Pierre Gasly by Hungarian F1 Grand Prix

Pierre Gasly vence o GP da Itália e volta para dar emoção à Fórmula 1

André Moraes
André Moraes Head de Parcerias

O piloto francês venceu seu primeiro Grande Prêmio de F1 em uma corrida com acidentes, paralisações e penalidades em Monza

Pierre Gasly by Hungarian F1 Grand PrixFoto: Pierre Gasly by Hungarian F1 Grand Prix

 

Sempre há uma primeira vez, pelo menos para os melhores. O piloto francês Pierre Gasly (Alpha Tauri) fez história na Fórmula 1 ao vencer o Grande Prêmio da Itália de 2020 e colocou seu nome na seleta lista de vencedores da F1.

Aos 24 anos, ele venceu sua primeira corrida de Fórmula 1 no circuito mais rápido da temporada que foi uma montanha-russa de emoções. Tudo parecia estar em ordem quando Lewis Hamilton liderou sem maiores problemas até que uma bandeira vermelha para a saída de Charles Leclerc (Ferrari) mudou tudo.

Hamilton entrou nos boxes, mas não percebeu o sinal vermelho pelo qual recebeu uma penalidade de 10 segundos no ‘stop and go’ e após o reinício teve que entrar nos boxes novamente, perdendo tempo e terminando em sétimo. Depois, foi a oportunidade de Gasly, que não hesitou em assumir a liderança e não largou mais, suportando a pressão dos espanhóis Carlos Sainz (McLaren) e Lance Stroll (Racing Point) que terminaram no pódio.

Foi uma corrida para ser esquecida pela Ferrari, que como local sofreu muitas adversidades. Sebastian Vettel abandonou devido a um problema de freio e Leclerc bateu no muro. Uma equipe ligada ao sucesso em suas horas mais sombrias.

Outra decepção foi para a Red Bull que sofreu com o abandono de Max Verstappen e com a 15ª colocação de Alexander Albon. Depois que o ‘party mode’ foi banido da Fórmula 1, parece que essa equipe também foi afetada.

Para a Renault, havia muitas expectativas depois do que conquistou na Bélgica, muitos pensaram que essa era a chance de dar uma grande surpresa, mas Daniel Ricciardo terminou em sexto e Esteban Ocon em oitavo.

A ressurreição de Gasly

Gasly, o campeão da Fórmula 2 de 2016, começou sua aventura na F1 um ano depois, entrando no carro Toro Rosso. No ano passado ele começou como companheiro de equipe de Max Verstappen na Red Bull, mas depois de algumas corridas difíceis e sem grandes resultados, ele voltou para a equipe B.

A Toro Rosso tornou-se Alpha Tauri em 2020, tentando ter maior independência da Red Bull embora tenha herdado as características de seu carro RB15, usado em 2019. Gasly alcançou o segundo lugar no ano passado em Interlagos, no Grande Prêmio do Brasil, mas agora brilha no topo em uma corrida maluca.

Texto em parceria com Sherlockcomms