mas todos eles têm algo em comum: se você não agir, eles continuarão sendo somente um sonho — e não vão se tornar realidade. O que é uma pena, porque se não investirmos a nossa energia nas ideias que nos movem, que fazem nosso coração bater mais rápido, investiremos no quê? Apenas na resolução dos problemas do dia-a-dia? Isso seria muito triste.

Algum tempo atrás, li uma frase que me chamou a atenção. Ela dizia o seguinte: “Um objetivo é um sonho com um plano.” Nunca mais me esqueci disso. Por isso o texto de hoje, caro leitor, é um incentivo para você sair da zona de conforto — e desenvolver um plano de ação para transformar seus sonhos em realidade. Vamos juntos nessa?

COMPREENDA O PROPÓSITO DOS SEUS SONHOS

Antes de mais nada, você deve compreender o propósito por trás dos seus sonhos. Existe um conceito chamado círculo dourado que pode nos ajudar nisso. Ele é baseado em três pilares:

  • O quê?
  • Como?
  • Por quê?

Essa teoria defende que muitas pessoas sabem o que elas fazem; algumas entendem como elas fazem; mas poucas compreendem por que elas fazem. E aqueles que realmente atingem o sucesso, nos mais variados campos da vida, são os que conhecem o porquê por trás de suas atitudes.

Vamos pegar um exemplo. Digamos que você sonhe em estudar no exterior. Olha só como ficaria o círculo dourado sem a presença do porquê:

  • O quê? Estudar no exterior.
  • Como? Economizando dinheiro todo mês para ir no ano que vem.

Parece um sonho meio vazio dessa maneira, né? Sem um propósito bem definido, qual seria a motivação para você realmente se esforçar em tirar essa ideia do papel? Não valeria a pena. Agora vamos acrescentar um porquê e você vai reparar na diferença que faz:

  • Por quê? Terei um contato intensivo com uma nova cultura, o que vai me trazer experiências de vida e expandir meus horizontes; dominarei uma segunda língua, o que abre muitas oportunidades de carreira; ganharei autoconfiança, pois sairei da zona de conforto e terei que lidar com situações inesperadas; aumentarei meu conhecimento, virando uma pessoa mais interessante e talentosa.

Viu a diferença? Talvez você já soubesse tudo isso de maneira subconsciente. Mas quando colocamos no papel, nos dá muito mais clareza. Agora você realmente sabe que vale a pena investir nesse sonho e pode criar seu plano de ação.

EXPERIÊNCIAS VS BENS MATERIAIS

Essa teoria do círculo dourado também nos ajuda a separar os sonhos importantes dos irrelevantes. Neste segundo grupo, em geral, estão aqueles relacionados a bens materiais. Digamos que você “sonha” em ter um relógio de luxo de tal marca. Vamos refletir sobre essa possibilidade:

  • O quê? Comprar relógio de luxo.
  • Como? Dividindo em 12 vezes e segurando os gastos nesse tempo.
  • Por quê?

E aí, o que colocamos na linha do porquê? Poderíamos ficar 2 horas aqui pensando e dificilmente fugiríamos de algo relacionado a “status”. Sonhos relacionados a consumismo devem ser encarados com muita cautela por nós. Eles valem a pena quanto têm uma funcionalidade bem definida. Vamos pensar num carro:

  • O quê? Comprar um carro.
  • Como? Fazendo um financiamento no banco.
  • Por quê? Hoje gasto 2 horas por dia no deslocamento casa/trabalho. Com um carro, isso vai cair para 1 hora. Assim terei 5 horas extras na semana para dedicar a mim.

Agora já faz mais sentido, né? Mas aí você decide se endividar todo para comprar um carro de R$ 100 mil. Por quê? Provavelmente você está pensando em status de novo. Conforto é bem-vindo. Investir algum dinheiro a mais num modelo automático, para você se cansar menos no trânsito, talvez faça sentido. Mas para que você precisa de um carro de 220 cavalos se as estradas brasileiras têm um limite de 120 km/h? Aprenda a diferenciar conforto de luxo.

No final das contas, os melhores sonhos são aqueles que dizem respeito a experiências, porque eles enriquecem a nossa vida. Coisas como viajar, empreender e estudar fora ajudam em nosso crescimento pessoal. Nos tiram da zona de conforto, nos trazem novas vivências. Fazem de nós pessoas melhores. Mas não podemos dizer o mesmo dos bens materiais.

COMO MONTAR UM PLANO DE AÇÃO

Utilizando a lógica do círculo dourado, já conseguimos separar os sonhos que valem a pena — e os que não valem. Próximo passo? Montar um plano de ação. Não existe uma fórmula fixa para isso, mas abaixo reunimos um checklist que pode ajudar.

→ Objetivo: Defina-o com muita clareza. Como diz a velha máxima, vento nenhum ajuda quem não sabe para onde está remando.

→ Conselhos: Isso é muito importante. Você pode buscar conselhos de amigos ou parentes que atingiram o mesmo objetivo; e de especialistas na área, por meio de livros, artigos e vídeos. Bons conselhos encurtam muito o caminho.

→ Subtarefas: No mundo dos negócios, quebrar uma tarefa grande em subtarefas é uma estratégia clássica de gestão de projetos. Assim você consegue gerencia-las com mais eficiência. Tente fazer isso.

→ Cronograma: Por fim, não se esqueça de colocar datas para essas subtarefas, senão é perigoso começar a procrastinar.

Seguindo essa metodologia, a chance é alta de você transformar seus sonhos em realidade, caso tenha a paciência necessária para pensar no longo prazo. Até porque os sonhos mais complexos não são atingíveis do dia para a noite. Bora colocar o plano em ação, senhores?

VÍDEO EM DESTAQUE